Novo edital para o Bolsa-Atleta

Bolsa-Atleta: ajuda para a formação (Foto: Washington Alves/Exemplus COB)
Bolsa-Atleta: ajuda para a formação (Foto: Washington Alves/Exemplus COB)

O coordenador-geral do Programa Bolsa Atleta do Ministério do Esporte, Mosiah Rodrigues, informou que um novo edital será publicado em outubro, com foco na preparação de atletas para os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2020, em Tóquio, no Japão.

O programa, criado em 2004, concede bolsas que variam entre R$ 370 a R$ 15 mil, englobando desde competidores de jogos escolares a atletas de alto rendimento.

O dinheiro é depositado direto para o competidor, não para o gestor das modalidades.

Dos 289 convocados para competir a Paraolimpíada do Rio, 262, o equivalente a 90,6%, têm o patrocínio do programa.

“Não é todo mundo na mesma categoria, mas todos, de alguma forma, são apoiados”, disse Rodrigues.

Este ano, o Brasil conseguiu seu melhor desempenho em ambas as competições.

Na Olimpíada, terminou em 13º lugar, com 19 medalhas ao todo, sendo sete de ouro.

Já na Paraolimpíada, 14 medalhas douradas e 72 no total, deixaram o Brasil na oitava colocação do quadro geral.

Visite o portal do Sindi-Clube e saiba mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Legado olímpico: surgimento de ídolos é estímulo à prática esportiva

Foto:Alexandre Loureiro/Exemplus/COB
Isaquias Queiroz, surgimento de novo herói (Foto:Alexandre Loureiro/Exemplus/COB)

Turíbio Barros*

 A realização de uma Olimpíada é um empreendimento gigantesco.

Os recursos investidos para realizar o maior evento esportivo do planeta sempre ultrapassam qualquer estimativa prévia.

Deste grande investimento se espera um retorno proporcional em diversos e diferentes aspectos.

Visibilidade do país no mundo todo, grande fluxo de turistas, melhora de infraestrutura urbana, aumento significativo de arrecadação, entre outros.

Do ponto de vista do esporte, existe sempre a expectativa do aproveitamento das grandes obras realizadas e o receio de algumas se tornarem, de certa forma, inúteis pela falta de identificação da população com algumas modalidades.

A otimização dessas instalações demanda uma política e um planejamento previamente muito bem elaborados para capitalizar da melhor maneira possível o grande investimento realizado.

Entretanto, o maior legado que os jogos podem deixar que justificasse com sobras o investimento feito, estará no estímulo à prática esportiva.

Quando falamos em estimular a prática do esporte podemos entender de uma forma imediatista, esperando que exista uma repercussão transferida ao esporte de alto rendimento que resulte no crescimento do país como potência esportiva.

Porém, existe um legado muito mais importante que ficamos na expectativa de obter.

Trata-se da esperança de que a grande visibilidade das competições resulte em um estímulo para a iniciação esportiva de uma nova geração.

O surgimento de novos heróis do esporte (dentre os quais talvez o canoísta Isaquias Queiroz represente o melhor exemplo) deve ter estimulado jovens que, de alguma maneira, se identificaram com o humilde rapaz.

Algumas notícias recentes, inclusive, já dão conta do surgimento de um centro de treinamento da modalidade na, até então desconhecida, cidade de Ubaitaba, no interior da Bahia.

Esperamos que não se trate de um exemplo isolado, mas sim do reflexo de um novo despertar para a prática do esporte com a expectativa de podermos projetar uma geração que cada vez mais se afaste daquela que é considerada a maior inimiga da saúde do terceiro milênio, a vida sedentária.

*Turíbio Barros (www.drturibio.com)
Mestre e Doutor em Fisiologia do Exercício pela EPM. É membro do American College of Sports Medicine, professor e coordenador do Curso de Especialização em Medicina Esportiva da Unifesp e fisiologista do São Paulo FC e coordenador do Departamento de Fisiologia do Esporte Clube Pinheiros.

