Os perigos do excesso de exercícios

shutterstock_95020909Turíbio Barros*

Exercício físico é reconhecidamente a atitude mais importante para prevenir doenças, promover saúde e qualidade de vida, melhorar a autoestima, trazer resultados estéticos e até prolongar a expectativa de vida.

O que existe, entretanto, é um limite entre benefício e prejuízo.

É claro que não devemos ter receio de fazer exercício com medo de ter prejuízo.

Na verdade são até raras as situações que caracterizam prejuízo à saúde por excesso de atividade física.

Apesar de raras, essas situações existem e devem ser evitadas.

Podemos dividir os perigos do excesso de atividade de acordo com sua origem:

  • Excesso de exercício prejudicando o aparelho locomotor

Essas são situações em que o aparelho locomotor age como um fator de proteção. Quando exageramos na intensidade, na duração ou mesmo quando realizamos atividades não habituais com certo exagero, surgem os sinais e sintomas de sequelas do aparelho locomotor. São, geralmente, processos inflamatórios de músculos, tendões, ou mesmo problemas articulares que “acusam” o excesso cometido e representam um sinal do corpo nos “aconselhando” a adequar melhor a natureza e a intensidade da atividade realizada.

Quando respeitamos esses sinais de proteção, certamente não teremos nenhum prejuízo futuro e poderemos usufruir de todos os benefícios que a atividade física regular proporciona.

  • Excesso de exercício trazendo prejuízos crônicos

Quando o excesso de atividade não é “sinalizado” pelo aparelho locomotor ou, principalmente, quando esse sinal é ignorado, podemos ter consequências que assumem uma proporção que pode ser mais grave. O excesso de atividade física pode acometer o eixo regulador da secreção de determinados hormônios. A origem do problema costuma ser atribuída ao estresse detectado em uma área do sistema nervoso central chamada hipotálamo. Nessa área existe uma verdadeira central reguladora da produção de vários hormônios, particularmente aqueles produzidos pela glândula hipófise. Quando um quadro crônico de estresse exagerado provocado pelo excesso de exercícios se instala, os distúrbios hormonais podem ser vários. Os mais frequentes são os que se constatam por alterações do ciclo menstrual na mulher e por diminuição da fertilidade no homem. É importante que se diga que, para esse quadro aparecer, o exagero cometido foi realmente grande. Nesse caso, se não reduzirmos a intensidade dos exercícios, o quadro evolui para outros problemas como perda de massa óssea, alterações de sono, apetite, humor e perda até do próprio rendimento físico.

O interessante é que, na mulher, a alteração do ciclo menstrual é um sinal de alerta que permite a detecção precoce do quadro. Por outro lado, o homem dificilmente vai poder notar o sinal biológico de redução de fertilidade que é o sinal análogo ao que ocorre na mulher.

Devemos, portanto, estar atentos para evitar estes prejuízos, que, apesar de existirem, não devem de maneira nenhuma desestimular ninguém a fazer exercícios, representando, na verdade a constatação de que para a atividade física não vale o conceito de “quanto mais melhor”!

Colaboração: Gerseli Angeli

*Turíbio Barros é mestre e doutor em Fisiologia do Exercício pela EPM (Escola Paulista de Medicina). Foi membro do American College of Sports Medicine, fisiologista do São Paulo FC e coordenador do departamento de fisiologia do E C Pinheiros. Atualmente, escreve para o site EuAtleta e mantém seu site www.drturibio.com

Visite o portal do Sindi-Clube e saiba mais de assuntos que interessam ao seu clube.

 

Quem corre deve fazer musculação ou outra atividade complementar?

1

Gustavo Luz*

A musculação não deve ser encarada como uma atividade indispensável para os corredores.

Ela tem a sua importância e, dependendo do seu objetivo, pode ser uma grande aliada para você encarar os seus desafios.

Mas você pode não gostar de malhar e preferir fazer outra atividade complementar ou pode não ter tempo para nada disso, é corrida e olhe lá.

