Saiba como manter a regularidade dos treinos e não deixar o ritmo cair no feriado

Gustavo Luz*

O mês de novembro veio recheado com três feriados.

Será que é possível não deixá-los atrapalhar os seus treinos?

Sim, é bem verdade que, para muitos corredores, feriado é sinônimo de mais tempo para treinar e uma chance de descansar um pouco mais os músculos.

Para essa galera, o feriado só ajuda no treinamento.

Mas também tem gente, principalmente aqueles que ainda não conseguiram encontrar uma regularidade e uma rotina com os exercícios, que sofre com essa quebra de ritmo que os feriados proporcionam.

E se você tá no grupo dos que estão com dificuldade, não deixe o feriado te sabotar, planeje-o.

Se sabe que vai a uma festa à noite e que vai beber em um dia, não force a barra para treinar de manhã no dia seguinte, por exemplo, reabasteça seu corpo com boa comida e água ao longo do dia, para treinar à noite.

Dessa forma, as chances de se sentir com mais energia para treinar e não ficar em falta com a planilha pode aumentar e as chances de se machucar, por forçar a barra, diminuem.

E quem precisa de regularidade tem que fazer de tudo para passar longe das lesões.

Quem tem o objetivo de perder peso tem que ter cuidado redobrado, pois o feriado pode proporcionar uma noite de comida e bebida farta e a “matada” no treino no dia seguinte.

É claro que não tem problema sair da linha eventualmente, mas seja honesto com você mesmo – se não mandar bem nos treinos, fica difícil perder peso, simples assim.

Caso não dê para treinar, mesmo por causa de algum compromisso, faça uns agachamentos em casa, ou flexões de braço.

Você também pode subir as escadas.

Treinar cinco ou dez minutos é muito melhor do que não treinar nada.

*Gustavo Luz é educador físico formado pela Estácio de Sá, treinador de corrida e triatlo desde 2006. Diretor técnico da G-LUZ Top Team vive atento a tudo que se refere à fisiologia do exercício. Também fala com conhecimento empírico de quem está sempre frequentando as competições.

Visite o nosso portal e curta o Sindi-Clube no Facebook Instagram para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Aproveite o feriado da Independência nos clubes

Nesta quarta-feira (06) todo mundo está esperando apenas uma coisa: o feriado prolongado que começa amanhã!

Todos estão ansiosos para curtir os dias de folga, mas algumas pessoas ainda não decidiram como aproveitar o tempo livre. Se você ainda não sabe o que fazer, que tal se programar para curtir o feriadão no seu clube?

Depois de uma temporada de frio, a previsão para quase todas as cidades de São Paulo é de dias ensolarados, e a piscina do clube é uma ótima alternativa para se refrescar.

Lembre-se de que, como o tempo tende a ficar mais seco, para manter a saúde em dia é preciso garantir que o corpo esteja hidratado. Além de água, os sucos de frutas são uma ótima opção. E quem gosta de bebidas alcoólicas também encontra diversas opções nos bares dos clubes, mas vale lembrar que beber com moderação é essencial.

Os clubes contam também com bons restaurantes para um almoço ou jantar com os amigos ou a família no feriadão. Aprecie o tempo livre em boa companhia e experimente novos sabores.

Alguns clubes terão seus serviços funcionando em horários diferenciados por conta do feriado. Antes de sair de casa, consulte o seu clube para saber quais serviços funcionarão durante esses dias.

E para quem quer relaxar em um ambiente mais silencioso, e viajar sem sair do lugar, as bibliotecas e espaços de leitura dos clubes são o ambiente perfeito. Aproveite e já vá se programando para os Clubes de Leitura e Encontros com o Autor que o Sindi-Clube realizará ao longo do ano.

Bom feriado da Independência!

Visite o nosso portal e curta o Sindi-Clube no Facebook e Instagram para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Clubes já podem pensar na organização do Carnaval, para evitar multas, em três passos

Foto: shutterstock
Foto: shutterstock

Maior festa popular do país, neste ano, começa no sábado de 25 de fevereiro, quando o Carnaval dá seus primeiros gritos de alegria.

A comemoração pode render aos clubes a oportunidade de organizar bailes de carnaval que despertem o interesse do público formado também pelos convidados, que poderão se tornar um possível novo associado.

Para que essa ocasião favorável não se transforme em transtorno financeiro gerado por multas, Consultoria Jurídica do Sindi-Clube recomenda um baile de carnaval bem planejado, que será uma importante fonte de recursos, desde que observadas as posturas administrativas e legais, para que não ocorram as multas que nenhum clube quer em sua planilha de custos.

