Confederação Brasileira de Judô convoca, pela primeira vez, duas campeãs olímpicas para Grand Slam de Paris

Sarah Menezes está entre as convocadas (Foto: Marcelo Pereira/Exemplus/COB)
Sarah Menezes está entre as convocadas (Foto: Marcelo Pereira/Exemplus/COB)

A Confederação Brasileira de Judô (CBJ) anunciou a lista das 15 atletas que disputarão o Grand Slam de Paris, em 11 e 12 de fevereiro.

Esta é a primeira vez que duas campeãs olímpicas fazem parte da mesma delegação.

Sarah Menezes foi medalha de ouro em Londres 2012 e terá grande teste no peso meio-leve, sua nova categoria.

Já Rafaela Silva, campeão em 2016 nos Jogos do Rio, estreará seu backnumber dourado (identificação diferenciada no quimono) defendendo o Brasil em competições.

“Lutar em Paris é como fazer uma luta dentro de um estádio de futebol lotado. São sempre muitos atletas e muitos torcedores, o que me motiva bastante. Além disso, os franceses são ótimos anfitriões e sempre sou muito bem recebida pelas meninas da seleção da França”, disse Rafaela, dona de dois bronzes no Grand Slam.

Além das medalhistas olímpicas, foram escolhidas para o torneio as atletas Larissa Farias 48kg, Érika Miranda 52kg, Yanka Pascoalino 63kg, Maria Portela 70kg, Maria Suelen Altheman +78kg.

Visite o portal  e curta a página do Sindi-Clube no Facebook para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

FIJ quer competição de judô com equipes mistas nos Jogos de 2020

judo-1
Foto: Judô olímpico poderá ter nova forma de disputa

A Federação Internacional de Judô (FIJ) quer a inclusão de uma competição com equipes mistas no programa da modalidade para os Jogos Olímpicos Tóquio 2020.

Nessa disputa, as equipes seriam compostas por três homens e três mulheres dos pesos leve, médio e pesado.

O planejamento é que 12 equipes possam participar da disputa olímpica, com classificação baseada no sistema de ranking.

Apenas atletas classificados para as competições individuais nos Jogos Olímpicos poderão participar da disputa por equipes.

A proposta será submetida à aprovação do Comitê Olímpico Internacional (COI) e a decisão final deve sair em 2017.
Os campeonatos mundiais de judô já têm esse formato de disputa, mas com competição por equipes femininas e masculinas, separadamente.

O Brasil já conquistou quatro pratas e dois bronzes com a equipe masculina, além de uma prata e um bronze com a equipe feminina.

Visite o portal  e curta a página do Sindi-Clube no Facebook para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Federação Internacional de Judô indica Rafaela Silva a prêmio de melhor judoca do mundo

alaor-filho-exemplus-cob
Foto: Alaor filho exemplus/ Cob

A judoca Rafaela Silva, atual campeã olímpica de judô da categoria até 57 kg, foi indicada pela Federação Internacional de Judô para o prêmio de melhor judoca do ano.

O ouro de Rafaela foi o primeiro do Brasil nos Jogos Olímpicos e o único da modalidade.

Rafaela Silva aparece na lista ao lado de outras oito judocas:

Emilie Andeol (França), Haruka Tachimoto (Japão), Kayla Harrison (EUA), Majlinda Kelmendi (Kosovo), Paula Pareto (Argentina), Tina Trstenjak (Eslovênia), Iadlys Ortiz (Cuba), e Otgontsetseg Galbadrakh (Cazaquistão).

Todas foram medalhistas olímpicas, neste ano.

A votação para eleger a vencedora é popular e online e pode ser acessada aqui.

Visite o portal  e curta a página do Sindi-Clube no Facebook para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Brasil se prepara para o Grand Slam de Abu Dhabi

flavio-florido-exemplus-cob-mariana-silva
Foto: Flavio Florido/Exemplus COB

A Confederação Brasileira de Judô (CBJ) anunciou a convocação dos 20 atletas que
representarão o país no Grand Slam de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes, entre 29 e 30 de outubro.

Sete deles atuaram nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

Entre as mulheres, destaque para Mariana Silva, quinta colocada no Rio 2016 na categoria 63kg.

Além dela, estarão em Abu Dhabi Maria Suelen Altheman (+78kg) e Maria Portela (70kg).

A equipe masculina, por sua vez, terá o retorno de quatro atletas olímpicos: Charles Chibana (66kg), Alex Pombo (73kg), Victor Penalber (81kg) e Rafael Buzacarini (100kg).

O Grand Slam é uma das etapas do Circuito Mundial que mais distribuem pontos no Ranking Mundial da FIJ.

