Portaria estabelece condições higiênico-sanitárias para clubes

shutterstock_129416291

Portaria da Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo (1101/2015 SMS.G) estabelece condições higiênico-sanitárias para serviços relativos à ginástica, musculação, natação, saunas e outras atividades em clubes e academias.

A Consultoria Jurídica do Sindi-Clube ressalta que o regulamento técnico, com vigência desde 20 de outubro, estipula regras a serem observadas em todos os clubes do Estado de São Paulo, visto que as disposições estão presentes em outras legislações, especialmente a da Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

A portaria do município de São Paulo repete e enfatiza normas que já se encontram em conjunto de leis que regulamentam as condições higiênico-sanitárias de locais como academias, saunas e piscinas, entre outros.

Dessa forma, vale destacar o resumo dos principais pontos do regulamento que prevê as boas condições de conservação e uso desses equipamentos e que devem ser seguidos nos clubes.

Sanitários e vestiários

Os sanitários e vestiários precisam ser separados por sexo e é obrigatória a existência de, no mínimo, uma pia para higienização, um chuveiro e um vaso sanitário protegidos por portas e divisórias. Além disso, o espaço tem que possuir armários para a guarda de roupas.

Áreas para atividades físicas

O regulamento determina que sejam mantidas barreiras físicas nos locais em que exista perigo de quedas. As paredes e obstáculos precisam ser protegidos, no mínimo, até 1 metro de altura, quando proporcionarem riscos à segurança dos usuários.

Deve haver pisos apropriados nas salas destinadas à prática de lutas, com revestimentos higienizáveis que permitam o amortecimento de tombos. É obrigatório que os colchonetes, higienizados após cada uso, permaneçam separados e identificados como limpos e não limpos. O produto utilizado na limpeza tem que estar à disposição dos usuários.

Os equipamentos para musculação, mantidos em boas condições de segurança e conservação, devem ser mantidos livres de umidade, ferrugem ou outra condição que possa comprometer a segurança dos frequentadores.

shutterstock_207787093

pH da água das piscinas

O pH (potencial hidrogeniônico) indica a acidez, neutralidade ou alcalinidade de uma solução aquosa. O da água dos tanques das piscinas, mantido entre 6,7 e 7,9.

Na ocorrência de acidentes com fezes formadas nas piscinas, todos os banhistas são obrigados a sair do tanque para a remoção do material contaminante. A desinfecção requer uso de cloro 2 ppm (2 mg/L), pH entre 7,2 a 7,5 e temperatura de 25ºC. Esses parâmetros devem ser mantidos por 30 minutos, com os filtros em funcionamento. Os banhistas só podem retornar após serem atingidos os níveis normais de cloro.

No caso de acidentes com fezes diarréicas ou vômitos, a desinfecção da piscina tem que ser feita com cloro 20 ppm (20 mg/L), pH entre 7,2 a 7,5 e

temperatura de 25ºC, por 12 horas e 45 minutos, com filtros em funcionamento. Todo tipo de acidente necessita ser registrado, com informações de data, número de pessoas na água e tipo de contaminante.

Banheiras e saunas

As banheiras e outros recipientes usados para banhos relaxantes ou terapêuticos devem ser mantidos limpos e higienizados a cada uso. As portas das saunas, sem fechaduras, precisam ter maçanetas que não permitam a condução de calor.

Na área interna, é necessário haver termômetro que indique a temperatura do ambiente. As saunas tem que possuir lâmpadas protegidas contra queda e explosão. A fonte de calor deve ser protegida e afastada dos usuários. Os chuveiros, instalados em local próximo. As saunas úmidas devem ser abastecidas com água potável.

Área de alimentação

No caso de haver manipulação de alimentos na área da academia, piscina ou sauna, o clube deve ter dependência exclusiva para este fim.

A fiscalização da aplicação dessas normas é feita pelas autoridades sanitárias. O texto integral da portaria encontra-se disponível no portal do Sindi-Clube (www.sindiclubesp.com.br), seção Jurídico, em ‘Portaria academias’.

Visite o portal do Sindi-Clube e saiba mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Palestra gratuita explica que atendimento e qualificação turbinam academias de clubes

shutterstock_160637816As academias de ginástica se constituem num dos principais atrativos para conquistar e manter associados.