Desde já, o clube deve seguir o roteiro abaixo, organizado em três passos principais.

1º PASSO, OS ALVARÁS

É variável o tempo de concessão dos alvarás necessários para o baile de carnaval e que podem demandar vistorias. Checar se o clube já possui essas licenças e sua validade deve ser a primeira providência do administrador. Acompanhe o que deve ser observado:

Prefeitura e bombeiros: o alvará de funcionamento da prefeitura que o clube já tem precisa estar em conformidade com o projeto de construção registrado no ‘habite-se’ do imóvel. O alvará do Corpo de Bombeiros deve ser logo providenciado, pois, assim, eventuais pendências encontradas na vistoria poderão ser resolvidas em tempo.

Bares e restaurantes: sejam próprios ou terceirizados, esses estabelecimentos que vão atender os foliões necessitam de alvará da vigilância sanitária para funcionar.

Menores: a permanência de menores nos bailes de carnaval depende de alvará concedido ao clube pelo juizado da Vara da Infância de Juventude, conforme previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente.

2º PASSO, SEGURO E SEGURANÇA

Aqui, providências que também podem levar algum tempo para serem cumpridas e, por isso, precisam ser verificadas logo:

Contratação de seguro: a lei estadual 11.265 obriga a contratação de seguro para a realização do baile de carnaval. A apólice cobre acidente pessoais, coletivos e sinistros.Sem esse seguro, na eventualidade de um imprevisto, o clube e seus dirigentes serão responsabilizados pelos danos que causarem a terceiros.

Brigada de incêndio: o decreto paulista 46.076/01 impõe a presença da brigada compostas por pessoas treinadas e qualificadas ou, então, contratada de empresa credenciada.

Desfibrilador: a lei estadual 12.736/07 obriga que o salão do baile tenha um desfibrilador à disposição, com operadores treinados e atualizados com as novas técnicas de ressuscitação.

Segurança: o clube pode usar segurança própria ou contratar o serviço para os bailes. Nos dois casos, é necessário o registro na Polícia Federal.

 3º PASSO, OBSERVE A LEGISLAÇÃO

Depois de cuidar dos alvarás e da segurança, é hora de observar a ampla legislação que alcança os bailes de carnaval.

Meia entrada: ao calcular a receita que o carnaval vai gerar, o clube deve obedecer a legislação que obriga a concessão do meio ingresso. Poderão entrar no baile pagando metade do valor da entrada estudantes (lei estadual 7844/92), professores da rede estadual (lei 10.858/01) e idosos com mais de 60 anos (lei 10.741/03).

Músicos: o clube é obrigado a exigir da banda contratada o recolhimento da taxa destinada à Ordem dos Músicos. A fiscalização multa o contratante, na falta desse pagamento. Os músicos também devem apresentar a carteira de identificação profissional.

 Direito autoral: os direitos autorais das músicas executadas no baile de carnaval devem constituir um item principal da planilha de custos do evento. É recomendável que o clube procure o Ecad para negociar um acordo para o pagamento.

Impostos: o arrecadado em eventos abertos ao público, como o baile de carnaval é uma receita não própria dos clubes e, por isso, sobre esse valor incide ISS e Cofins.

Menores e bebida: a lei estadual (14.592/11) proíbe totalmente a venda de bebidas alcoólicas a menores e aplica multas altíssimas aos infratores. Saliente-se que a autuação contra o clube pode ser feita mesmo que o menor flagrado com bebida esteja acompanhado dos pais.

Visite o portal  e curta a página do Sindi-Clube no Facebook para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

 

Carnaval bem organizado e sem multas, em três passos

shutterstock_19669513

A maior festa popular do país, neste ano, começa no sábado de 6 de fevereiro, quando o Carnaval dá seus primeiros gritos de alegria.

A comemoração pode render aos clubes a oportunidade de organizar bailes de carnaval que despertem o interesse do público formado também pelos convidados, que poderão se tornar um possível novo associado.

Para que essa ocasião favorável não se transforme em transtorno financeiro gerado por multas, a Consultoria Jurídica do Sindi-Clube observa que o baile de carnaval bem planejado será uma importante fonte de recursos, desde que observadas as posturas administrativas e legais, para que não ocorram as multas que nenhum clube quer em sua planilha de custos. Desde já, o clube deve seguir o roteiro abaixo, organizado em três passos principais, abaixo.