O campeão soma 500 pontos, o vice leva 300 e os terceiros somam 200 pontos cada.

A pontuação adquirida em Abu Dhabi já valerá para o ranking olímpico de classificação para os Jogos de Tóquio, em 2020.

Visite o portal  e curta a página do SINDI-CLUBE no Facebook para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Prorrogadas inscrições nos Jogos Escolares

sendnoticia

O SINDI-CLUBE apoia a realização dos Jogos Escolares do Estado de São Paulo e alerta que o prazo para inscrições para a categoria infantil foi prorrogado para 14 de outubro, em sete modalidades: judô, ginástica rítmica, luta olímpica, ciclismo, natação, vôlei de praia, tênis de mesa e xadrez.

Os Jogos Escolares são uma ótima opção para treinadores e professores de clubes para que, por meio das escolas em que estudam os associados, movimentem os jovens atletas, incentivando sua inscrição na competição.

Os Jogos serão realizados nas cidades de São Caetano do Sul e Santos, entre os dias 16 e 21 de outubro.

Visite o portal  e curta a página do SINDI-CLUBE no Facebook para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Equipe de judô para o Rio 2016 está definida

Equipe de judô que disputará a olimpíada foto%3b divulgação - CBJ (1)

 

 

 

 

 

 

 

 

A Confederação Brasileira de Judô divulgou a lista com os 14 atletas que representarão o país na Olimpíada do Rio, em agosto próximo.

Composta por sete homens e sete mulheres, a delegação terá uma mescla de judocas experientes, alguns medalhistas olímpicos, e iniciantes.

O plantel feminino será exatamente o mesmo que foi para Londres 2012, e voltou com um ouro e um bronze: Sarah Menezes (ligeiro), Érika Miranda (meio-leve), Rafaela Silva (leve), Mariana Silva (meio-médio), Maria Portelana (médio), Mayra Aguiar (meio-pesado) e Maria Suelen Altheman (pesado).

Sarah Menezes foi a responsável pela primeira medalha dourada do Brasil na última edição dos Jogos Olímpicos. A piauiense terá chance de repetir o feito, já que a modalidade será disputada logo nos primeiros dias de competição.

A equipe masculina contará com Felipe Kitadai (ligeiro), Charles Chibana (meio-leve), Alex Pombo (leve), Victor Penalber (meio-médio), Tiago Camilo (médio), Rafael Buzacarini (meio-pesado) e Rafael Silva (pesado).

O judô garantiu conquistas para o Brasil nas últimas oito Olimpíadas, sendo que, em 2012, teve a melhor campanha na história do torneio, com quatro medalhas e a sexta colocação geral.

O bom retrospecto e as conquistas recentes dos atletas nacionais fizeram o esporte ser um dos mais requisitados pelos brasileiros na compra de ingressos para os Jogos do Rio.

Visite o portal  e curta a página do SINDI-CLUBE no Facebook para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Brasil fecha Pan-Americano de judô com 17 medalhas

Judô brasileiro apresenta bons resultados (Foto: Divulgação/ CBJ)
Judô brasileiro apresenta bons resultados (Foto: Divulgação/ CBJ)

O judô brasileiro confirmou o favoritismo e terminou o Campeonato Pan-Americano de Havana, em Cuba, na primeira colocação geral, somando 17 pódios. Foram sete medalhas de ouro, quatro pratas e seis bronzes.

A atleta da categoria até 48kg, Sarah Menezes, praticamente garantiu vaga nos Jogos Rio 2016. Ela venceu a também medalhista olímpica Sarah Pareto, da Argentina.

A piauiense encarou a chave mais difícil da competição e, com o feito, soma agora 1.472 pontos no ranking olímpico, o que ampliou ainda mais sua vantagem sobre a rival brasileira Nathália Brígida.

Outro que fez um grande Pan-Americano foi Felipe Kitadai. Em sua categoria, até 60kg, faturou seu sexto título continental seguido e, de quebra, se aproximou da Olimpíada.

Erika Miranda, terceira do mundo, não encontrou dificuldades em ganhar o ouro da categoria até 52kg, fazendo apenas três lutas até atingir o objetivo.

A carioca Rafaela Silva, décima colocada da categoria até 57kg, estreou com derrota para a cubana Anailis Dorvigini, e teve de se recuperar na repescagem. Rafaela ficou com o bronze após vencer uma argentina e uma canadense.

A seleção terminou à frente de seus principais adversários, já que Canadá, Estados Unidos e Cuba conquistaram somente dois ouros cada.

