Gastando energia: aproveite as férias e faça mais exercícios com as crianças

shutterstock_114973864
Foto: shutterstock

 

*Nabil Ghorayeb

As férias chegaram, e você, um esportista ferrenho, tem que conviver agora diariamente com irmãos menores, filhos, netos e sobrinhos, que, logicamente, precisam gastar as energias próprias das crianças e adolescentes.

Por onde começar esse convívio, sem cair no frequente e mundial estresse das férias escolares?

Pelo menos, os benefícios da prática esportiva dessa turma elétrica são conhecidos, mas devem seguir certas recomendações!

Procurem incentivar esportes coletivos, onde se convive com vitórias e derrotas em grupo, trazendo mais sociabilização deles.

Mas, lembrem-se, sempre supervisionados com certa distância, pelos pais ou responsáveis.

As lideranças esportivas nascem naturalmente e o claro aprendizado vai levar para crescentes graus a maturidade dessa garotada.

Os que são praticantes de esportes individuais, de lutas e outros devem ter a oportunidade das práticas coletivas, pelo menos uma vez por semana, seja com parentes ou não.

Nada de excesso de exigências para essa turma, errar e acertar faz parte do jogo.

Não são incomuns afirmações de certos pais de que seus pequenos heróis serão Gugas, Neymares, Daianes e até Sennas.

O esporte nessas idades deve ser livre, lúdico, divertido, sem obrigações e cobranças maiores dos responsáveis.

Já tivemos ótimos atletas juvenis que abandonaram o esporte por excesso de exigências de todos que o cercavam, desanimaram e pararam tudo e alguns fizeram o pior, viraram sedentários.

Para mantê-los ativos, os pais poderiam participar e aproveitar eventuais conhecimentos para boas dicas.

Se for esporte desconhecido, pelo menos os apoiem e lhes ofereçam bons equipamentos.

Se puder, ofereça alimentação saudável na maior parte das vezes, podendo, sem dúvida, sair da curva saudável, vez ou outra.

Não torne as férias da garotada um inferno.

Volto a lembrar, participe para você não se tornar um sedentário e obeso.

Tudo que fizer para que eles tenham uma futura vida ativa trará retorno.

Além de boa saúde, como dissemos em artigos anteriores, terão um futuro promissor em outras profissões, pois saberão lutar com grande chance de serem vitoriosos, segundo várias pesquisas científicas recentes.

*Nabil Ghorayeb: www.cardioesporte.com.br    
Formado em medicina pela FM de Sorocaba PUCSP, Doutor em Cardiologia pela FMUSP , Chefe da Seção CardioEsporte do Instituto Dante Pazzanese Cardiologia, Especialista por concurso em Cardiologia e Medicina do Esporte, Médico Sênior do Grupo Fleury Medicina e Saúde, Coordenador da Clínica CardioEsporte do HCor, CRM SP 15715 , Prêmio Jabuti de Literatura Ciência e Saúde. 

Visite o portal  e curta a página do Sindi-Clube no Facebook para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Prova longa e lenta ou rápida e curta? Como correr bem sem quebrar no fim

shutterstock_302979950
foto: shutterstock

Gustavo Luz*

Neste domingo (5/11) aconteceu no Rio de Janeiro a Corrida Eu Atleta, disputada nas distâncias de 5km e 10km.

As provas foram muito disputadas lá na frente, e com vários iniciantes se aventurando também.

Se você quer mandar bem nesse tipo de corrida, é importante ter em mãos boas informações na hora de fazer escolhas.

Confira abaixo três informações importantes para quem gosta de correr.

1. Você quebra no final?

É comum ver corredores largando muito forte e quebrando antes da chegada.

Quando você começa a corrida muito rápido, pode recrutar as fibras musculares e o sistema de energia de forma errada (precipitada). De uma maneira geral, tente correr os primeiros 70% da prova em um ritmo mais dosado para, se der, acelerar nos 30% finais.

2. Você corre de estômago vazio?

Talvez esse seja um dos erros alimentares mais comuns entre os corredores, principalmente para a galera que treina de manhã. Fazer um pequeno lanche de fácil digestão uns trinta minutos antes de correr otimiza a queima calórica e a qualidade do seu treino. Se não comer nada, provavelmente usará as suas reservas de gordura antes da hora. Isso pode parecer uma boa ideia, mas a gordura não supre as necessidades de energia tão bem, o ritmo de corrida diminui e você pode se cansar mais rápido.

3. O que é melhor para emagrecer: corrida longa e lenta ou rápida e curta?

As duas podem ajudá-lo com isso, desde que você mantenha a alimentação sob controle. Corridas longas e lentas são mais acessíveis para a maioria dos corredores e, no geral, levam a menos lesões que as corridas mais rápidas.  Você queima mais ou menos 60 calorias por km em corridas mais longas.  Corridas curtas e rápidas queimam um pouco mais e ainda elevam o gasto calórico no pós-treino (mais do que as corridas lentas).

*GUSTAVO LUZ
É educador físico formado pela Estácio de Sá, treinador de corrida e triatlo desde 2006 e praticante há quase 18 anos. Diretor técnico da G-LUZ Top Team, vive atento a tudo que se refere à fisiologia do exercício. Também fala com conhecimento empírico de quem está sempre frequentando as competições.

https://www.facebook.com/GLuzTopTeam/