“Clubes não podem prescindir de comando com visão empresarial”

Engenheiro mecânico e de materiais, pós-graduado em administração, empresário que atua em prestação de serviços na área de tubulações, Luiz Carlos Picone de Araújo, que assumiu a vice-presidência de Projetos e Recursos Incentivados do Sindi-Clube, considera que os clubes não podem prescindir de comando com visão empresarial.

Segundo ele, a boa gestão dos recursos oriundos do esporte e para o esporte são essenciais para o sucesso.

Picone: esporte é importante para o sucesso do clube
Picone: esporte é importante para o sucesso do clube

“O trabalho que o dirigente dedica ao clube é, sobretudo, de um abnegado, que dedica seu tempo, interessado em preservar o que a agremiação já construiu e com o objetivo de mantê-la em evolução. Para isso, é preciso que tenha capacidade para empreender, desenvolver projetos, e estar atento a tudo que o cerca: a comunidade em que está inserido e o mercado em que atua, para valorizar o quadro associativo e criar um círculo virtuoso e eficaz, fidelizando o associado e sua família ao clube”, afirma.

Picone fala com a experiência de ter ocupado por três vezes a presidência da diretoria e outras três a do conselho deliberativo do Clube Esportivo da Penha (CEP), tradicional agremiação de 85 anos da zona leste da capital, com 15.000 sócios e 150.000 metros quadrados de área.

“Cresci no CEP, jogando futebol. A vivência política teve início quando o clube se abriu para a renovação de lideranças, sempre necessária. A partir dos anos 90, aproximei o CEP do Sindi-Clube, primeiro das atividades que o Sindicato oferecia por meio dos torneios do Pepac (Programa Esportivo para Associados de Clubes), depois pela utilização das consultorias oferecidas”, explica.

Por ser um esportista (atualmente mais dedicado ao tênis), Picone considera que as atividades esportivas constituem um pilar importante para o êxito do clube.

“Não somente o esporte de alto rendimento, mas também o de participação que inclui praticantes em fase de formação, até a terceira idade. Tem crescido muito a demanda por essas práticas e os clubes precisam estar atentos a isso. Daí a necessidade de usar os recursos das leis de incentivos de forma estratégica”, diz.

O dirigente assinala que as fontes de receitas para tocar projetos esportivos têm sido facilitadas pelas leis de incentivo que proporcionam recursos do governo para esse fim.

“O estímulo fiscal ao esporte é uma realidade, nas esferas municipal, estadual e federal. O Sindi-Clube, que já oferecia uma consultoria específica para orientar os clubes, constituiu agora uma vice-presidência na qual pretendo desenvolver ações de esclarecimento para o aproveitamento dessas legislações. O mais importante: oferecer informações não somente aos presidentes, mas também aos diretores e gerentes dos clubes, que, da mesma forma, precisam ser envolvidos para atuar com essa ferramenta representada pelos benefícios das leis de incentivo ao esporte”, afirma.

Visite o portal do Sindi-Clube e saiba mais de assuntos que interessam ao seu clube.

“Prestação de serviços reforça a representatividade do Sindi-Clube”

Alberto Antonio Pascarelli Fasanaro passou a integrar a diretoria do Sindi-Clube, em 2010, inicialmente como vice-presidente de Regionais e, a partir de 2013, como Consultor da Presidência.

Foi chamado a colaborar pela experiência que acumulou no Esporte Clube Pinheiros, em que é conselheiro desde 1998, além de ter composto e presidido diversas comissões: foi membro e vice-presidente da Comissão Permanente de Sindicância, Consultor Especial da Presidência da Diretoria, integrou a Comissão Especial Consultiva do Plano Diretor de Obras e presidiu o Conselho Deliberativo, de 2006 a 2010, e é associado benemérito desde 2013.

Fasanaro, Consultor da Presidência
Fasanaro, Consultor da Presidência

Como vice-presidente de Regionais do Sindi-Clube, participou diretamente da implantação dos “Encontros com dirigentes”, em 2012, ação que o Sindi-Clube passou a desenvolver para ampliar o contato da entidade com clubes de todas as regiões do Estado de São Paulo.

“Os Encontros constituem um dos marcos desta administração, pois, com eles, o Sindi-Clube pôde ampliar sua atuação e levar esclarecimentos e serviços a toda sua base de representação. Essa ação já está em sua quarta edição, com muito sucesso, agora conduzida pelo vice-presidente Alexandre Bossolani”, diz Fasanaro.

