Exames médicos simples podem prevenir mortes em corridas longas

shutterstock_286865699Nabil Ghorayeb*

Um estudo científico publicado recentemente (RACE) mostra o que aconteceu nas últimas Maratonas de Paris, de outubro de 2006 a abril de 2012, partindo de algumas premissas interessantes e que servem para todas as corridas de performance elevada.

Os principais problemas encontrados em corredores são o infarto do miocárdio em atletas com mais de 35 anos, e abaixo dessa idade, uma doença genética chamada de cardiomiopatia.

Outras causas foram o choque térmico de hipertermia e desidratação.

As pesquisas mostraram que as intercorrências médicas acontecem mais em corredores ocasionais, na proporção de um caso em 7.500 a 18 mil, enquanto nos mais experientes foi um caso em 200 mil.

A baixa quantidade de problemas detectada nesta grande pesquisa merece algumas especulações.

Diferentemente do que acontece no Brasil, para a Maratona de Paris é exigido um atestado de saúde, do qual o médico que assina passa a ter importante responsabilidade.

Mais de 90% das mortes que aconteceram em corridas em todos os cantos do mundo poderiam ter sido prevenidas apenas com uma simples e eficiente avaliação médica competente.

A avaliação médica prévia compreende consulta clínica, eletrocardiograma e teste ergométrico, que por exigência do Conselho Federal de Medicina e da Anvisa, têm como obrigatória a presença de um médico na sala, que só pode acompanhar um exame de cada vez.

Além disso, é preciso fazer as dosagens laboratoriais dos níveis de açúcar, gorduras sanguíneas e função renal.

Outra importante ação é a presença obrigatória de equipes treinadas e preparadas com equipamentos próprios para atender emergências médicas em vários pontos de uma prova de corrida.

Finalmente podemos concluir que nunca se deve praticar atividade física sem avaliação clínica competente de um médico que conheça o que é uma corrida longa e desgastante, nem sem a orientação de um profissional de educação física ou de um fisiologista do esporte.

Alerto para que se protejam evitando os blogueiros e professores sem formação universitária específica na área da saúde.

*NABIL GHORAYEB
Formado em medicina pela Faculdade de Medicina de Sorocaba PUCSP, doutor em cardiologia pela FMUSP , chefe da seção CardioEsporte do Instituto Dante Pazzanese Cardiologia, especialista por concurso em Cardiologia e Medicina do Esporte, médico sênior do Grupo Fleury Medicina e Saúde, coordenador da Clínica CardioEsporte do HCor, CRM SP 15715 , Prêmio Jabuti de Literatura Ciência e Saúde. www.cardioesporte.com.br

Visite o portal  e curta a página do Sindi-Clube no Facebook para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Corrida: ganhe resistência com o treino longo

shutterstock_265174154Gustavo Luz*

treino longo é uma boa opção para o desenvolvimento e manutenção da resistência para o corredor.

Se a finalidade é mandar bem nas distâncias de 21km e 42 km, ele se torna mais importante ainda.

O objetivo é proporcionar algumas estratégias de treino que podem dar certo com você, que corre e busca melhorar suas marcas nessas distâncias.

21km
Na meia maratona, os últimos 5 km são importantíssimos para quem quer melhorar o tempo, e é justamente nesse trecho que a maior parte dos corredores desacelera. Então, treinos longos para essa distância podem ter algo entre 18 km e 24 km (um pouco mais para os melhores amadores) – essa distância se encaixa bem com os corredores que possuem esse perfil.

Experimente fazer os últimos 20 ou 25 minutos do seu longão aumentando o ritmo de forma progressiva, visualizando um final de prova. Você não precisa fazer isso em todos os longões. Talvez a cada duas semanas na fase de preparação específica para a prova seja o suficiente e evite que você force a barra treinando com intensidade demais.

42km
O treino longo é a base de preparação para a maratona, aumentando a resistência e permitindo que você se acostume com esse nível de exigência física, além de desenvolver um preparo mental para que aguente correr por tanto tempo. Em seu período de treino específico para a prova, seus longões podem chegar a algo entre 32 km e 35 km. Tente não deixar com que esses treinos suguem toda a sua energia. Uma boa parte dos maratonistas treina demais e chega cansado para a largada. Para tentar evitar que o seu longão acabe com a sua semana, uma sugestão é fazer pausas de 1 ou 2 minutos caminhando a cada 3 ou 4 km. Você se hidrata com calma e reduz um pouco a intensidade do exercício. Essas pausas nos treinos, provavelmente, não alteram o seu resultado final na hora da prova e fazem com que você treine de uma maneira mais suave para uma prova que, às vezes, requer 4 ou 5 meses de treinamento.

*Gustavo Luz, educador físico, treinador de corrida e triatlo desde 2006 e praticante há quase 15 anos. Diretor técnico da G-Luz Top Team, vive atento a tudo que se refere a fisiologia do exercício. Também fala com o conhecimento empírico de quem está sempre frequentando as competições.

Visite o portal do Sindi-Clube e saiba mais de assuntos que interessam ao seu clube.