Presidente, você sabia?

presidentevcSenhores Presidentes, confiram neste post vários aspectos relevantes que cercam o dia a dia dos clubes.

Os itens abaixo tratam de importantes questões das áreas jurídica, formação esportiva e marketing.

Então, Presidente, você sabia?

Que é privativo do Comitê Olímpico Brasileiro e do Comitê Paraolímpico Brasileiro o uso das bandeiras, lemas, hinos e símbolos olímpicos e paraolímpicos, assim como das denominações “jogos olímpicos”, “olimpíadas”, “jogos paraolímpicos” e “paraolimpíadas”?

Que a proibição do uso dos símbolos olímpicos está expressa na Lei Pelé (9.615 de 1998), com alterações da Lei nº 9.981 de 2000, em seu artigo 15?

Que os administradores devem estar atentos às restrições que atingem os clubes durante o período da propaganda eleitoral e que a grande maioria dos estatutos sociais das associações já estabelece que o clube está impedido de participar de movimentos políticos (e religiosos), bem como ceder instalações para esse fim?

Que a Lei de Incentivo Federal abriu inscrições em 1º de fevereiro para receber a documentação de projetos esportivos ou paraesportivos que pleiteiam verbas da Lei de Incentivo ao Esporte e que o prazo para protocolar propostas vai até 15 de setembro?

Que os clubes têm à disposição uma consultoria especializada, pronta para responder a todas as dúvidas sobre leis de incentivo?

Que, para ter acesso a esse serviço, basta encaminhar as perguntas pelo e-mail projetosincentivados@sindiclubesp.com.br?

Que Segundo Peter Drucker, guru da administração, “mais de 60% dos problemas e conflitos de uma empresa estão ligados a falhas na comunicação” – já imaginou seu clube com 60% a menos de problemas?

Que, para isso, é importante ter as áreas de comunicação e marketing muito bem estruturadas, valorizadas e alinhadas com todos os departamentos e a diretoria?

Que o associado de clube é um dos tipos de clientes mais fiéis que existem e que contemplá-lo com serviços de qualidade, por meio de canais de relacionamento eficazes, fazem dele formador de opinião e um dos os melhores divulgadores do clube?

Se, depois da leitura dessas perguntas, o presidente mostrou-se inteirado de todas essas questões, parabéns!

Porém, em caso de dúvida, procure esclarecimentos do Sindi-Clube, sempre a postos para orientá-lo: (11) 5054-5464 ou juridico@sindiclubesp.com.br

Visite o portal  e curta a página do Sindi-Clube no Facebook para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Projetos incentivados dos clubes têm apoio de consultoria especializada do Sindi-Clube

shutterstock_103375553Os clubes têm à disposição, atualmente, um grande volume de recursos propiciados pelas leis que oferecem incentivo para o desenvolvimento de projetos esportivos.

Atento a essa possibilidade, o Sindi-Clube coloca à disposição de seus associados uma consultoria especializada em dar suporte para a correta apresentação de projetos incentivados com verbas públicas.

O novo serviço disponibiliza apoio aos clubes que desejam desenvolver projetos esportivos e apresentá-los para obter recursos por meio das leis de incentivo federal, estadual e municipal, e também pela nova Lei Pelé.

O objetivo é instruir gestores de clubes para que não cometam erros que levam à rejeição das propostas.

O consultor do novo serviço é Ricardo Paolucci que, desde 2008, atua como gestor esportivo especializado em projetos incentivados.

Ele ministra cursos e palestras em todo o país sobre o tema e também é instrutor da Universidade Sindi-Clube.

Com essa experiência, o especialista, que foi premiado pela CBC como Gestor Esportivo do Ano, em 2009, já obteve aprovação para mais de 40 projetos incentivados, que representam R$ 100 milhões em recursos.

“Temos muitos recursos oficiais para os clubes desenvolverem projetos esportivos e, muitas vezes, falta conhecimento mais detalhado para que os pedidos sejam perfeitamente encaminhados. A consultoria de projetos incentivados vai dar apoio nesse sentido”, afirma o presidente do Sindi-Clube, Cezar Roberto Leão Granieri.

IMG_2178 blog
Paolucci: orientação em todos as fases do projeto

Paolucci confirma que o principal trabalho da nova consultoria é proporcionar instruções aos clubes sobre as regras para a apresentação de projetos de cada um dos processos das leis de incentivo existentes e também acerca das normas para transferência de recursos pela Lei Pelé.