Consultor da Presidência

O dirigente explica que sua atual função na diretoria do Sindi-Clube, como Consultor da Presidência, objetiva oferecer sugestões e observações para o desenvolvimento de novas ações da entidade, além de avaliar o que já está em curso.

“Pude acompanhar a gestão do presidente Betinho desde o início e constatar o salto de qualidade que conseguimos na prestação de serviços, na grade curricular de cursos da Universidade, e nas atividades culturais e esportivas voltadas aos associados de clubes. Tudo isso reforçou a representatividade do Sindi-Clube e projetou a entidade não só no meio clubístico, mas também como interlocutora do segmento com os órgãos governamentais. O Sindi-Clube teve também participação decisiva na criação da Fenaclubes (Federação Nacional dos Clubes) entidade sindical de grau superior, que representa o setor em nível federal”, afirma.

Fasanaro diz sentir-se honrado em integrar a diretoria do Sindi-Clube.

“É uma distinção participar dessa  equipe que trabalha com entusiasmo num sindicato patronal muito ativo. Quando analisamos o trabalho realizado, vemos que estamos no caminho correto, sempre pensamos em ampliar a oferta de serviços aos clubes”, diz.

Visite o portal do Sindi-Clube e saiba mais de assuntos que interessam ao seu clube.

“Clubes paulistas espelham dinamismo do Estado”, diz vice-presidente do Sindi-Clube

Com cerca de 20 anos dedicados à vida clubística, o vice-presidente de Regionais do Sindi-Clube, Alexandre Bossolani, vê nos clubes paulistas do interior e litoral o mesmo dinamismo que caracteriza o Estado de São Paulo.

Bossolani: encontros com dirigentes fortalecem segmento
Bossolani: encontros com dirigentes fortalecem segmento

“Temos hoje importantes clubes espalhados por todo o Estado, profundamente identificados com as comunidades locais, muito deles centenários, tais quais os clubes da capital. Essa é uma característica do desenvolvimento de um clube, que se consubstancia das características dos locais em que se instalam. Por isso, são tão bem adaptados e atravessam épocas”, observa Bossolani.

Para atender as demandas dessa diversidade clubística, o dirigente ressalta o trabalho iniciado pelo Sindi-Clube em 2012, de promover encontros de diretores e consultores da entidade com dirigentes e gestores de clubes das várias regiões do Estado.

“Essas reuniões têm se mostrado muito proveitosas, pois além de levar atualização sobre temas importantes para a vida administrativa das agremiações, também estreita o relacionamento do Sindi-Clube com seus representados. Neste ano, vamos apresentar um conteúdo ainda mais interessante nos encontros, os dirigentes terão muito a ganhar em informação”, afirma.

Velejador e esportista, Bossolani começou sua atuação como dirigente no Yacht Club Paulista, onde foi também conselheiro.

Depois, no Clube Helvetia, foi diretor financeiro em duas gestões, até chegar a presidente, reeleito, com mandato até o fim de 2015.

Além disso, presidiu o Conselho Superior da Acesc (Associação dos Clubes Socioesportivos de São Paulo), da qual, atualmente, é vice-presidente.

O Helvetia, fundado em 1962, está assentado sobre um terreno de local nobre da capital, pertencente à Sociedade Beneficente Suíça.

“Mesmo uma agremiação originada de pessoas da colônia suíça guarda as características comuns a todos os clubes: quem procura a vida associativa busca interesses comuns, sem distinções. O convívio nos clubes é democrático e favorável às amizades e isso atrai outros, que vão formar um ambiente alegre e positivo, que proporciona os momentos de lazer que todos desejam. Esses atributos podem ser usados para descrever qualquer clube”, diz.

Bossolani diz sentir-se honrado em compor a diretoria do Sindi-Clube.

“Participar desse trabalho de valorização do segmento, comandado pelo presidente Cezar Roberto Leão Granieri, tem sido gratificante. Temos na diretoria do Sindi-Clube dirigentes que recriam na entidade o mesmo espírito de colaboração que desenvolvem em seus clubes”.

Visite o portal do Sindi-Clube e saiba mais de assuntos que interessam ao seu clube.

“O esporte é a melhor referência para os clubes”, diz vice-presidente do Sindi-Clube

Com a autoridade de presidir o Esporte Clube Pinheiros, um clube com 115 anos de história profundamente identificada com o esporte, Luís Eduardo Dutra Rodrigues, vice-presidente de Relações Institucionais do Sindi-Clube, não tem dúvidas em afirmar que o investimento na atividade esportiva é fundamental para o sucesso de um clube.