Mas fique tranquilo, não malhar não significa que você vai se machucar.

Se você consegue fazer musculação de forma regular, seus músculos tendem a ficar mais resistentes e, com isso, se o seu negócio é desempenho e velocidade, você talvez passe a ter a capacidade de tolerar um treinamento mais intenso e, se consegue treinar mais forte, talvez possa alcançar metas mais difíceis.

Se você não curte malhar e prefere fazer apenas outra atividade complementar à corrida, não tem problema, pode fazer.

Atualmente o corredor tem várias opções, como, por exemplo, o Pilates, que veio pra ficar e desenvolve um belo trabalho de alongamento e força.

Os sistemas de treinamento funcional estão avançando e se solidificando (com vários exercícios interessantes para os corredores).

Os treinos na areia, com movimentos de saltos, ziguezagues, agachamentos e piques.

Ou mesmo um outro exercício simples de agachamento ou com uso de elásticos em casa mesmo.

Todas essas atividades também têm o objetivo de promover uma melhora geral no seu corpo.

Entretanto, tenha a sensibilidade de identificar quanto de musculação ou dessas outras atividades faz bem para você.

É importante ter tempo pra descansar desses treinos e cuidados para se alimentar de forma ainda mais criteriosa.

Treinar musculação demais, por exemplo, pode atrapalhar o período de descanso da corrida e, com isso, uma atividade que teria vindo para somar no ganho de condicionamento pode atrapalhar o seu desempenho nas corridas.

Mas se você não gosta de musculação ou não consegue nada além do tempo pra treinar corrida?

Relaxe, existem coisas na sua vida que podem não mudar e pode ser que você tenha que correr pelo resto da vida sem malhar.

Talvez a maior causa dos machucados nos corredores seja o excesso de treinos, não a falta de musculação ou algo complementar.

E se você já sabe que a sua realidade é essa, de uma maneira geral, pegue mais leve nos treinos, faça as progressões de volume e de intensidade com mais cuidado, talvez valha a pena fazer algumas caminhadas no seu longão ou diminuir a intensidade daquele treino intervalado que te deixa exausto no final.

Fique atento ao equilíbrio entre as práticas esportivas e as coisas que você faz durante o dia.

Se em um dia chegar mais cansado do trabalho, malhe mais leve ou faça um pouco menos da aula de Pilates.

Não force a barra para fazer as atividades complementares se estiver com sono ou muito dolorido de um treino de corrida.

Nesse caso, talvez seja melhor trocar o uma hora de treino por uma hora de sono.

Se você souber dosar e administrar todos os seus dias, vai tirar o melhor proveito das atividades fora da corrida e continuará sem se machucar.

*Gustavo Luz Távora, educador físico, treinador de corrida e triatlo desde 2006 e praticante há quase 15 anos. Diretor técnico da G-Luz Top Team, vive atento a tudo que se refere a fisiologia do exercício. Também fala com o conhecimento empírico de quem está sempre frequentando as competições.

Visite o portal do Sindi-Clube e saiba mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Uso do frequencímetro durante as atividades físicas é fundamental

shutterstock_142335877

Nabil Ghorayeb*

Não são poucas as pessoas que não acham necessário o uso de um frequencímetro, um medidor da pulsação/minuto com uma cinta no tórax que “sente e registra” os batimentos cardíacos, enviando sinais ao relógio receptor no pulso durante toda a atividade física, com o argumento de que o esportista deve estar acostumado com meus limites físico/cardiológicos.

A recomendação médica é clara: deve-se conhecer a pulsação (frequência cardíaca-FC) que deve ser atingida e aquela que não pode ser superada numa atividade física regular, exatamente por razões fisiológicas de um treinamento e limites de ordem médica.

A utilização desses aparelhos veio facilitar os objetivos de preparação e de saúde.

Alguns modelos têm chips e programas inteligentes para serem usados em computadores e, assim, poderão ser aferidos, além da pulsação instantânea digital, o consumo de oxigênio, gasto de calorias etc.