Visite o portal  e curta a página do Sindi-Clube no Facebook para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

A 50 dias dos Jogos, COB divulga vídeo para convocar a torcida

Foto: Wander Roberto/ COB
Foto: Wander Roberto/ COB

A 50 dias dos Jogos Olímpicos do Rio, o COB (Comitê Olímpico Brasileiro) divulgou vídeo mostrando a preparação dos atletas.

A campanha do Time Brasil foi criada com o intuito de engajar e convocar a população para torcer pela equipe nacional, a partir do dia 5 de agosto.

O Time Brasil é a marca que representa a união entre os esportistas brasileiros, que disputarão a Olimpíada, e a torcida, formando um único time.

Com 442 vagas já garantidas, o Brasil terá delegação recorde.

Até o momento, 207 nomes estão confirmados, enquanto outros dependem de convocações ou vagas conquistadas.

A expectativa do COB é de alcançar a 10ª colocação no ranking geral dos Jogos.

Assista:

Visite o portal  e curta a página do SINDI-CLUBE no Facebook para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Equipe de judô para o Rio 2016 está definida

Equipe de judô que disputará a olimpíada foto%3b divulgação - CBJ (1)

 

 

 

 

 

 

 

 

A Confederação Brasileira de Judô divulgou a lista com os 14 atletas que representarão o país na Olimpíada do Rio, em agosto próximo.

Composta por sete homens e sete mulheres, a delegação terá uma mescla de judocas experientes, alguns medalhistas olímpicos, e iniciantes.

O plantel feminino será exatamente o mesmo que foi para Londres 2012, e voltou com um ouro e um bronze: Sarah Menezes (ligeiro), Érika Miranda (meio-leve), Rafaela Silva (leve), Mariana Silva (meio-médio), Maria Portelana (médio), Mayra Aguiar (meio-pesado) e Maria Suelen Altheman (pesado).

Sarah Menezes foi a responsável pela primeira medalha dourada do Brasil na última edição dos Jogos Olímpicos. A piauiense terá chance de repetir o feito, já que a modalidade será disputada logo nos primeiros dias de competição.

A equipe masculina contará com Felipe Kitadai (ligeiro), Charles Chibana (meio-leve), Alex Pombo (leve), Victor Penalber (meio-médio), Tiago Camilo (médio), Rafael Buzacarini (meio-pesado) e Rafael Silva (pesado).

O judô garantiu conquistas para o Brasil nas últimas oito Olimpíadas, sendo que, em 2012, teve a melhor campanha na história do torneio, com quatro medalhas e a sexta colocação geral.

O bom retrospecto e as conquistas recentes dos atletas nacionais fizeram o esporte ser um dos mais requisitados pelos brasileiros na compra de ingressos para os Jogos do Rio.

Visite o portal  e curta a página do SINDI-CLUBE no Facebook para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Tiro esportivo e ciclismo BMX são temas de cursos sobre modalidades olímpicas

Paulo Peres fala sobre o ciclismo BMX na Olimpíada.
Paulo Peres fala sobre o ciclismo BMX na Olimpíada

A Universidade SINDI-CLUBE realizou, em parceria com a Aceesp (Associação dos Cronistas Esportivos do Estado de São Paulo), mais dois cursos sobre modalidades olímpicas: tiro esportivo (8/6) e ciclismo BMX (9/6).

Jornalistas receberam, presencialmente e via internet, informações sobre aspectos técnicos, práticos e históricos dos esportes que estarão em disputa na Olimpíada do Rio de Janeiro.

Ricardo Brenck, vice-presidente e diretor técnico da Confederação Brasileira de Tiro Esportivo, elogiou a iniciativa das entidades de promover modalidades menos conhecidas.

“É uma ótima oportunidade de falar mais sobre o tiro esportivo, que tem uma divulgação muito limitada na mídia. Existem muitos detalhes do esporte que são desconhecidos pela imprensa. Passar esse tipo de informação, em um ano olímpico, é de extrema importância para nós. Parabéns ao SINDI-CLUBE”, afirmou.