1º PASSO, OS ALVARÁS

 É variável o tempo de concessão dos alvarás necessários para o baile de carnaval e que podem demandar vistorias. Checar se o clube já possui essas licenças e sua validade deve ser a primeira providência do administrador. Acompanhe o que deve ser observado:

Prefeitura e bombeiros: o alvará de funcionamento da prefeitura que o clube já tem precisa estar em conformidade com o projeto de construção registrado no ‘habite-se’ do imóvel. O alvará do Corpo de Bombeiros deve ser logo providenciado, pois, assim, eventuais pendências encontradas na vistoria poderão ser resolvidas em tempo.

Bares e restaurantes: sejam próprios ou terceirizados, esses estabelecimentos que vão atender os foliões necessitam de alvará da vigilância sanitária para funcionar.

Menores: a permanência de menores nos bailes de carnaval depende de alvará concedido ao clube pelo juizado da Vara da Infância de Juventude, conforme previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente.

2º PASSO, SEGURO E SEGURANÇA

Devem ser verificados:

Contratação de seguro: a lei estadual 11.265 obriga a contratação de seguro para a realização do baile de carnaval. A apólice cobre acidente pessoais, coletivos e sinistros. Sem esse seguro, na eventualidade de um imprevisto, o clube e seus dirigentes serão responsabilizados pelos danos que causarem a terceiros.

Brigada de incêndio: o decreto paulista 46.076/01 impõe a presença da brigada compostas por pessoas treinadas e qualificadas ou, então, contratada de empresa credenciada.

Desfibrilador: a lei estadual 12.736/07 obriga que o salão do baile tenha um desfibrilador à disposição, com operadores treinados e atualizados com as novas técnicas de ressuscitação.

Segurança: o clube pode usar segurança própria ou contratar o serviço para os bailes. Nos dois casos, é necessário o registro na Polícia Federal.

3º PASSO, OBSERVE A LEGISLAÇÃO

Depois de cuidar dos alvarás e da segurança, é hora de observar a ampla legislação que alcança os bailes de carnaval.

Meia entrada: ao calcular a receita que o carnaval vai gerar, o clube deve levar em conta a legislação que obriga a concessão do meio ingresso. Terão acesso ao baile pagando metade do valor da entrada estudantes (lei estadual 7844/92), professores da rede estadual (lei 10.858/01) e idosos com mais de 60 anos (lei 10.741/03).

Músicos: o clube é obrigado a exigir da banda contratada o recolhimento da taxa destinada à Ordem dos Músicos. A fiscalização multa o contratante, na falta desse pagamento. Os músicos também devem apresentar a carteira de identificação profissional.

Direito autoral: os direitos autorais das músicas executadas no baile de carnaval devem constituir um item principal da planilha de custos do evento. É recomendável que o clube procure o Ecad para negociar um acordo para o pagamento.

Impostos: o arrecadado em eventos abertos ao público, como o baile de carnaval é uma receita não própria dos clubes e, por isso, sobre esse valor incide ISS e Cofins.

Menores e bebida: recente lei estadual (14.592/11) proíbe totalmente a venda de bebidas alcoólicas a menores e aplica multas altíssimas aos infratores. Saliente-se que a autuação contra o clube pode ser feita mesmo que o menor flagrado com bebida esteja acompanhado dos pais.

Visite o portal  e curta a página do Sindi-Clube no Facebook para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Cinzas, a volta ao normal!

shutterstock_49629544

Nabil Ghorayeb*

Ufa! Quem dançou, dançou! A maioria silenciosa inicia sua volta à vida normal.

Os abusos alimentares e etílicos já mostram o tamanho da conta a ser paga – pior são os abusos de estimulantes, energéticos e drogas.

As tradicionais receitas de comadres e dos mui amigos são várias: tomar azeite puro (argh!), refrigerantes de cola com café e ácido acetilsalicílico (a velha aspirina, AAS e similares) em doses cavalares.

Café amargo com antiácidos e outras dicas menos conhecidas, consideradas apenas alternativas, sem respaldo médico.

Essas conhecidas receitas caseiras não são curativas e nem milagrosas, tendo efeito mais psicossomático do que físico.

Porém, algumas mais radicais podem agravar os sintomas digestivos ou mesmo trazer novos problemas médicos.

Bom, a verdade é que devemos cuidar da famosa “intoxicação” aguda do aparelho digestivo – representada por náuseas, má digestão, vômitos, dores de cabeça, tonturas, gosto amargo/metálico na boca etc. – que é o resultado dos abusos do feriado.