Aliás, isso fez com que eles fossem utilizados por atletas de todas as categorias, e recomendados até na reabilitação cardiovascular de cardiopatas, em que pode-se controlar importantes limites do sistema cardiovascular, durante o exercício físico, com base na frequência cardíaca alcançada no teste ergométrico, feito ou acompanhado in loco por cardiologista habilitado nesse exame.

Possíveis riscos cardíacos, como as arritmias desencadeadas no esforço físico e outros problemas sem sintomas, poderão ser evitadas se o esportista mantiver a pulsação nas faixas seguras determinadas pelo médico.

Sabe-se que o treinamento dentro da frequência cardíaca alvo por vários minutos, melhora muito o rendimento atlético e traz benefícios para a saúde.

Para os que não podem ter um frequencímetro, existem soluções alternativas razoáveis: usar a mão espalmada no peito (logo abaixo do mamilo esquerdo) contando os batimentos do coração ou tentar contar os batimentos pelo pulso.

Um alerta necessário e pouco conhecido: deve-se evitar a palpação das carótidas, com dois dedos na lateral do pescoço, pelo risco de provocar desmaio (síncope), consequente à compressão de uma estrutura chamada bulbo carotídeo, onde se localizam receptores da pressão arterial e da pulsação do nosso corpo.

Algumas pessoas têm bulbo muito sensível ao toque, em especial após os 60 anos, que, se for intenso, traz riscos até de uma parada cardíaca.

Portanto, essa manipulação sempre deve ser evitada.

Corridas ou outras atividades físicas são mais bem aproveitadas quando se utilizam informações fisiológicas da frequência cardíaca registrada no teste ergométrico prévio.

*Nabil Ghorayeb, doutor em Cardiologia, é especialista  em  Cardiologia  e Medicina do Esporte e mantém o site CardioEsporte onde podem ser lidos mais artigos com informações e dicas úteis para a saúde.

Visite o portal do Sindi-Clube e saiba mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Conheça 8 aplicativos de celular gratuitos para saúde e fitness

shutterstock_177308354_ok5’ Minutos Eu Medito

O aplicativo tem o objetivo de incentivar a meditação como fator de melhora da qualidade de vida das pessoas. Você pode programar seu horário e controlar seu tempo de meditação.

Traz informações de como meditar corretamente e explicações sobre os benefícios deste tipo de exercício (como a melhora do humor ao longo do dia, por exemplo).

É um aplicativo criado para lembrar você da hora certa de meditar.

Versão: Free
Plataformas: Android e iOS
Site: http://www.eumedito.org/

 Beba Água (Water Your Body)

Este app te lembra de beber água em intervalos regulares todos os dias, rastreia seus hábitos de consumo de água e depois fornece estatística. Você só precisa colocar o seu peso atual e o aplicativo calcula a quantia ideal de água que seu corpo precisa todos os dias.

Versão: Free
Plataformas: iOS

Carenet Longevity

O app brasileiro inova ao oferecer a possibilidade de monitorar e integrar informações de todas as áreas de importância crítica para sua saúde: não só atividades físicas, mas também sono, alimentação e até informações médicas. Com o auxílio de questionários simples e do KliP – um dispositivo equipado com sensores que monitoram suas atividades – o app mostra como mudanças comportamentais impactam no processo de envelhecimento permitindo um maior cuidado de sua qualidade de vida.

  • Permite desafios e competições com rede de amigos ou desconhecidos.
  • Agenda e histórico médico.
  • Contador de calorias.

Versão: Free (mas sem o KliP – em torno de R$199 – os dados precisam ser inseridos manualmente)
Plataformas: Android e iPhone
Site: http://carenet.com.br

Endomondo

Um verdadeiro personal trainer de bolso. O aplicativo promete controle de atividades físicas, calorias perdidas, tempo gasto, periodicidade dos exercícios físicos dentre outras estatísticas e desafios. Ideal para corrida, ciclismo, caminhada e qualquer outra atividade baseada em distância. Oferece suporte para mais de 40 atividades distintas.