Paulo Peres, ex-atleta e Diretor de BMX da Federação Paulista de Ciclismo, também ressaltou a importância do curso.

“Os cursos facilitarão o trabalho da mídia durante os Jogos Olímpicos, pois os jornalistas terão mais informações para falar sobre as modalidades. O BMX é novo na grade, chega à sua terceira edição, então, quanto mais pudermos disseminar a cultura desse esporte, melhor será”, concluiu.

A série de exposições, que teve início em março, ainda está com inscrições abertas.

Interessados devem mandar e-mail para contato@sindiclubesp.com.br ou, para mais informações, acessar o portal do SINDI-CLUBE.

Visite o portal  e curta a página do SINDI-CLUBE no Facebook para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Aline Silva é ouro e Brasil ganha três medalhas em torneio de Luta Olímpica, na Itália

Aline Silva vence venezuelana. (Foto: Divulgação/ CBLA)
Aline Silva vence venezuelana e leva ouro (Foto: Divulgação/ CBLA)

O aquecimento da luta olímpica brasileira para a Olimpíada Rio 2016 já começou. O Brasil conquistou, no último sábado (28), quatro medalhas no Torneio Internacional de Sassari de Luta Olímpica, disputado na Itália. O destaque foi a paulistana Aline Silva, da categoria até 75kg, que venceu a venezuelana Leonor Jarami por 3 a 2, garantindo o primeiro lugar do pódio.

Na mesma competição, Laís Nunes, que havia começado muito bem a prova, garantiu a prata no peso até 63kg. Entre os homens, o armênio Eduard Soghomonyan, que briga na justiça pelo processo de naturalização, foi o melhor do país. Ele terminou em segundo na categoria até 130kg do estilo greco-romano.

Para fechar, Davi Albino foi bronze nos 98kg. Joice Silva e Gilda Oliveira, nas categorias 58 e 69kg, respectivamente, não avançaram em suas chaves.

Nos Jogos Rio 2016, os atletas brasileiros que já estão garantidos são Antoine Jaoude, de até 130kg, Joice Silva, na categoria até 58kg, Laís Nunes, até 63kg, Gilda de Oliveira, de até 69kg e Aline Silva, até 75kg.

Visite o portal  e curta a página do SINDI-CLUBE no Facebook para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Nado sincronizado do Japão retornará ao Paineiras, antes dos Jogos

Treino da seleção japonesa na piscina do Paineiras
Treino da seleção japonesa na piscina do Paineiras

As atletas do nado sincronizado do Japão retornam às piscinas do Clube Paineiras do Morumby no início de agosto, dias antes de iniciarem a disputa dos Jogos Olímpicos, no Rio de Janeiro.

Na primeira passagem, de 20 a 27 de fevereiro, as nadadoras se deram bem. Depois dos treinamentos realizados no Paineiras, as japonesas obtiveram a classificação no torneio pré-olímpico.

Dell’Aquila
Dell’Aquila

Entrevistado pela Revista dos Clubes, o presidente do Paineiras, Daniel Fausto Dell’Aquila, ressalta a disciplina e a dinâmica dos treinamentos das visitantes, que foram observadas de perto pelo corpo técnico do clube e também pelos associados que puderam conviver com as atletas olímpicas. Acompanhe a entrevista:

Como foram os treinamentos que a seleção de nado sincronizado do Japão fez na piscina olímpica do Paineiras, antes da disputa do torneio pré-olímpico, em março?

Daniel Fausto Dell’Aquila: Foram muito proveitosos, a dinâmica criada com a participação de nosso corpo técnico e nossas atletas gerou uma motivação diferente que pôde ser sentida pelas manifestações de toda a equipe japonesa. Foram vários elogios pelo acolhimento. Eu, como atleta de judô, tive várias participações internacionais e sei que o rendimento aumenta muito quando se tem um ambiente favorável. Principalmente quando se está fora do país. Prova disso foi a classificação da seleção japonesa para a Olimpíada e o interesse em retornarem antes dos Jogos, em agosto, para novos treinamentos, nas mesmas condições.

