Brasil define nadadores para o Mundial em Piscina Curta

Brasil definido para o mundial do Canadá (Foto: Osmar Portilho/COB)
Brasil definido para o mundial do Canadá (Foto: Osmar Portilho/COB)

O Brasil será representado por 14 atletas no Campeonato Mundial em Piscina Curta de natação, entre 6 e 11 de dezembro, em Windsor, no Canadá.

Entre os nomes confirmados para a competição estão Felipe França e Etiene Medeiros, que estiveram nos Jogos Olímpicos Rio 2016 e vão defender os títulos conquistados em Doha 2015 nos 50m e 100m peito e nos 50m costas, respectivamente.

Além de Felipe e Etiene, o Brasil contará ainda com Felipe Lima, Nicholas Santos, Thiago Simon, classificados pelo índice obtido no Troféu José Finkel, em setembro, e Leonardo de Deus, Lucas Kanieski, Manuella Lyrio, Brandonn Almeida, Kaio Márcio, Viviane Jungblut, Larissa Oliveira, Fernando Scheffer e Daiene Dias, classificados pelo índice técnico.

Os nadadores contarão com os técnicos Alberto Silva, Fernando Vanzella, Carlos Matheus, Eduardo Santos e Sérgio Marques no Canadá, além de Giovana Moreira, chefe de delegação, do médico Luiz Marchese e do fisioterapeuta Natan Cunha.

Visite o portal  e curta a página do SINDI-CLUBE no Facebook para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Natação é esperança de medalhas

Cielo: favoritismo mantido (Foto: CBDA)
Cielo: favoritismo mantido (Foto: CBDA)

Se em alguns esportes o Brasil não tem tradição, nem esperanças de medalhas, em outros o favoritismo reforça as chances de conquista e a torcida para que o sonho se torne realidade, como é o caso da natação.

A modalidade é responsável por treze medalhas olímpicas na história, e apostará na velocidade para fazer bonito nos jogos olímpicos de 2016.

César Cielo é campeão olímpico e tem três ouros nos 50m livre em mundiais. Mesmo não estando em sua melhor forma, ainda é um dos favoritos na prova curta.

Já no caso de Bruno Fratus, top 5 do mundo na prova em quatro dos últimos cinco anos e, embora não tenha subido ao pódio em competições internacionais, também briga forte por medalha.

Além dos dois, Thiago Pereira, prata olímpica em 2012 (400 m medley) e recordista em medalhas em Jogos Pan-Americanos, Guilherme Guido (100 m costas) e Henrique Rodrigues (medley), também podem surpreender positivamente.

No feminino, Etiene Medeiros, que tem o recorde mundial nos 50 m costas em piscina curta, trouxe ainda mais expectativa, após se tornar a primeira mulher brasileira a conquistar uma medalha na natação de Jogos Pan-Americanos, tendo, em 2015, ficado com o ouro.

O Brasil jamais conquistou medalha na natação feminina em Olimpíada.

Visite o portal  e curta a página do Sindi-Clube no Facebook para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.