  • Feedback sonoro.
  • Funciona com monitores cardíacos padrões BTLE, BT e ANT+.
  • Análise de performance.

Versão: Free e Premium (USD 29,99)
Plataformas: iOSAndroidBlackberry e Windows Phone
Site: https://www.endomondo.com/

My Fitness Pal – Contador de Calorias

App para controle nutricional. Promete ajudar a perder os quilos extras através do contador de calorias e registro de atividades físicas. Possui um banco de dados de alimentos de mais de 3 milhões de alimentos.  Você pode monitorar todos os principais nutrientes, obter relatórios de progresso, metas personalizadas baseadas em seu perfil de dieta, além de uma calculadora de receitas, com unidades métricas brasileiras e inglesas.

  • Integra os dados do app no site e compartilha progressos nas redes sociais.
  • Scanner de código de barras.
  • Grava refeições.
  • Monitora mais de 350 exercícios.

Versão: Free
Plataforma: AndroidiOsWindows Phone
Site: http://www.myfitnesspal.com.br/

Saúde Mais Fácil

Esse aplicativo de iniciativa da Roche permite localizar farmácias privadas pertencentes ao programa Farmácia Popular do Ministério da Saúde, Centros de infusão de medicamentos do sistema público e privado para as seguintes áreas terapêuticas: Oncologia, Hematologia e Reumatologia e centros de dispensação de medicamentos para doenças autoimunes como a Artrite Reumatoide. Com apenas alguns toques na tela, a busca pode ser feita por geolocalização, tipo de estabelecimento ou, ainda, por região (estado, cidade, bairro) do estabelecimento e/ou usuário.

Versão: Free
Plataformas: Android e iOs

SleepBot – Sleep Cycle Alarm

Um app para monitorar o seu sono. Aciona o alarme do telefone te lembrando do horário ideal para dormir e te acordando na fase mais leve. Ele usa um acelerômetro para medir seus movimentos e também permite gravar sons. Oferece depois estatísticas sobre a qualidade geral do seu sono. Você vai ter que dormir literalmente com o celular por perto e o app recomenda deixá-lo ligado para preservar a bateria (o que não parece muito seguro..).

Versão: Free
Plataforma: Android e iOs
Site: https://mysleepbot.com/

Yoga.com Studio

O aplicativo oferece 289 poses e exercícios de respiração, em 37 programas pré-definidos. Traz demonstrações de vídeo HD para todas as poses, além de imagens musculares em 3D para cada pose. Em inglês. Os usuários reclamam do inconveniente de ter que baixar cada pose individualmente consumindo a memória do telefone.

Versão: Free
Plataforma: Android
Site: https://yoga.com/

Mais informações no site Vida Plena, que oferece respostas para quem busca ter a vida com plenitude e bem-estar.

Visite o portal do Sindi-Clube e saiba mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Por que exercícios físicos 30 minutos por dia

oste03

Nabil Ghorayeb*

Em 1996, o Ministério da Saúde norte-americano publicou uma pesquisa feita em cinco anos com a população, concluindo que caminhar acelerado 30 minutos por dia diminui o risco de um ataque cardíaco em 34%, tanto em homens como em mulheres.

Além disso, foi sugerido que subir escadas, três lances por dia, sete dias da semana faria o mesmo efeito.

Essas pesquisas começaram anos antes, trazendo novas informações para diminuir os efeitos danosos da vida sedentária para a população.

A primeira e mais impactante foi de um pesquisador inglês sobre as doenças que acometiam os funcionários aposentados dos ônibus vermelhos de dois andares de Londres.

Descobriu-se que os motoristas desses ônibus, que passavam a maior parte do tempo sentados, tinham mais casos de infarto do miocárdio do que os cobradores que se sentavam muito pouco, pois subiam e desciam as escadas o tempo todo do trajeto dos veículos.