“O dinheiro existente nessas fontes de recursos oficiais é importante não somente para financiar e viabilizar os projetos esportivos, mas também para que os clubes se capacitem e passem a ter uma ‘fábrica de projetos’, para continuamente buscar as verbas que estão à disposição das entidades, independente do porte de cada uma. Isso pode ser elaborado de maneira correta, desde que haja gente capacitada para isso”, explica Paolucci.

Como encaminhar consultas

O consultor explica que, além de entregar documentação completa e mostrar que não possui pendências fiscais, os clubes, muitas vezes, desconhecem as exigências específicas para a obtenção de verbas públicas que exigem planilhas detalhadas com os itens do projeto. Imprecisões nesse processo levam à rejeição da proposta.

Para ter acesso à consultoria, o clube associado ao Sindi-Clube deve, inicialmente, encaminhar suas dúvidas pelo e-mail projetosincentivados@sindiclubesp.com.br.

Paolucci ressalta que, posteriormente, poderá haver contatos diretos com os interessados.

A consultoria irá orientar todos os passos da proposta que, além da elaboração, incluem outras fases como formatação, acompanhamento e tramitação no órgão concedente, captação do recurso, execução, controles e prestações de contas do projeto.

“O importante é que o clube capacite colaboradores para vencer as dificuldades burocráticas que levam a erros e à consequente rejeição do projeto”, afirma.

Curso

Em 29 de abril, Paolucci irá proferir a palestra “Lei de Incentivo ao Esporte, o ciclo de vida de um projeto” na Universidade Sindi-Clube.

As inscrições podem ser feitas no portal do Sindi-Clube.

Visite o portal do Sindi-Clube e saiba mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Recursos na nova Lei Pelé: R$ 148 milhões esperam projetos esportivos dos clubes

shutterstock_888770Há um volume de R$ 148 milhões para ser destinado ao desenvolvimento de modalidades olímpicas e paraolímpicas e os clubes já podem apresentar projetos e obter esses recursos para a formação de atletas.

A verba a ser transferida está prevista na Lei Pelé (9615/98), regulamentada pelo Decreto nº 7894, em 9 de abril de 2013.

Desde então, mensalmente, recursos correspondentes a 0,5% do arrecadado com loterias foram destinados à Confederação Brasileira de Clubes (CBC), entidade legalmente encarregada de receber e analisar as propostas, para posterior liberação de valores para o desenvolvimento de projetos de formação esportiva.

Os repasses mensais das loterias ficaram acumulados desde abril último, à espera da publicação de instruções normativas e portarias por parte do governo, o que já ocorreu.

A CBC publicou os dois primeiros editais de chamamento de projetos.

Nessas convocações, 29 clubes que apresentaram propostas de formação de atletas foram chamados pela CBC, sendo 11 deles paulistas.

Além dos R$ 148 milhões acumulados, prevê-se repasse mensal das loterias de R$ 4 milhões.

Como se habilitar

Para conseguir ter um projeto de formação beneficiado, o clube deve aguardar os próximos editais de chamamento que especificam o valor e a destinação dos recursos.

Para pleitear o incentivo, o clube precisa incluir em seu estatuto social as novas condições impostas pela Lei nº 12.868, de 15 de outubro de 2013, que alterou a Lei Pelé.

No portal do Sindi-Clube (www.sindiclubesp.com.br) há disponível um modelo de estatuto que incorpora as novas condições exigidas, entre elas: mandato de dirigentes de quatro anos, no máximo, com uma reeleição, não remuneração de dirigentes, existência e autonomia do Conselho Fiscal e alternância nos cargos de direção.

Além dessa adequação, o clube deverá estar previamente registrado no cadastro da CBC e ter regularidade fiscal nos âmbitos federal, estadual e municipal.

Uma vez credenciado, o clube poderá responder aos chamamentos de projetos e formalizar convênio com a CBC.

Nesse convênio, será incluído o plano detalhado do trabalho de formação de atletas para o qual se destinam os recursos.

A prestação de contas das verbas utilizadas será baseada na regulamentação do Tribunal de Contas da União, por se tratar de verba pública, com observância da Lei das Licitações.

Para mais informações, consulte o Regulamento de Descentralização de Recursos no site da CBC.

Acompanhe no post de amanhã (5/9), entrevista com o presidente da CBC, Jair Alfredo Pereira, que exalta os benefícios trazidos pela nova Lei Pelé para o esporte desenvolvido pelos clubes.

Visite o portal do Sindi-Clube e saiba mais de assuntos que interessam ao seu clube.