84% dos atletas olímpicos brasileiros são formados por clubes, aponta estudo da CBC

shutterstock_67832353Um levantamento feito pela Confederação Brasileira de Clubes (CBC) aponta que dos 465 atletas que representam o Brasil na Olimpíada, 390 foram formados e treinam em clubes brasileiros – esse número equivale a 84% do total.

Esse resultado expressivo decorre da estrutura de qualidade oferecida pelas agremiações aos seus associados, que permite o desenvolvimento da prática esportiva.

Ao todo, 135 clubes brasileiros possuem representantes nos Jogos do Rio.

O Esporte Clube Pinheiros, com 62 atletas, o Minas Tênis Clube, com 15, e o Clube de Regatas do Flamengo, com 11, são as agremiações que mais formaram esportistas neste ciclo olímpico.

Outras 62 entidades (confederações, escolas, academias, ONGs e universidades) complementam o trabalho dos clubes de revelar atletas de alto rendimento.

Visite o portal  e curta a página do Sindi-Clube no Facebook para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube. 

Veja as fotos da participação do Sindi-Clube no Congresso Brasileiro de Clubes

IMG_5557BLOG
Consultores do Sindi-Clube responderam a perguntas dos participantes do Congresso

O Sindi-Clube marcou com pleno êxito sua participação no Congresso Brasileiro de Clubes, que foi realizado de 20 a 22 de novembro, no Hotel Royal Palm Plaza, em Campinas.

As fotos já estão disponíveis na página do Sindi-Clube no Facebook.

O tradicional evento mais uma vez reuniu presidentes e dirigentes de clubes de todo o país, com grande sucesso de participação.

O Sindi-Clube, um dos apoiadores do Congresso montado pela Confederação Brasileira de Clubes, realizou na abertura do encontro o painel “Encontro de Soluções”, em que foram ministradas duas palestras.

A primeira com foco no atendimento ao associado nos clubes e o papel dos gestores, ministrada por Tânia Zapelão, e a outra sobre a necessidade de investimentos em marketing para o sucesso do clube, por Sueli Vidal.

Um dos destaques do programa foi a parte final do evento, em que os dirigentes e gestores de clubes participantes do Congresso dirigiram perguntas, com temas livres, aos consultores do Sindi-Clube das áreas: jurídica, universidade corporativa, aprendizagem, tecnologia da informação, esportes, cultural e comunicação.

O Sindi-Clube também montou estande para atendimento aos visitantes e recepção de dirigentes.

Visite o portal do Sindi-Clube e saiba mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Paulistas são 38% dos clubes que pediram recursos da Lei Pelé

icones esportes

A Confederação Brasileira de Clubes (CBC) divulgou a lista de 29 clubes que solicitaram recursos previstos na Lei Pelé. Desses, 11 são paulistas, 38% do total, sendo quatro deles do interior de São Paulo.

A CBC é a entidade legalmente encarregada de receber e analisar as propostas, para posterior liberação de verbas para o desenvolvimento de projetos de formação esportiva em modalidades olímpicas e paraolímpicas.

Esses recursos são repassados à CBC pelo Ministério do Esporte e correspondem a 0,5% do arrecadado com loterias.

Os clubes responderam a dois editais de chamamento que prevê a destinação de recursos para a compra de equipamentos para a formação de atletas.

O primeiro deles prevê a destinação de R$ 20 milhões para o esporte olímpico, sendo que os projetos poderiam ter valor mínimo de R$ 100 mil e máximo de R$ 2 milhões.

O outro edital foi destinado ao esporte paraolímpico, no valor de R$ 6 milhões, para projetos com valor mínimo de R$ 100 mil e máximo de R$ 500 mil.

Agora, os projetos serão encaminhados para análise da Comissão Técnica.

Uma vez aprovados, os recursos serão autorizados à aplicação pelos clubes.

Essa liberação marcará o início de uma consistente via de financiamento, na década do esporte.

Veja aqui a relação dos clubes aptos a receber recursos da Lei Pelé.

Visite o portal do Sindi-Clube e saiba mais de assuntos que interessam ao seu clube.