Outra pesquisa interessante foi acompanhar por informações pessoais ou de familiares a vida médica por 16 anos de ex-alunos de Harvard – os que mantiveram vida ativa fisicamente, comparados com quem ficou sedentário.

O resultado foi que esses últimos tiveram 50% mais doenças cardiovasculares que os ativos que praticavam esportes, corridas ou outras atividades físicas.

O que chamou a atenção foi que os benefícios detectados apareciam meses depois de mantido um gasto médio semanal de 2000 calorias em exercícios físicos.

Importante: gastar calorias e exercitar-se regularmente têm ganhos para a saúde só se mantiver as atividades físicas!

Não existe poupança de benefícios que você tenha feito por um tempo, parando depois, por diversos motivos.

O exercício físico não é vacina para as doenças em geral.

Parou? Em pouco tempo desaparecem os benefícios.

É como se nunca tivesse feito exercícios na sua vida.

Vamos manter as atividades físicas em dia, só assim você poderá buscar saúde plena.

*Nabil Ghorayeb, doutor em Cardiologia, é especialista  em  Cardiologia  e Medicina do Esporte e mantém o site CardioEsporte onde podem ser lidos mais artigos com informações e dicas úteis para a saúde.

Visite o portal do Sindi-Clube e saiba mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Sempre (só) aos domingos

Pesquisa aponta que prática de atividade física de modo intenso, somente uma vez por semana, aumenta em quase três vezes o risco de complicações ortopédicas e cardíacas

Foto: Shutterstock
Foto: Shutterstock

Nabil Ghorayeb*

Foi música de filme famoso nos anos 60, hoje é titulo do nosso post.

Sem dúvida, o sedentarismo que atinge 80% da população deve ser fortemente combatido, porém com opções possíveis de serem seguidas por todos.

Desde para a criança como até o mais longevo, a atividade física deve ser estimulada.

As pesquisas consistentes pelo mundo afora seja de médicos como de outros profissionais da saúde, liderada pela OMS (Organização Mundial da Saúde), mostram redução das doenças crônicas degenerativas e até comportamentais, nos indivíduos chamados de ativos.

Em relação a internações e faltas ao trabalho os números mostram 35% a 40% de aumento desses itens nos sedentários, para tratamento dessas mesmas doenças nos ativos.

As despesas com saúde caem brutalmente onde a população é mais ativa segundo estudo mundial dos fatores de risco conhecido como Interheart.

A nossa Sociedade Brasileira de Cardiologia, pelo seu Departamento de Exercicio, Esporte e Reabilitação Cardiovascular (DERC) tem debatido profundamente a atividade física e o esporte nos Congressos de Cardiologia.

Bem e quem só se movimenta aos domingos ?

Sabemos que qualquer decisão de se mexer é benéfica, mas se for só aos domingos e de modo intenso, o risco de complicações ortopédicas e cardíacas chega a aumentar 2,7 vezes, segundo pesquisa publicada no JAMA (Journal of American Medical Association).

Se for sempre aos domingos, então, caminhe apenas e não espere resultados espetaculares, serão modestos, mas melhores do que ficar parado!

O recomendado é no mínimo três vezes por semana de 60 minutos ou 30 minutos diariamente, com velocidade das caminhadas ao redor de 100 metros por minuto.

A avaliação médica para simples caminhadas não deve ser um obstáculo, mas não custa conhecer suas condições clinicas mínimas, numa consulta simples e um eletrocardiograma.

Mais intensidade ou esportes, aí sim inclua o teste ergométrico com um médico presente SEMPRE.

*Nabil Ghorayeb, doutor em Cardiologia, é especialista  em  Cardiologia  e Medicina do Esporte e mantém o site CardioEsporte onde podem ser lidos mais artigos com informações e dicas úteis para a saúde.

