Conheça as modalidades olímpicas: handebol feminino

Seleção feminina: ouro no Pan-Americano de Toronto (Foto: CBHb)
Seleção feminina: ouro no Pan-Americano de Toronto (Foto: CBHb)

A seleção brasileira feminina caiu nas oitavas de final na última edição do Mundial de handebol, realizado em dezembro passado, na Dinamarca.

Apesar da eliminação precoce diante da Romênia, as atletas ainda são uma das principais esperanças de ouro na Olimpíada do Rio, que ocorrerá no meio do ano.

Campeãs mundiais em 2013 e medalhistas douradas na última edição do Pan-Americano de Toronto, em julho último, as meninas utilizaram a derrota para se motivarem ainda mais para alcançar o feito inédito.

Em entrevista ao canal SporTV, o superintendente do COB (Comitê Olímpico Brasileiro), Marcos Vinicius Freire, garantiu que permanece intacta a confiança de que o handebol feminino terá bom desempenho.

“Foi um resultado apertado, acabamos caindo antes da hora. Mas faz parte do jogo. Falei isso do Bernardinho, do vôlei masculino, um tempo atrás. Eles ficaram fora do pódio na Liga Mundial e dissemos: ‘É melhor perder agora que perder no ano que vem’. Vale a mesma frase para o handebol feminino: perdeu agora para não perder em casa”, declara Freire.

Na última edição dos Jogos Olímpicos, Londres 2012, as atletas terminaram na sexta colocação geral – o melhor resultado do Brasil na história.

O técnico Morten Soubak acredita que a torcida será o “ponto extra” para alcançar, pelo menos, o pódio.

Visite o portal  e curta a página do Sindi-Clube no Facebook para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Conheça as modalidades olímpicas: taekwondo

Raphaella Galacho: bronze no Pan
Raphaella Galacho: bronze no Pan

O desempenho do taekwondo brasileiro nos Jogos Pan-Americanos de Toronto não chegou perto da meta esperada.

As expectativas eram de seis medalhas na competição, mas foram apenas dois pódios brasileiros.

A atleta Iris Sing, medalhista mundial, faturou o bronze na categoria até 49 kg.

A segunda medalha, também de bronze, foi de Raphaella Galacho, categoria acima dos 67 kg.

Mas, ainda assim, o resultado acabou sendo melhor do que o conquistado há quatro anos, no Pan de Guadalajara, no qual a equipe brasileira garantiu uma medalha de bronze com Marcio Wenceslau, na categoria até 58 kg.

Esperanças de medalha da equipe masculina acabaram perdendo a briga para os argentinos. Venilton Torres, medalha de bronze no último Mundial, chegou a disputar a mesma medalha no Pan.

Já Guilherme Félix, não foi muito bem e caiu na estreia, nas quartas de final.

O desafio do taekwondo é o lutador atingir o adversário, com chutes e socos, no tronco e na cabeça. Cada golpe vale de um a quatro pontos.

Visite o portal do Sindi-Clube e saiba mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Conheça as modalidades olímpicas: badminton

Paiola e Arthuso: prata no Pan (Foto: Jonne Roriz/COB)
Paiola e Arthuso: prata no Pan (Foto: Jonne Roriz/COB)

O badminton brasileiro conseguiu o melhor resultado de sua história em Pan-Americanos na última edição, realizada este ano, em Toronto.

Com apenas dois bronzes desde que a modalidade entrou para o programa da competição – o primeiro no Rio, em 2007, e o segundo em Guadalajara, 2011 – a seleção chegou ao Canadá com a meta de conseguir garantir pelo menos uma medalha, mas surpreendeu até mesmo sua comissão técnica ao garantir duas pratas e um bronze.

As duas pratas vieram nas duplas, uma na feminina e outra na masculina.

As irmãs Lohaynny e Luana Vicente perderam a final para as competidoras americanas, e conquistaram a primeira prata.

A outra veio com Daniel Paiola e Hugo Arthuso, também derrotados pelos americanos. Além disso, Lohaynny e Alex Tjong trouxeram mais um bronze para casa nas duplas mistas. Agora, o país possui, ao todo, cinco medalhas na mais importante competição das Américas.

Os ótimos resultados empolgaram os atletas para a Olimpíada do ano que vem, no Rio, já que é a primeira vez que o Brasil participará da disputa de badminton  no torneio, por ser país-sede.