Para manter esse serviço ativo e vencer a concorrência, os clubes devem estar atentos ao atendimento e à qualificação técnica oferecidos.

A palestra presencial “Investir em atendimento e qualificação técnica é o segredo do sucesso nas academias de clube” chama a atenção dos gestores para a importância da atualização, com atenção à variedade de exercícios e programas de aulas existentes atualmente no mercado de fitness e saúde.

A exposição, dirigida a gestores, coordenadores de área e professores de academias, também explicará como agregar valor ao serviço por meio do atendimento oferecido, frente às novas exigências do consumidor.

O instrutor é Gil de Paula, consultor na área da saúde e fitness.

Transmissão simultânea via internet.

Participação gratuita para gestores de clubes associados ao Sindi-Clube.

Quando: 26 de agosto, das 10h às 12h. Mais informações (11) 5054-5464.

Saiba mais sobre a palestra aqui.

Visite o portal do Sindi-Clube e saiba mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Academias de São Paulo já podem matricular jovens no Programa Sindi-Clube Aprendiz

As academias de ginástica, tênis e natação de São Paulo poderão matricular jovens contratados para aprendizagem para receber formação no Programa Sindi-Clube Aprendiz.

Terão essa possibilidade os estabelecimentos associados ao Sindicato das Academias de São Paulo, que firmou convênio de cooperação com o Sindi-Clube, nesta terça-feira (24/7). A entidade congrega estabelecimentos de esportes aquáticos, aéreos e terrestres em todo o Estado.

  O termo foi assinado na sede do Sindi-Clube pelos presidentes das duas entidades, Gilberto Bertevello e Cezar Roberto Leão Granieri.

Pelo acordo, as academias poderão matricular aprendizes  no curso de formação  com as mesmas condições oferecidas pelo Sindi-Clube aos clubes.

“Procuramos o Sindi-Clube porque é uma entidade séria, que mantém um programa de aprendizagem aprovado pelas autoridades do trabalho”, afirmou Bertevero.

O presidente do Sindi-Clube lembrou que o Programa Sindi-Clube Aprendiz foi instituído em 2005 para dar cumprimento da Lei 10.097/00 e que aparece como o único curso da área de esporte e lazer validado pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) no Cadastro Nacional de Aprendizagem.

“Temos um curso para formar jovens em todas as atividades dos clubes e, igualmente, às das academias. Com esse convênio, os dois sindicatos incentivam seus associados a investir na inclusão do jovem no mercado de trabalho’, disse Granieri.

Granieri e Bertevero: inclusão de jovens no mercado de trabalho

O convênio foi firmado depois que academias fiscalizadas pelo MTE e Ministério Público do Trabalho (MPT) procuraram o Sindi-Clube.

Os estabelecimentos firmaram um Termo de Ajustamento de Conduta com o MPT, no qual se comprometem a matricular seus aprendizes no programa de aprendizagem do Sindi-Clube, que oferece formação específica para o setor.

O QUE É O PROGRAMA SINDI-CLUBE APRENDIZ

O Programa Sindi-Clube Aprendiz foi instituído em 2005 para ser aplicado em todas as atividades dos clubes e facilitar o cumprimento da Lei 10.097/00, que obriga os clubes e empresas a terem uma cota de 5% a 15% de seus funcionários composta por aprendizes.

Com 22 clubes vinculados, o Programa já atendeu mais de 1.800 jovens e aparece como o único curso validado pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) no Cadastro Nacional de Aprendizagem.

O conteúdo didático do Programa é de dois anos, com nove disciplinas: Atividades Esportivas, Modalidades Esportivas, Relações Humanas, Orientação Empresarial, Higiene, Saúde e Segurança do Trabalho, Primeiros Socorros e Respeito à Vida, Atividades Administrativas, Atividades Clubísticas, Acompanhamento, Desenvolvimento e Reforço Escolar.

As aulas são ministradas em salas que possuem todos os recursos técnicos – na entrada e no intervalo das aulas é servido um lanche. Os jovens inscritos no curso ficam habilitados a trabalhar como aprendizes nos clubes e, no fim do aprendizado, recebem o certificado de conclusão.

Para mais informações, o telefone é (11) 5054-5464.

Veja mais aqui