Visite o portal do Sindi-Clube e saiba mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Idosos devem praticar atividades físicas de forma moderada

esporte idosoPor Nabil Ghorayeb*

Notícias recentes nos informam que, nos últimos anos, ocorreu um aumento marcante de frequentadores de corridas de rua e de academias com mais de 60 anos.

O que está acontecendo?

Sem dúvida, a influência da mídia valorizando os eventos esportivos e a visível melhora da qualidade de vida dos esportistas fizeram com que muitas pessoas decidissem se movimentar.

No Brasil, idosos são aqueles com mais de 60 anos e no resto do mundo, os com mais de 65 anos.

Para colocar os idosos nos exercícios, deve-se insistir bastante, é preciso fazer uma avaliação médica especializada (cardiologia e esporte) para detectar possíveis doenças comuns nessa idade e depois começar com orientação de um profissional de educação física, obedecendo aos limites detectados pelo médico.

As recomendações internacionais e brasileiras sugerem a intensidade moderada e o volume de três a quatro vezes semanais, com duração de 60 minutos.

Caso o objetivo seja esportivo, comunique seu médico.

Nas disputas mais inocentes é que acontecem as lesões mais sérias.

Antes do exercício, é importante o aquecimento por 15 minutos.

Durante o exercício, procure manter a pulsação ao redor do valor 195 menos a sua idade ou, então, naquele limite baseado no teste ergométrico.

Terminada a prática, faça 15 a 20 minutos de caminhadas lentas (para esfriar: deve parar de suar) e se hidrate com água ou sucos naturais.

Isotônico, só se tiver perdido mais de 1,5 kg ou tiver passado de duas horas de exercícios intensos.

Aliás, pergunte ao seu médico se pode tomá-los, pois há contraindicações para hipertensos, diabéticos e grávidas.

Para exercícios de força, tenha muita calma e evite querer superar limites.

Lembre-se de que temos limitações naturais acima de 50 anos.

O consumo de suplementos e hormônios deve ser evitado.

Quanto à alimentação, deve ser leve e fracionada pelo dia em seis vezes iguais.

As modalidades esportivas ou de exercícios mais recomendadas são as que não têm choques corporais, de preferência a corrida de rua, associando fortalecimento muscular durante duas vezes por semana.

Para praticar outros esportes como futebol, vôlei e basquete, converse com seu médico para obter a liberação.

Retire o idoso da poltrona da frente da televisão e coloque-o, ao menos, para caminhar um pouco todos os dias.

*Nabil Ghorayeb, doutor em Cardiologia, é especialista em Cardiologia e Medicina do Esporte, mantém o site CardioEsporte onde podem ser lidos mais artigos com informações e dicas úteis para a saúde.

Visite o portal do Sindi-Clube e saiba mais de assuntos que interessam ao seu clube.

A natação é considerada a atividade física mais completa entre os médicos

natação foto

Por Nabil Ghorayeb*

Devo começar o artigo com alertas médicos para iniciantes.

A fama da natação entre os fisiologistas e médicos é de ser o mais completo dos exercícios e também auxiliar no tratamento de asma e bronquite.

Afinal, a musculatura torácica irá se desenvolver bem e o ar respirado ao nadar sempre estará umedecido pelas micro gotículas de água que pairam a centímetros da superfície d’água, o que ajuda a fluidificar as secreções comuns e muito incomodativas por piorar a qualidade de vida.

O médico do esporte deve orientar o atleta para fazer um check list antes de qualquer evento esportivo.

A começar por informações sobre suas condições de saúde, principalmente em provas marítimas, pois sabemos que no caso de um mal estar qualquer, não existirão condições de ajuda eficiente, bem diferente do que ocorre em uma prova no solo.

Muito bem! Já avaliada sua boa condição médica, considerado bem preparado fisicamente e, do ponto de vista de nutrição já sabendo o que comer e beber antes de praticar, as recomendações para preservar suas energias para esta tradicional prova começa com um bom sono durante a noite.