Visite o portal  e curta a página do Sindi-Clube no Facebook para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Judô encerra cursos sobre modalidades olímpicas de abril

Monteiro explica judô aos presentes
Monteiro explica judô aos presentes

Mais uma etapa de cursos sobre modalidades olímpicas para jornalistas e estudantes de jornalismo, promovidos pela Universidade Sindi-Clube em parceria com a Aceesp (Associação de Cronistas Esportivos do Estado de São Paulo), foi concluída com sucesso.

O judô encerrou, nesta quinta-feira (28/4), as exposições de abril.

Everton Monteiro, assessor de imprensa da Federação Paulista de Judô, falou sobre prática, regras do esporte que estará na Olimpíada e Paraolimpíada do Rio.

Monteiro acredita que a difusão de conhecimentos proporcionada pelo curso será de grande valia para ambas as partes.

“A experiência foi muito produtiva. Senti que os jornalistas presentes absorveram o conteúdo que transmiti e isso é satisfatório, pois meu objetivo é tornar os aspectos do judô bem claros, para que os profissionais possam retratá-lo melhor durante a Olímpiada e, assim, todo mundo ganha. Fico feliz em participar de uma iniciativa tão maravilhosa como esta do SINDI-CLUBE”, afirma.

Ao longo do mês, outros seis esportes, além do judô, ganharam espaço para apresentação: atletismo, pentatlo moderno, esgrima, handebol, triatlo e golfe.

No total, 21 modalidades que fazem parte da grade olímpica já foram explicadas aos jornalistas, desde que a série começou, em março deste ano.

Os cursos prosseguem até junho e podem ser assistidos presencialmente ou pela internet.

Interessados devem mandar e-mail para contato@sindiclubesp.com.br com nome, telefone, empresa ou faculdade e e-mail.

Assista aos vídeos

Vídeos dos cursos sobre modalidades olímpicas podem ser acessados na TV SINDI-CLUBE.

Veja exposições sobre: ginástica artística, badminton, tiro com arco, luta olímpica e hóquei sobre a grama.

Visite o portal  e curta a página do Sindi-Clube no Facebook para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Conheça as modalidades olímpicas: judô

Sarah Menezes: ouro em Londres. (Foto: CBJ)
Sarah Menezes: ouro em Londres. (Foto: CBJ)

A judoca Sarah Menezes conquistou, no início do mês, uma medalha de bronze no Grand Slam de Tóquio.

O resultado a fez ultrapassar Nathalia Brígida no ranking geral da modalidade, por uma diferença de 100 pontos, e a tornou a brasileira com melhor classificação.

Sarah foi responsável pela primeira medalha de ouro do Brasil na Olimpíada de Londres, em 2012, e conduziu o judô nacional à melhor campanha na história da competição – foram um ouro e três bronzes que deixaram a seleção na 6º colocação geral do esporte.

Presente logo nos primeiros dias de competição dos Jogos Olímpicos do Rio, o judô é uma das maiores esperanças de medalhas do Brasil.

Os resultados recentes foram tão positivos que a modalidade está entre as dez mais procuradas para compra de ingressos.

No Pan de Toronto, realizado em julho deste ano, a seleção trouxe para casa 13 medalhas: cinco ouros, duas pratas e seis bronzes.

Além disso, no ano passado, os atletas brasileiros ficaram em terceiro lugar no quadro de medalhas do Mundial de Judô de Chelyabinsk, realizado na Rússia, com uma medalha de ouro, duas de prata e uma de bronze.

 Visite o portal do Sindi-Clube e saiba mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Conheça as modalidades olímpicas: judô

Camilo: tricampeão pan-americano
Camilo: tricampeão pan-americano

O judô brasileiro encerrou a participação no Pan-Americano de Toronto com 13 medalhas: cinco ouros, duas pratas e seis bronzes.

O destaque da modalidade na competição foi Tiago Camilo que conquistou a medalha de ouro na categoria até 90kg e repetiu o feito de 2007 e 2011.

O tricampeão pan-americano venceu o cubano Asley Gonzalez, campeão mundial em 2013, no Rio de Janeiro, e prata nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012.

Os resultados positivos são comuns para os judocas brasileiros.

A modalidade, que é uma das mais vitoriosas do país, ficou em terceiro lugar no quadro de medalhas do Mundial de Judô de Chelyabinsk, realizado ano passado na Rússia, com uma medalha de ouro, duas de prata e uma de bronze.

Mayra Aguiar, campeã mundial, entrou para a história do judô nacional ao conquistar o ouro e se tornar a primeira com quatro medalhas mundiais.

Além disso, em Londres 2012, a seleção ficou em sexto lugar no ranking de medalhas do judô, com um ouro e três bronzes – a melhor campanha olímpica da história do Brasil na competição.

Visite o portal do Sindi-Clube e saiba mais de assuntos que interessam ao seu clube.