Além da medicação específica, no mínimo por três dias, a orientação é consumir apenas alimentos sem gordura e de fácil digestão, usando pouco sal e nada de açúcar.

Pela sua composição “forte e gordurosa”, evitar os molhos e temperos de toda ordem sem exceções.

Na ocorrência de problemas cardíacos, como palpitações, elevação da pressão, falta de ar, dores no peito e outros, procurar o cardiologista sem delongas, pois certos sintomas não devem perdurar por muito tempo sem diagnóstico e tratamento.

As atividades físicas devem ser reiniciadas gradativamente, começando com duas a três vezes semanais e, dependendo do nível de desgaste durante o carnaval, levar mais tempo para aumentar a intensidade dos treinos.

Analgésicos e anti-inflamatórios devem ser mantidos fora do contexto do tratamento, por não acrescentarem nada de útil e induzirem a riscos ao aparelho digestivo.

Uma certeza: o ano começou! Feliz Ano Novo a todos.

*Nabil Ghorayeb, doutor em Cardiologia, é especialista  em  Cardiologia  e Medicina do Esporte e mantém o site CardioEsporte onde podem ser lidos mais artigos com informações e dicas úteis para a saúde.

Visite o portal do Sindi-Clube e saiba mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Com muita sombra e água fresca, 2015 será o ano dos feriados prolongados

shutterstock_119091199Ao contrário deste ano, em que houve poucas folgas prolongadas, 2015 promete ser ótimo para quem gosta de feriadão.

O ano já começa assim: 1º de janeiro cai numa quinta-feira, o que possibilitará uma prorrogação.

Outros feriados do calendário deste dia da semana são Corpus Christi, 4 de junho (que depende lei municipal), e o feriado estadual de 9 de julho.

Já em sextas-feiras serão quatro: Paixão de Cristo (3 de abril), Dia do Trabalho (1º de maio), Consciência Negra (20 de novembro, desde que haja lei municipal) e Natal (25 de dezembro).

As segundas-feiras também estarão repletas de folgas: Independência do Brasil (7 de setembro), Nossa Senhora Aparecida (12 de outubro) e Finados (2 de novembro) alongarão o fim de semana.

Fora isso, Tiradentes (21 de abril), que cairá numa terça-feira, poderá servir de ponte para mais um feriadão.

Apenas a Proclamação da República (15 de novembro) cairá no domingo.

Vale ainda lembrar que não há feriado no Carnaval, a terça-feira (17 de fevereiro) do reinado de Momo depende de lei municipal para ser considerada como mais um dia de descanso do trabalho.

Acompanhe abaixo a relação das datas que serão feriados e as que dependem de lei municipal para tanto.

Feriados Nacionais:

  • 1º de janeiro, Confraternização Universal, quinta-feira.
  • 21 de abril, Tiradentes, terça-feira.
  • 1º de maio, Dia do Trabalho, sexta-feira.
  • 7 de setembro, Independência, segunda-feira.
  • 12 de outubro, Nossa Senhora Aparecida, segunda-feira.
  • 2 de novembro, Finados, segunda-feira.
  • 15 de novembro, Proclamação da República, domingo.
  • 25 de dezembro, Natal, sexta-feira.

Feriado Estadual em São Paulo

9 de julho, Revolução Constitucionalista de 1932, quinta-feira.

Há ainda as comemorações festivas e religiosas que dependem de lei municipal para sua proibição ao trabalho:

  • 6 de janeiro, Santos Reis, terça-feira.
  • 17 de fevereiro, terça-feira de Carnaval.
  • 5 de abril, Páscoa, domingo.
  • 14 de maio, Ascensão do Senhor, quinta-feira.
  • 24 de maio, Espirito Santo (Pentecostes), domingo.
  • 4 de junho, Corpus Christi, quinta-feira.
  • 13 de junho, Santo Antonio, sábado.
  • 24 de junho, São João, quarta-feira.
  • 29 de junho, São Pedro e São Paulo, segunda-feira.
  • 15 de agosto, Assunção de Nossa Senhora, sábado.
  • 8 de setembro, Natividade de Nossa Senhora, terça-feira.
  • 1º de novembro, Todos os Santos, domingo.
  • 20 de novembro, Consciência Negra, sexta-feira.
  • 8 de dezembro, Imaculada Conceição, terça-feira.

Os municípios ainda poderão declarar, por lei, feriado local a data de sua fundação.

Visite o portal do Sindi-Clube e saiba mais de assuntos que interessam ao seu clube.