Deve-se prestar atenção às condições ambientais em geral, ou seja, clima e temperatura ambiente e da água.

Enxergue os acessos e as demarcações da água para não se confundir durante a prova.

Também não se esqueça de um bom protetor solar.

Comer e nadar, em princípio, não há grandes problemas, salvo se a pessoa tem alguma doença cardiovascular, pelo risco de sentir mal estar digestivo e ter desmaio ou outro problema médico.

Caso não esteja se sentindo bem, não force e pare imediatamente.

*Nabil Ghorayeb, doutor em Cardiologia, é especialista em  Cardiologia  e Medicina do Esporte e mantém o site CardioEsporte onde podem ser lidos mais artigos com informações e dicas úteis para a saúde.

Visite o portal do Sindi-Clube e saiba mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Saiba quais exames devem ser feitos antes de praticar uma atividade física

teste ergo

Por Nabil Ghorayeb*

Tenho certeza que de um jeito ou de outro já ouviram falar dos exames indicados.

Mas, pelas perguntas que tenho recebido, vamos explicar melhor.

As Sociedades de Cardiologia e de Medicina do Esporte e Exercício publicaram um documento oficial chamado de Diretrizes em Cardiologia do Esporte com orientações para os médicos nas Avaliações Pré-Participação.

Isto é, o que deve ser feito antes da atividade física esportiva e até mesmo no momento de lazer.

Tudo começa por uma consulta especializada, em que é visto o histórico familiar e pessoal de problemas médicos, como desmaiostonturasdores do peitofalta de ar e etc.

O uso arriscado e indevido de substâncias lícitas como os anabolizantes, hormônios e estimulantes e ilícitas, como a maconha, cocaína e outras.

Sugere-se como importante conhecer com detalhes os antecedentes esportivos do examinado: quando começou, quantas vezes semanais, que posição jogava ou se corria e quanto treinava.

Em seguida, o eletrocardiograma, exame que mostra se tem ou teve algum problema cardíaco.

Outro importante é o hemograma, para detecção de anemias e infecções etc.

Demais exames, o médico que irá decidir quais devem ser solicitados.

A Diretriz orienta para pedir exames baseados na idade e na modalidade esportiva do cliente.

Se for fazer só caminhada ou se vai correr 3, 5, 10 km, meia maratona ou maratona inteira, se vai treinar lutas numa academia ou se quer treinar levantamento de peso, seja para estética ou para competição.

O cliente deve estar atento para explicar as suas intenções esportivas.

O próximo exame é o teste ergométrico, que, por regulamentação federal, só deve ser feito por médico presente e individualmente, nada de dois exames ao mesmo tempo pelo mesmo médico.

Caso não tenha um médico, melhor não realizar o exame.

Outro, o ecocardiograma, não é de rotina, e sua solicitação irá depender das suspeitas do médico na consulta inicial.

Um atleta profissional tem a recomendação de fazer todos os exames citados, dentro de uma rotina peculiar, seja qual for o esporte.

Nós, médicos, desejamos que o esporte e a atividade física regular tragam mais saúde e bem estar, pois se sabe que nunca vão causar danos se praticados com orientação profissional.

Afinal, os eventos médicos que acontecem são consequência de doenças não diagnosticadas ou não valorizadas e, pior, pelo uso crescente de substâncias de risco como os anabolizantes, hormônios e estimulantes.

Quero alertar para recente determinação do Conselho Federal de Medicina de número19/2013:

“A utilização de anabolizantes e hormônios de crescimento em quem não tem indicação de seu uso não deve ser realizada com a finalidade de aumentar sua massa muscular ou seu porte físico”

Esporte deve ser sempre SAÚDE!

*Nabil Ghorayeb, doutor em Cardiologia, é especialista em Cardiologia e Medicina do Esporte. Mantém o site CardioEsporte, em que podem ser lidos mais artigos com informações e dicas úteis para a saúde.

Visite o portal do Sindi-Clube e saiba mais de assuntos que interessam ao seu clube.