Medicamentos: atletas devem ter cuidado no uso e atenção aos efeitos colaterais

Depositphotos_19083221_xl-2015

Nabil Ghorayeb*

O tema dos efeitos colaterais das medicações no esporte é pouco discutido nos congressos e raramente na mídia.

Apenas se aborda o seu efeito doping se houver.

Vamos nos ater em alguns medicamentos para as doenças mais frequentes que atingem o ser humano e que atrapalham a saúde e a capacidade física do atleta.

Uma preocupação antiga, e já alertada, é o uso indiscriminado dos anti-inflamatórios e analgésicos “para tirar e até prevenir o aparecimento de dores” que podem surgir durante as atividades esportivas.

Além de mascarar lesões iniciais, essa automedicação traz um grande risco futuro para a saúde cardíaca e renal do esportista.

Os atletas profissionais têm equipe médica ao seu lado, mas a imensa maioria dos participantes das várias provas populares nunca foi a um médico especialista e ainda acha que tomar anti-inflamatório evita e até cura dores e lesões.

Mas, na verdade, não ajuda na prevenção ou na cura e ainda vai esconder a piora da lesão.

Existem inúmeras variedades de medicações para controle da hipertensão arterial e agem de modo diferente para controlar a pressão.

Por serem para doença crônica essas medicações não podem ser interrompidas sem ordem médica.

Os efeitos colaterais variam conforme o medicamento.

Desde aquele que provoca desidratação até os que causam perda de força muscular e piora da performance física, inchaço nos pés e outros efeitos.

Por isso é fundamental rever a medicação contra a hipertensão com seu médico, que deve escolher os medicamentos apropriados para quem pratica esportes num clima tropical.

Nunca mude por sugestão de profissional da saúde não médico, nem de amigo.

Medicações para arritmias e outras doenças cardiovasculares, por serem bem específicas, precisam de orientações nos detalhes, pois além da própria cardiopatia em tratamento, muitas medicações também agem na sua capacidade física.

Medicações para diabete devem ser orientadas pelo médico quanto ao horário, quantidades e como fazer caso perceba a hipoglicemia.

Consumo de alimentos antes das atividades físicas tem que ser explicado com detalhes.

Uma variedade de medicamentos novos surgiu com poucos efeitos colaterais nos esportes, mas sempre esclareça tudo com seu médico.

Os efeitos das medicações de uso contínuo e modalidades esportivas radicais devem ser muito bem esclarecidos quanto aos riscos e efeitos colaterais.

*Nabil Ghorayeb: formado em Medicina pela FM de Sorocaba PUC-SP, Doutor em Cardiologia pela FMUSP, Chefe da Seção CardioEsporte do Instituto Dante Pazzanese Cardiologia, Especialista por concurso em Cardiologia e em Medicina do Esporte, Coordenador da Clínica CardioEsporte do HCor, CRM SP 15715 , Prêmio Jabuti de Literatura Ciência e Saúde. www.cardioesporte.com.br.

Visite o nosso portal e curta o Sindi-Clube no Facebook Instagram para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Facebook
Facebook
Google+
http://blog.sindiclubesp.com.br/medicamentos-atletas-devem-ter-cuidado-no-uso-e-atencao-aos-efeitos-colaterais/">
Twitter
Visit Us
YouTube
YouTube
Pinterest
LinkedIn
RSS
Notícias por Email
SHARE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *