Canoagem abre última semana de exposição de cursos sobre modalidades olímpicas

Schleder falou sobre aspectos técnicos da canoagem
Schleder falou sobre aspectos técnicos da canoagem

A série de cursos sobre modalidades olímpicas para jornalistas e estudantes de jornalismo, promovidos pela Universidade SINDI-CLUBE em parceria com a Aceesp (Associação dos Cronistas Esportivos do Estado de São Paulo), está chegando ao fim.

A canoagem deu início nesta terça-feira (12/7) à última semana de exposições.

Iran Schleder Jr, coordenador de comunicação da Confederação Brasileira de Canoagem (CBCa) aprovou a iniciativa das entidades de promover a divulgação de modalidades menos conhecidas.

“O SINDI-CLUBE está de parabéns pela iniciativa. Muito importante os jornalistas terem essa chance de se aproximarem das confederações e entender sobre as regras e peculiaridades de cada um desses esportes pouco difundidos no Brasil”.

Leonardo Maiola, supervisor do comitê de paracanoagem da CBCa, acredita no sucesso da modalidade na Paraolimpíada e destaca que o esporte também é usado para reabilitação do condicionamento físico.

O último curso da série de exposições, ciclismo de mountain bike, que será realizado amanhã (13/7) está com inscrições abertas.

Interessados devem mandar e-mail para contato@sindiclubesp.com.br ou, para mais informações, acessar o portal do SINDI-CLUBE.

Visite o portal  e curta a página do SINDI-CLUBE no Facebook para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Conheça as modalidades olímpicas: canoagem

Canoagem: objetivo é conseguir mais vagas olímpicas
Canoagem: objetivo é conseguir mais vagas olímpicas

A Confederação Brasileira de Canoagem (CBCa) assinou contrato com a GE Brasil para o desenvolvimento de um software que irá monitorar o desempenho dos atletas e das canoas nos treinamentos.

Com isso, a modalidade ganha um aliado tecnológico que irá fornecer resultados em tempo real à comissão técnica.

Haverá sensores, como GPS, giroscópio, acelerômetro e magnetômetro instalados nas canoas.

Serão medidas a intensidade das remadas, a velocidade e a direção das embarcações.

As informações serão transmitidas para um sistema central que cruzará todos os dados automaticamente.

O técnico da Seleção Brasileira, o espanhol Jesus Morlán, poderá visualizá-los por meio de um tablet.

O treinador, que completou dois anos no cargo, chegou aos Brasil com fama de durão.

Já pode comemorar a conquista da confiança dos comandados, que elogiam sua atuação.

Morlán foi eleito o melhor técnico de esportes individuais pelo Comitê Olímpico do Brasil no ano passado e diz não gostar de improvisações.

No currículo, são nada menos que cinco láureas olímpicas (quatro pratas e um ouro) e dez em Mundiais.

Ele diz esperar que o trabalho duro resulte no maior número possível de vagas olímpicas para o Brasil.

O país já tem uma garantida, por ser sede, mas buscará três no Mundial de Milão (ITA), em agosto deste ano.

Visite o portal do Sindi-Clube e saiba mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Conheça as modalidades olímpicas: canoagem

isaquias_queiroz_-_Rio 2016-matt_king
Isaquias Queiroz: aposta para o pódio (Foto: Getty Images/Matt King)

Com ótimos resultados em provas que antecedem à Olimpíada, a Canoagem demonstra que é uma das modalidades favoritas para garantir medalhas olímpicas para o Brasil em 2016, em que o pais terá duas modalidades para competições, velocidade e slalom.

Em ambas, a busca de medalha inédita.

O atleta Isaquias Queiroz é uma grande aposta para subir ao pódio.

Ele foi o primeiro brasileiro a conquistar uma medalha no Mundial de Canoagem Velocidade, realizado em Duisburg, na Alemanha, em 2013.

“Em 2014, obtivemos ótimos resultados com Queiroz na categoria de velocidade, como a primeira medalha de ouro, nos Jogos Sul-Americanos”, aponta Iran Schleder, assessor da Confederação Brasileira de Canoagem.

Também neste ano, no Campeonato Pan-Americano de Canoagem Slalom no México, os brasileiros sagraram-se os melhores da América.

O atleta Pedro Henrique Gonçalves foi o melhor da categoria K1 Slalom. Na segunda posição, Ricardo Martins Taques completa o bom resultado do país.

Ana Sátila, que é campeão mundial Júnior de canoagem slalom, foi a melhor C1 Feminino no Pan-Americano e Marina Souza foi bronze no K1.

Os ótimos resultados garantem vagas importantes para o Brasil nos Jogos Pan-americanos de Toronto 2015, no Canadá, que será fundamental na reta final da preparação para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro 2016.

Visite o portal do Sindi-Clube e saiba mais de assuntos que interessam ao seu clube.