Conheça as modalidades olímpicas: hipismo

Ruy Fonseca: medalhas no Pan (Foto: Sergio Dutti/Exemplus/COB)
Ruy Fonseca: medalhas no Pan
(Foto: Sergio Dutti/Exemplus/COB)

Com pequena diferença em pontuações, o Brasil conquistou três medalhas nos Jogos Pan-Americanos de Toronto e demonstrou confiança para competir na Olimpíada Rio 2016.

Primeiro veio o bronze com o time de Adestramento, formado por João Victor Oliva, João Paulo dos Santos, Sarah Waddell, e Leandro da Silva, que somou 414,895 pontos.

Já o Time Brasil do Concurso Completo de Equitação (CCE) garantiu a prata por grupos.

A segunda colocação no pódio não vinha desde 1999.

Os cavaleiros que trouxeram a medalha foram Ruy Fonseca e Carlos Parro, Márcio Carvalho Jorge, Henrique Plombom Pinheiro.

Ruy Fonseca também arrematou o bronze no individual.

Favorito, o veterano cometeu algumas falhas e acabou deixando o ouro para os EUA e a prata para o Canadá.

A medalha foi a primeira individual do CCE em 20 anos.

Com vaga garantida nos Jogos Olímpicos de 2016, graças ao resultado obtido no mundial do ano passado, o presidente da Confederação Brasileira de Hipismo, Luiz Roberto Giugni, acredita que está no caminho certo.

“Montamos uma equipe com cavaleiros jovens para testar novos conjuntos e todos corresponderam completamente a nossa expectativa. Mostraram que podem estar no grupo de elite e isso nos dá mais opções para formar um time forte para os Jogos Rio 2016″, diz.

Visite o portal do Sindi-Clube e saiba mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Conheça as modalidades olímpicas: hipismo

Henrique Pinheiro: ouro no sul-americano (Foto: Claudia Lesconski)
Henrique Pinheiro: ouro no sul-americano
(Foto: Claudia Lesconski)

O Concurso Completo de Equitação (CCE), uma das modalidades do hipismo, vive um momento de muito crescimento e ótimos resultados.

A seleção brasileira garantiu vaga para os Jogos Pan-Americanos de Toronto, no Canadá, em 2015.

A classificação veio com o título do Campeonato Sul-Americano de CCE no Haras Horse Cross, em Barretos, interior de São Paulo, no início de novembro.

Na disputa individual, o ouro também ficou com um brasileiro, Henrique Pinheiro, com o seu cavalo Land Quenote do Feroleto.

Nos Jogos Equestres Mundiais da Normandia, no fim de agosto, a equipe brasileira terminou em sétimo lugar, o melhor resultado da história na competição.

O técnico da equipe brasileira, o neozelandês Mark Todd, um dos responsáveis pelo momento de desenvolvimento e resultados do CCE do Brasil, acredita no crescimento da equipe e bons resultados.

“Estamos muito contentes com o resultado, que é um bom passo em direção ao nosso objetivo maior que é uma boa colocação no Pan e principalmente nos Jogos Olímpicos”, afirma Todd.

Visite o portal do Sindi-Clube e saiba mais de assuntos que interessam ao seu clube.