Palestra gratuita explica a influência do preparo comportamental nos resultados do clube

Foto: Shutterstock
Foto: Shutterstock

Não basta ao profissional ter boa capacitação técnica, é necessário também adequado preparo comportamental para relacionar-se com as pessoas com as quais convive no trabalho: colegas, liderados, chefes, clientes, fornecedores e a comunidade.

Em 27 de junho, das 10h às 12h, a Universidade Sindi-Clube oferece a palestra gratuita “A importância dos relacionamentos nos resultados”.

A exposição dá aos participantes técnicas e abordagens de relacionamento, considerando as questões de foco, objetivo esperado, identificação e tratamento das divergências.

Mostra como alcançar e relacionar-se com as pessoas essenciais ao trabalho.

Dirigida a profissionais de todas as áreas organizacionais dos clubes.

O palestrante é de Dimas Facioli, administrador especialista em programas de desenvolvimento de empresas, pessoas e negócios. Transmissão via internet.

Quando: 27 de junho, das 10h às 12h

Inscrições e mais informações no portal do Sindi-Clube.

Visite o portal  e curta a página do Sindi-Clube no Facebook para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Curso mostra como deve ser a comunicação no trabalho

Foto: Shutterstock
Foto: Shutterstock

Qual deve ser o foco da comunicação no ambiente de trabalho? A palestra da Universidade Sindi-Clube “Comunicação focada em resultados” expõe, de forma prática, o relacionamento desejado do interlocutor com seus colegas de trabalho – pares, subordinados e superiores.

São explicadas como utilizar as principais formas de usar a comunicação – e-mails, cartas, memorandos e expressão oral –, para aumentar a eficiência dos processos de orientação, aprendizado e disseminação de informações.

O palestrante é Dimas Facioli, administrador especializado em Recursos Humanos e Engenharia da Qualidade pela Unicamp.

Quando: 25 de abril, das 10h às 12h.

Visite o portal  e curta a página do SINDI-CLUBE no Facebook para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Governo quer mudanças na terceirização

shutterstock_91953062O ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, quer votar, até o fim do ano, uma proposta que permite que negociações coletivas entre patrões e empregados se sobreponham à CLT, além da regulamentação da terceirização.

Um projeto que regulamenta a terceirização chegou a ser aprovado pela Câmara e está no Senado, mas Nogueira defende mudanças no projeto.

Ele diz que o ponto de partida é determinar quais são as áreas que poderão utilizar esse tipo de contrato que ele chama de “contrato de serviços especializados”.

“Pretendemos prestigiar a convenção coletiva. Aquilo que é acertado precisa ter validade na Justiça e a Justiça não pode desconstituir aquilo que é acordado. Pretendemos oferecer uma legislação que traga segurança a isso. Eu não gosto da palavra ‘terceirizar’ porque remete à ideia de terceirizar uma responsabilidade que é sua. Eu falo em contrato de serviço especializado. Estamos trabalhando para definir quais são as atividades que serão objetos desse contrato e que será fundamental para tirar milhões de trabalhadores que hoje estão sujeitos à precarização”, afirma Nogueira.

Projeto da Câmara

A Consultoria SINDI-CLUBE esclarece que o projeto aprovado na Câmara e que, agora, pode sofrer mudanças no Senado, estabelece que empresas privadas podem terceirizar todas as atividades, sem exceção.

Atualmente, não há lei em vigor que regulamente a terceirização de atividades, apenas jurisprudência do Tribunal Superior do Trabalho, que impede a terceirização de atividades-fim.

Se o Senado não mudar o texto aprovado na Câmara, bancos poderiam contratar caixas terceirizados e clubes fazer o mesmo em relação a profissionais ligados a áreas de sua atividade-fim, como o esporte, por exemplo.

Bastaria que o custo e a qualidade fossem interessantes para o contratante.

Porém, a lei trabalhista impede que o profissional da empresa terceirizada seja subordinado ao contratante.

Na prática, o terceirizado contratado não poderia responder ao clube, o que inibiria a terceirização de atividades consideradas cruciais, como o departamento de esportes.

Cautela

Enquanto essa possível mudança não se define no Congresso, a Consultoria SINDI-CLUBE recomenda cautela ao terceirizar atividades de setores do clube, pois continua a ter vedação legal tudo que esteja diretamente ligado às atividades básicas do clube, por exemplo, o esporte, lazer, recreação, atividades culturais e sociais.

A consultoria acrescenta que um dos casos mais comuns de erro de interpretação cometido é contratar como terceiros instrutores de tênis, musculação ou dança, que fere o princípio básico da terceirização.

Esses profissionais devem ser contratados como empregados do clube.

Além de tudo, a Consultoria alerta para que as empresas contratadas recolham os encargos dos salários do trabalhador, pois o tomador do serviço, na figura do dirigente, responde solidariamente à satisfação desses direitos, pelo o que dispõe o enunciado 331 do Tribunal Superior do Trabalho (TST).

Mais de 60% dos processos trabalhistas envolvem terceirizações irregulares.

Visite o portal  e curta a página do Sindi-Clube no Facebook para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Palestra gratuita orienta como lidar com situações de conflito no trabalho

gerenciando conflitos

O conflito é um dos aspectos dos relacionamentos que sempre ocorre no trabalho e ensina como os pontos de vista diferentes muitas vezes levam a novas e melhores soluções.

A palestra gratuita da Universidade SINDI-CLUBE “Gestão de conflitos” dá exemplos práticos de soluções que podem ser aplicados no dia a dia administrativo dos clubes, para que se acentue a importância do bom relacionamento e da boa comunicação no ambiente colaborativo.

Quando: 23 de agosto, das 10h às 12h.

Aqui, inscrições e mais informações da palestra.

Visite o portal  e curta a página do Sindi-Clube no Facebook para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.