Qual a impressão que as japonesas causaram nos técnicos do Paineiras, o que pôde ser observado?

Daniel Fausto Dell’Aquila: Nossas técnicas e atletas ficaram impressionadas com a disciplina e o foco nos treinamentos. Foram observadas novas formas e dinâmicas de preparação. Deverão aplicá-las na proporção que couberem, afinal, esse era nosso maior objetivo nessa parceria. O mais interessante, porém, foi a participação dos associados que assistiram aos treinamentos, em busca de fotos e autógrafos. Muitos, inclusive, falavam japonês, o que ajudou muito na geração do clima agradável.

O Paineiras tem uma equipe de alto nível em nado sincronizado, que representará o Brasil nos Jogos do Rio. O que esse contato poderá trazer de benefícios para o desenvolvimento desse esporte no clube e para as atletas que estarão na Olimpíada? (FALTOU COLOCAR BOLD)

Daniel Fausto Dell’Aquila: Todo intercâmbio é bom para melhora de desempenho. Como já disse antes, esse era o nosso maior interesse, ao trazermos a seleção japonesa. Teremos duas atletas na próxima olimpíada, Sabrine Lowy e Lara Teixeira. Certamente, todo esse nosso envolvimento com o nado sincronizado motiva e gera novas expectativas, além do benefício direto que é o ganho técnico com a observação de centros mais avançados .

Quantas pessoas da delegação japonesa voltarão a usar a estrutura do Paineiras, entre atletas, técnicos e preparadores físicos, e em qual período?

Daniel Fausto Dell’Aquila: Estamos agora acertando detalhes para o retorno da seleção japonesa em agosto, entre os dias 6 e10. Elas virão para abertura dos Jogos, em 5 de agosto, e depois ficam no clube até a véspera das competições do nado sincronizado. A delegação deverá ser composta por aproximadamente 15 pessoas.

O clube receberá do comitê olímpico japonês uma compensação financeira pelo uso das instalações. Qual será a destinação dessa receita extra obtida para a cessão das instalações?

Daniel Fausto Dell’Aquila: Obviamente, há uma compensação financeira, mas isso não tem importância, perto dos benefícios técnicos que teremos para nossas equipes e corpo profissional. Todos os recursos extras obtidos serão destinados para o esporte do clube.

O que os associados do Paineiras ganharão com o contato feito com as atletas olímpicos?

Daniel Fausto Dell’Aquila: Além de conviver com os atletas olímpicos, é sempre prazeroso assistir a atividades com esportistas de alto desempenho. O contato direto com uma cultura tão tradicional também é muito positivo. Acreditamos que a mídia espontânea gerada por esse intercâmbio agrega valor à marca do clube e beneficia diretamente o associado.

Como o senhor vê os clubes no contexto dos esportes olímpicos?

Daniel Fausto Dell’Aquila: Está claro que os clubes do Brasil são os grandes responsáveis pela formação e existência das equipes olímpicas. Mesmo que não invistam diretamente no alto rendimento, levam a cultura através de suas escolas de esportes e atividades recreativas e de lazer. Essas entidades são muito importantes para nossa sociedade ao disseminar todos os benefícios de bem-estar, gerados pela pratica de atividade física.

Visite o portal  e curta a página do SINDI-CLUBE no Facebook para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Golfe é tema de curso na Universidade SINDI-CLUBE

Padula demonstra prática do golfe aos jornalistas
Padula demonstra prática do golfe aos jornalistas

O golfe deu continuação, nesta terça-feira (26/4), à série de cursos sobre modalidades olímpicas para jornalistas esportivos e estudantes de jornalismo, promovida pela Universidade Sindi-Clube em parceria com a Aceesp (Associação de Cronistas Esportivos do Estado de São Paulo).