Dois atletas nacionais terão direito às vagas nas chaves individuais – uma no feminino e outra no masculino. Elas serão dadas aos brasileiros que estiverem mais bem posicionados no ranking mundial.

 Visite o portal do Sindi-Clube e saiba mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Conheça as modalidades olímpicas: basquete

Basquete: mais uma medalha de ouro no Pan (Foto: Brasil2016.gov)
Basquete: mais uma medalha de ouro no Pan (Foto: Brasil2016.gov)

O basquete brasileiro voltou do Pan-Americano de Toronto, realizado em julho, com apenas um ouro, conquistado pela equipe masculina, em uma final eletrizante contra os donos da casa, garantindo a quarta medalha dourada nas últimas cinco edições do Pan.

Além da satisfação de derrubar o favoritismo dos canadenses, os brasileiros conquistaram o topo do pódio, invictos, cinco partidas sem perder, e tiveram o cestinha da competição, Vitor Benite, com 18,2 pontos de média.

Em contrapartida, o time feminino foi eliminado nas semifinais pelas anfitriãs e também perdeu a medalha de bronze para Cuba.

As brasileiras voltaram para casa com o 4º lugar, sem nenhuma medalha, pela primeira vez nos últimos 16 anos.

Agora, ambas as equipes estão focadas em melhorar o desempenho para a Olimpíada do ano que vem, em casa, e conquistar o ouro inédito da modalidade em Jogos Olímpicos.

Em toda a história da competição, o Brasil conquistou cinco medalhas: três bronzes com a seleção masculina e uma prata e um bronze com a feminina.

Visite o portal do Sindi-Clube e saiba mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Conheça as modalidades olímpicas: vôlei

Seleção masculina: prata no Pan. (Foto: CBV)
Seleção masculina: prata no Pan. (Foto: CBV)

O Brasil fechou os Jogos Pan-Americanos com duas pratas no vôlei.

A seleção feminina perdeu a final para os Estados Unidos por três sets a zero e não conseguiu conquistar o tão sonhado bicampeonato.

Ao todo, as mulheres já conquistaram quatro ouros, três pratas e dois bronzes na história da competição.

Os homens também ficaram com a prata, ao serem derrotados pela Argentina no tie-break. A derrota por 3 a 2 acabou com a esperança brasileira de faturar a medalha dourada pela terceira vez seguida.

Essa foi a 15º medalha da seleção masculina em Pan-Americanos. A equipe brasileira já havia conquistado quatro ouros, seis pratas e quatro bronzes em edições anteriores.

O vôlei brasileiro é uma das modalidades que mais ganham medalhas para o país. As duas seleções foram ouro nos Jogos Olímpicos em Pequim, 2008 e em Londres, 2012, e defenderão o tricampeonato olímpico em casa.

Hoje, no ranking mundial, o Brasil é líder no masculino e vice-líder no feminino.

Os diversos títulos não só enalteceram o vôlei, mas também aumentaram o número de torcedores e fizeram com que ambas as equipes sejam sempre esperança de conquistas.

 Visite o portal do Sindi-Clube e saiba mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Conheça as modalidades olímpicas: tiro com arco

Marcus Vinicius: promessa para 2016
Marcus Vinicius: promessa para 2016

Nos Jogos Pan-Americanos de Toronto 2015, no Canadá, o Brasil quebrou jejum de 32 anos ao ganhar medalha no tiro com arco.

Na competição masculina, a equipe brasileira conquistou o bronze ao derrotar Cuba por 5 a 3.

Os atletas que trouxeram a medalha foram Daniel Rezende Xavier, Bernardo Oliveira e Marcus Vinícius D’Almeida, revelação de apenas 17 anos.

Marcus Vinícius é promessa de medalha nas Olimpíadas Rio-2016. No final de julho, terminou em quinto no Mundial de Copenhagen, na Dinamarca.

O jovem arqueiro já havia conquistado uma prata no Mundial de Tiro com Arco, na Suíça, em 2014.

O Brasil não ganhava medalha no tiro com arco desde o Pan de Caracas, em 1983.Já no feminino, as brasileiras não passaram das quartas de final por equipes.

Pelo torneio individual, Ane Marcelle dos Santos, Larissa Feitosa e Sarah Nikitin foram eliminadas nas oitavas de final.

Com atuais conquistas, a modalidade busca mais popularidade e boa divulgação em 2016.

Visite o portal do Sindi-Clube e saiba mais de assuntos que interessam ao seu clube.