Conheça algumas curiosidades sobre as modalidades olímpicas

shutterstock_212257297Desde que começou, em março, a série de cursos sobre modalidades olímpicas para jornalistas e estudantes de jornalismo, promovida pela Universidade SINDI-CLUBE em parceria com a Aceesp (Associação de Cronistas Esportivos do Estado de São Paulo), faz sucesso entre os profissionais da mídia.

Os participantes aprenderam, além de aspectos técnicos e históricos, curiosidades dos esportes que compõem a maior competição esportiva mundial.

O Blog do SINDI-CLUBE destaca algumas delas:

Badminton: você sabia que a peteca é feita de penas de ganso? Mas só podem ser retiradas de sua asa esquerda, já que o animal repousa sobre a direita.

Arco e flecha: “Robin Hood” é o nome dado quando um arqueiro crava uma flecha na traseira da outra. E o arqueiro pode levá-la para casa, como um “troféu” de seu feito.

Hóquei sobre grama: pouco conhecido no Brasil, é o terceiro esporte mais praticado no mundo. A Índia venceu mais da metade das medalhas de ouro da modalidade em Olimpíadas.

Taekwondo: os atletas gritam durante a execução dos golpes para colocar medo e impressionar os oponentes.

Ginástica artística: quem vê a delicadeza e sofisticação das ginastas não imagina que a modalidade, nascida na Grécia e no Egito por volta de 2600 aC, era utilizada como treinamento militar.

Levantamento de peso: surgiu de uma disputa, nos povos antigos. Quem erguesse os objetos de maior peso era o chefe do grupo. Pouco mais tarde, o esporte tornou-se um tipo de preparação para guerra.

Nado sincronizado: antes de entrar para os Jogos Olímpicos era apresentado em teatros. É uma das poucas modalidades praticadas apenas por mulheres. Existem caixas de som embaixo d’água para as atletas ouvirem a música e não sair do ritmo.

Os cursos sobre modalidades olímpicas prosseguem até junho.

Interessados em participar devem mandar e-mail para contato@sindiclubesp.com.br, com nome, telefone e empresa ou faculdade.

Assista aos vídeos

TV SindiClube_verticalQuem quiser saber mais sobre as modalidades olímpicas já apresentadas pode assistir a íntegra de alguns cursos na TV SINDI-CLUBE.

Estão disponíveis no canal as exposições sobre ginástica artísticabadmintontiro com arcoluta olímpica e hóquei sobre a grama.

Visite o portal  e curta a página do Sindi-Clube no Facebook para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Atletas ensinam prática a jornalistas em curso sobre tiro com arco

20160302_111544 bNo segundo curso da série que a Universidade Sindi-Clube promove para jornalistas a marca foi a interação dos participantes com os expositores.

Os jornalistas, além de obterem conhecimentos sobre regras e técnicas da modalidade, participaram de uma clínica com atletas experientes, na qual puderam testar a pontaria, atirando em um alvo montado pela Federação Paulista de Arco e Flecha.

Divulgação importante

Pereira: divulgação do esporte
Pereira: divulgação do esporte

O Presidente da Federação, Marcelo Pereira, ressalta os benefícios que a exposição trará para o a divulgação do esporte.

“É um contato excelente e muito prazeroso, com o Sindi-Clube e com os jornalistas. O intuito do curso é promover modalidades pouco conhecidas e evidencia-las tanto quanto outras com mais visibilidade. O conhecimento aprofundado é essencial para que as matérias e reportagens estejam bem feitas”, acredita.

Santos: modalidade mais visível
Santos: modalidade mais visível

Roberval dos Santos, atleta da federação, destaca a importância de ações como esta no ano olímpico.

“É bom saber que as entidades estão interessadas em falar sobre esporte para jornalistas, que fazem a divulgação para o público. Precisamos que o tiro com arco seja mais familiar para os brasileiros, assim como futebol, vôlei e natação, e os meios de comunicação são a melhor ferramenta para tornar isso possível”, conclui.

Chances na Paraolimpíada

Fabíola Dergovics participará da Paraolimpíada do Rio e esteve presente ao curso para demonstrar a prática do arco e flecha aos participantes.

A atleta, em entrevista exclusiva para o Blog do Sindi-Clube, fala sobre sua trajetória, a preparação para competir e suas expectativas para os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos.

Confira na íntegra:

Cursos com inscrições abertas

As inscrições para curso das próximas modalidades estão abertas. Veja o calendário no portal do Sindi-Clube.

