Natação é esperança de medalhas

Cielo: favoritismo mantido (Foto: CBDA)
Cielo: favoritismo mantido (Foto: CBDA)

Se em alguns esportes o Brasil não tem tradição, nem esperanças de medalhas, em outros o favoritismo reforça as chances de conquista e a torcida para que o sonho se torne realidade, como é o caso da natação.

A modalidade é responsável por treze medalhas olímpicas na história, e apostará na velocidade para fazer bonito nos jogos olímpicos de 2016.

César Cielo é campeão olímpico e tem três ouros nos 50m livre em mundiais. Mesmo não estando em sua melhor forma, ainda é um dos favoritos na prova curta.

Já no caso de Bruno Fratus, top 5 do mundo na prova em quatro dos últimos cinco anos e, embora não tenha subido ao pódio em competições internacionais, também briga forte por medalha.

Além dos dois, Thiago Pereira, prata olímpica em 2012 (400 m medley) e recordista em medalhas em Jogos Pan-Americanos, Guilherme Guido (100 m costas) e Henrique Rodrigues (medley), também podem surpreender positivamente.

No feminino, Etiene Medeiros, que tem o recorde mundial nos 50 m costas em piscina curta, trouxe ainda mais expectativa, após se tornar a primeira mulher brasileira a conquistar uma medalha na natação de Jogos Pan-Americanos, tendo, em 2015, ficado com o ouro.

O Brasil jamais conquistou medalha na natação feminina em Olimpíada.

Visite o portal  e curta a página do Sindi-Clube no Facebook para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Conheça as modalidades olímpicas: nado sincronizado

Nado sincronizado: ajustes para os Jogos (Foto: CBDA)
Nado sincronizado: ajustes para os Jogos (Foto: CBDA)

O nado sincronizado brasileiro pretende conquistar um ouro inédito na próxima Olimpíada, que será realizada no Rio de Janeiro, em 2016.

Porém, os últimos resultados em competições internacionais não foram muito positivos.

No mundial de Kazan, na Rússia, realizado em agosto deste ano, as brasileiras terminaram na décima colocação geral.

Já no Pan-Americano de Toronto, em julho, a seleção conseguiu duas quartas colocações, por dupla e equipe, e não trouxe nenhuma medalha para casa. Essa foi a pior participação do Brasil desde os jogos de Mar del Plata, em 1995.

Mas nem todos os resultados foram negativos esse ano.

Em maio, as meninas ganharam três pratas no Aberto do Japão.

Um pouco antes, em março, a seleção conquistou um ouro no Aberto da Alemanha e um bronze no Aberto da França.

“Estou muito satisfeita com o desempenho do Brasil. Elas fizeram o melhor que podiam e estão progredindo bastante. As atletas são comprometidas e trabalham muito. Nós vamos criar novos ajustes para as nossas rotinas e, com um passo de cada vez, mostrar para os juízes os avanços das apresentações do Brasil”, conclui Julie Sauvè, consultora técnica do nado sincronizado brasileiro.

Visite o portal do Sindi-Clube e saiba mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Conheça as modalidades olímpicas: saltos ornamentais

Saltos ornamentais: patamar inédito (Foto: Satiro Sodré)
Saltos ornamentais: patamar inédito (Foto: Satiro Sodré)

Os atletas brasileiros de saltos ornamentais conquistaram três medalhas de bronze no Campeonato Sul-Americano de Desportos Aquáticos, realizado em novembro de 2014, na Venezuela.

O Brasil participou do torneio com Ian Matos, Ingrid Oliveira, Luiz Felipe Outerelo e Tammy Galera. Todos conquistaram medalhas.

O país ficou com o quarto lugar, com 30 pontos somados.

Eleito o melhor atleta dos saltos ornamentais do país em 2014, César Castro ganhou o título do trampolim de 3 m masculino no Troféu Brasil, disputado no Parque Aquático Maria Lenk, no Rio de Janeiro, no final de novembro.

O salto ornamental tem novos nomes surgindo.

Ingrid Oliveira cada vez mais se consolida internacionalmente.

Foi medalha de bronze na seletiva mundial para os Jogos Olímpicos da Juventude, realizada no México. Nos Jogos Olímpicos de Nanquim ela foi quinta colocada na plataforma de 10m.

Isaac Souza Filho, foi quarto colocado no trampolim de um metro, no Mundial Júnior de Penza, na Rússia.

O presidente da Confederação Brasileira Desportos Aquáticos (CBDA) tem grandes expectativas para os Jogos Rio 2016.

“Os atletas, clubes, técnicos, CBDA, COB, Ministério do Esporte, Correios e demais patrocinadores, têm se unido em torno do objetivo de colocar o país num patamar inédito nas nossas modalidades. Temos chances reais de fazer um excelente mundial ano que vem e uma Olimpíada inesquecível”, diz Coaracy Nunes Filho.

Visite o portal do Sindi-Clube e saiba mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Conheça as modalidades olímpicas: polo aquático

Polo aquático: classificação garantida para o Pan (Foto: Satiro Sodré/CBDA)
Polo aquático: classificação garantida para o Pan (Foto: Satiro Sodré/CBDA)

A Olimpíada Rio 2016 terá a estreia olímpica da equipe feminina do Brasil de polo aquático.

Por ser país sede, as seleções masculina e feminina do Brasil já têm vagas confirmadas.

No Campeonato Sul-Americano de Desportos Aquáticos, realizado em Mar del Plata, na Argentina, o Brasil garantiu sua posição de grande potência sul-americana nos esportes aquáticos e conquistou o título de campeão em todas as competições.

Ao todo o Brasil obteve 57 medalhas, sendo 28 de ouro, 18 de prata e 11 de bronze.

Marina Zablith e Felipe Perrone ganharam o Prêmio Señor de Sipan oferecido para os melhores atletas.

As equipes brasileiras do polo aquático classificaram-se para os Jogos Pan-Americanos de 2015, em Toronto, no Canadá, com as medalhas de ouro conquistadas nas categorias masculino e feminino.

O presidente da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA), Coaracy Nunes Filho, vê nessas conquistas fatores que permitem acreditar em boa campanha brasileira em 2016:

“Os resultados deste sul-americano superaram as nossas expectativas. Nosso projeto conta com mais um ano e meio de treinamento para alcançar o maior objetivo, que é representar muito bem o Brasil nos Jogos Olímpicos de 2016. As medalhas conquistadas vêm reforçar que o trabalho está sendo bem realizado e os esportes aquáticos brasileiros continuam em evolução”, afirmou.

Visite o portal do Sindi-Clube e saiba mais de assuntos que interessam ao seu clube.