Dutra b “O esporte é a melhor e mais forte referência para atrair associados e fortalecer o clube. Por exemplo, quando trouxemos a Daiane dos Santos para o Pinheiros, registramos, em seguida, 300 inscrições de associados na ginástica olímpica. Temos hoje 350 atletas de alto rendimento, em 16 modalidades olímpicas. Esses esportistas estão integrados ao total de 2.800 atletas competitivos mantidos pelo Pinheiros, que é um clube formador de talentos”, explica Dutra.

De fato, o Pinheiros possui o principal centro de formação de preparação de atletas do país e apresenta como resultado dessa política esportiva a obtenção de 10 medalhas olímpicas para o país, sendo que 21 pinheirenses integraram a delegação do Brasil nos últimos Jogos Olímpicos, em Londres.

O dirigente exalta o atual momento em que o esporte é beneficiado por leis de incentivo e, mais recentemente, pela nova Lei Pelé que destina aos clubes recursos oriundos da arrecadação de loterias para projetos de formação de esportistas olímpicos e paraolímpicos.

“A Lei Pelé, além de reforçar o incentivo aos projetos esportivos dos clubes, serviu para validar a importância do setor, ao introduzir a Confederação Brasileira de Clubes no Sistema Nacional do Desporto. Com isso, os clubes, além de recursos financeiros, obtiveram o devido reconhecimento do trabalho há anos desempenhado como grandes formadores de atletas do país”, diz Dutra.

O vice-presidente do Sindi-Clube é atuante.

Além de dirigir o Pinheiros, Dutra já foi vice-presidente do Confao, Conselho de Clubes Formadores Olímpicos e presidente do Conselho da Acesc, Associação de Clubes Esportivos e Socioculturais de São Paulo.

“Participo da diretoria do Sindi-Clube, entidade que desempenha um importante papel institucional, não apenas na defesa dos interesses dos clubes, mas também como propagador das melhores práticas, com a oferta de um grande leque de serviços, que inclui universidade corporativa, programa de aprendizagem, consultorias e convênios. Historicamente, o Sindi-Clube é um prestador de serviços e o presidente Cezar Roberto Leão Granieri só tem reforçado essa marca”, afirma.

Visite o portal do Sindi-Clube e saiba mais de assuntos que interessam ao seu clube.

“Presença da mulher na política dos clubes ainda é pequena”, afirma a vice-presidente do Sindi-Clube, Maria Cecília Santa Cruz

A vice-presidente para Assuntos Educacionais, Maria Cecília Santa Cruz, não tem dúvidas sobre a presença da mulher no comando dos clubes:

M Cecilia“Ainda é muito tímida a presença das mulheres na política dos clubes. É preciso haver mais participação feminina na discussão dos destinos das agremiações para ampliar o debate e oferecer uma visão diferente da masculina, que tradicionalmente rege o setor. Com isso, os clubes só terão a ganhar, como se verifica em outros setores de atividade em que as mulheres já conquistaram o devido espaço”, afirma.

Maria Cecília aponta como características diferenciadas das mulheres sensibilidade e paciência para desenvolver trabalhos como os que comandou na Associação Atlética Banco do Brasil de São Paulo (AABB-SP).

Como vice-presidente de Relações com a Comunidade da AABB-SP, Maria Cecília instalou importantes programas sociais na década de 90, como o que incentiva a formação esportiva de crianças da periferia e de escolas vizinhas ao clube, que se mantêm até hoje.

Na AABB, Maria Cecília, que é administradora de empresas e ex-funcionária do Banco do Brasil, também ocupou as vice-presidências Financeira e de Aposentados.

Passou a compor a diretoria do Sindi-Clube em 1998, como vice-presidente de Relações Comunitárias. Depois, assumiu a vice-presidência de Assuntos Educacionais e pôde participar diretamente da implantação da Universidade Sindi-Clube e do Programa Sindi-Clube Aprendiz.

“São dois marcos fundamentais do Sindi-Clube possuir uma universidade corporativa e um programa de aprendizagem totalmente dedicados ao setor de clubes, únicos no país. Por isso, é importante que os clubes utilizem esses serviços que proporcionam formação de mão de obra e oferecem a chance do primeiro emprego para jovens”, diz.

A vice-presidente está entusiasmada com o trabalho que faz no Sindi-Clube.

“Temos um sindicato patronal muito ativo, o presidente Cezar Roberto Leão Granieri valoriza a participação da diretoria, principalmente a atuação feminina. A entidade chega muito bem estruturada aos 25 anos, com um conteúdo de serviços importante para respaldar o crescimento e o fortalecimento do setor”, afirma.

Visite o portal do Sindi-Clube e saiba mais de assuntos que interessam ao seu clube.