Os interessados devem enviar um e-mail para
cursos@sindiclubesp.com.br com nome completo, empresa, e-mail, telefone e, caso tenha interesse em receber a Revista dos Clubes, endereço completo.

Visite o portal  e curta a página do Sindi-Clube no Facebook para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Conheça as modalidades olímpicas: tiro com arco

Marcus Vinicius: promessa para 2016
Marcus Vinicius: promessa para 2016

Nos Jogos Pan-Americanos de Toronto 2015, no Canadá, o Brasil quebrou jejum de 32 anos ao ganhar medalha no tiro com arco.

Na competição masculina, a equipe brasileira conquistou o bronze ao derrotar Cuba por 5 a 3.

Os atletas que trouxeram a medalha foram Daniel Rezende Xavier, Bernardo Oliveira e Marcus Vinícius D’Almeida, revelação de apenas 17 anos.

Marcus Vinícius é promessa de medalha nas Olimpíadas Rio-2016. No final de julho, terminou em quinto no Mundial de Copenhagen, na Dinamarca.

O jovem arqueiro já havia conquistado uma prata no Mundial de Tiro com Arco, na Suíça, em 2014.

O Brasil não ganhava medalha no tiro com arco desde o Pan de Caracas, em 1983.Já no feminino, as brasileiras não passaram das quartas de final por equipes.

Pelo torneio individual, Ane Marcelle dos Santos, Larissa Feitosa e Sarah Nikitin foram eliminadas nas oitavas de final.

Com atuais conquistas, a modalidade busca mais popularidade e boa divulgação em 2016.

Visite o portal do Sindi-Clube e saiba mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Conheça as modalidades olímpicas: tiro com arco

Marcus Vinicius - CBTARCO
D’Almeida: esperança de medalha (Foto: CBTARCO)

O atleta brasileiro que promete colocar o tiro com arco em destaque na Olimpíada Rio 2016 tem apenas 16 anos.

 Marcus Vinicius D’Almeida, na primeira semana de setembro, ganhou medalha de prata, após disputar a flecha desempate, na Final da Copa do Mundo da modalidade.

D’Almeida também foi medalha de prata nos Jogos Olímpicos da Juventude, em Nanquim, na China, e tornou-se o mais jovem da história na final de uma Copa.

marcus_vinicius_copa_do_mundo_Foto- World Archery
(Foto: World Archery)

Em um ano em que não há disputa de campeonato mundial no tiro com arco, a final da Copa do Mundo é a competição mais importante.

No ano passado, no mundial da Turquia, em setembro, a atleta Sarah Nikitin, de 24 anos, ficou em oitavo lugar, com o arco recurvo, resultado inédito que colocou a arqueira entre as melhores do mundo.

Em Londres, o Brasil só foi representado por um atleta, que ficou na 33ª posição.

Os bons resultados deixam otimista Eros Fauni, coordenador técnico da Confederação Brasileira de Tiro com Arco:

“Para a Olimpíada de 2016, a perspectiva é de que, pelo menos, um atleta fique entre os oito melhores colocados. O tiro com arco está evoluindo e nossos atletas têm obtido colocações inéditas”. A primeira participação do Brasil em Olimpíadas foi em 1980, nos Jogos de Moscou.

Visite o portal do Sindi-Clube e saiba mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Conheça as modalidades paraolímpicas: tiro com arco

Modalidade está na Paraolimpíada desde a primeira edição. (Crédito: CPB)
Modalidade está na Paraolimpíada desde a primeira edição. (Foto: CPB)

O tiro com arco é uma das mais tradicionais modalidades dos Jogos Paraolímpicos e esteve presente em todas as edições, a começar de Roma, em 1960.

Desde o início, as provas eram disputadas por homens e mulheres.

Além das provas individuais, a modalidade ainda conta com a disputa por equipes.

Competem tetraplégicos, paraplégicos e pessoas com mobilidade limitada nos membros inferiores.

As regras da modalidade são quase as mesmas das adotadas pela Federação Internacional de Tiro com Arco.

Uma distância de 70 metros separa os atletas do alvo, que mede 1,22 metro de diâmetro, sendo formado por dez círculos concêntricos.

O mais externo vale um ponto. A partir daí, quanto mais próxima do círculo central estiver a flecha, maior a pontuação obtida.

O formato de disputa do tiro com arco é chamado de round olímpico.

Um total de 96 arqueiros – 64 homens e 32 mulheres – participam da competição, tanto no individual como por equipe.

O Brasil ainda não obteve conquistas de medalhas nessa modalidade paraolímpica.

Visite o portal do Sindi-Clube e saiba mais de assuntos que interessam ao seu clube.