Na apresentação, Antônio Carlos Padula, presidente da Federação Paulista de Golfe, e Henrique Freut, dá área de comunicação, explicaram os aspectos técnicos da modalidade, falaram sobre os principais atletas brasileiros e suas chances na Olimpíada, além dos projetos da Federação em todo o estado.

Padula ressaltou a importância do contato com os profissionais da mídia, à véspera da maior competição esportiva mundial.

“A iniciativa é maravilhosa, um canal de aproximação. Os jornalistas são formadores de opinião. Portanto, explicar os termos técnicos do golfe de forma mais didática é essencial para que eles possam compreender melhor e, consequentemente, transmitir informações de forma coerente ao público”, afirmou.

As inscrições para as próximas modalidades estão abertas.

Os interessados devem mandar e-mail para contato@sindiclubesp.com.br com nome completo, e-mail, empresa ou faculdade e telefone.

Visite o portal  e curta a página do Sindi-Clube no Facebook para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Jornalistas têm curso de triatlo na Universidade SINDI-CLUBE

Abade falou sobre o triatlo aos jornalistas
Abade falou sobre o triatlo aos jornalistas

O triatlo deu continuidade à série de cursos para jornalistas esportivos sobre modalidades olímpicas, promovida pela Universidade Sindi-Clube em parceria com a Aceesp (Associação de Cronistas Esportivos do Estado de São Paulo).

Os palestrantes foram os diretores da Federação Paulista de Triathlon, Gustavo Abade e Frederico Wilche.

Foram ensinados aos jornalistas prática, curiosidades e aspectos técnicos, e também dadas informações sobre os principais atletas da modalidade.

Abade acredita que o triatlo será um dos pontos positivos da Olimpíada e elogiou a iniciativa do SINDI-CLUBE.

“Esses cursos são fundamentais. Há uma carência de conhecimento para os jornalistas entenderem as modalidades olímpicas. Por isso, foi aberto esse canal para que eles possam ter mais informações do esporte e, assim, divulgar o triatlo”, comentou.

Na próxima terça-feira (26/4), o golfe será a modalidade apresentada.

Inscrições abertas

As inscrições para as próximas modalidades estão abertas.

Os interessados devem enviar um e-mail para contato@sindiclubesp.com.br com nome completo, empresa, e-mail, telefone e, caso tenha interesse em receber a Revista dos Clubes, endereço completo.

Visite o portal  e curta a página do Sindi-Clube no Facebook para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Boxe brasileiro garante oitava vaga para a Olimpíada do Rio

Nogueira (dir.): vaga garantida
Nogueira (dir.): vaga garantida

Juan Nogueira, categoria até 91kg, conquistou bronze no Pré-Olimpíco das Américas, realizado no último domingo (20/3), em Buenos Aires, Argentina.

O brasileiro derrotou o americano Cam Awesome, por decisão de dois dos três juízes, e conquistou uma vaga para a Olimpíada do Rio, em agosto.

Além de Juan, outros sete atletas estão classificados para a competição: Adriana Araújo, na categoria leve (60 kg), Patrick Lourenço, mosca ligeiro (49 kg), Julião Neto, mosca (52 kg), Robenilson de Jesus, galo (56 kg), Robson Conceição, leve (60 kg), Joedison Teixeira meio médio ligeiro (64kg), e Michel Borges, meio pesado (81kg).

Ainda restam duas opções para os boxeadores que não têm participação garantida nos Jogos Olímpicos.

Em maio, as mulheres disputarão o Campeonato Mundial de Boxe Feminino, no Cazaquistão. Os homens terão outra oportunidade na Classificatória Final Mundial, em junho, no Azerbaijão.

Na última edição da Olimpíada, realizada em Londres, 2012, o Brasil quebrou um jejum de 44 anos e conquistou uma prata e dois bronzes.

A meta para este ano é conseguir o ouro inédito, em casa.

Visite o portal  e curta a página do Sindi-Clube no Facebook para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.