Dengue e as precauções na atividade física: cardiologista explica e faz alerta

shutterstock_240718747_p

Nabil Ghorayeb*

Não temos como nos esconder, o que acontece no Brasil em relação à saúde é para ficar em alerta.

O mosquito da dengue (Aedes aegypti) é o transmissor de algumas doenças graves, como a dengue com seus quatro tipos de virus, a febre chikungunya e a febre amarela e, por isso, é considerado um grave assunto de saúde pública.

O transmissor atua somente durante o dia e seus ovos são muito resistentes, sobrevivendo vários meses num local seco.

A chegada de água propicia a incubação dos ovos, que rapidamente se transformam em larvas que dão origem às pupas, das quais surge o adulto.

Somente as fêmeas se alimentam de sangue para o desenvolvimento de seus ovos.

Os machos se alimentam apenas de frutas e outros vegetais açucarados.

Elas costumam picar o ser humano no começo da manhã ou no final da tarde e escolhem as regiões dos pés, tornozelos e pernas, porque costumam voar a uma altura máxima de meio metro.

Sintomas da dengue são de início os comuns de uma virose e que piora: febre por vários dias, dores de cabeça, atrás dos olhos, musculares, nas juntas, prostração e vermelhidão no corpo.

A forma hemorrágica se inicia igual à dengue clássica e, depois de alguns dias, piora com hemorragias nasais, gengivais, urinárias, gastrointestinais ou uterinas, levando ao risco de choque e até a morte, pela queda acentuada das plaquetas e inflamação dos vasos sanguíneos.

Existe também o risco do vírus de a dengue atingir o coração, provocando miocardite e suas complicações.

Por tudo isso, há a proibição do uso em automedicação para dores em geral, principalmente do ácido acetilsalicílico, pelo seu efeito anticoagulante que causa sangramentos.

Também é vetado o uso de anti-inflamatórios, muito usados pelos esportistas.

Faz-se necessário um alerta importante para as pessoas com problemas cardiovasculares e que usam medicações que “afinam” o sangue, como os anticoagulantes e antiplaquetários – devem procurar imediatamente assistência médica, em caso de suspeita de dengue.

O tratamento da dengue é apenas sintomático: bastante repouso, ingestão de muito líquidos, como água, sucos naturais ou chá.

São usados também medicamentos antitérmicos à base de dipirona, sempre receitados por médico.

A prevenção atual é destruir o habitat e o próprio mosquito aedes.

O uso de duas colheres de sopa de borra de café para cada meio copo d’água destrói 100% das larvas (lembre-se de repor a borra a cada sete dias).

Os esportistas devem se proteger principalmente quando descansam dos seus exercícios, usando repelentes e roupas que cubram o corpo (se isso for possível).

*Nabil Ghorayeb, doutor em Cardiologia, é especialista  em  Cardiologia  e Medicina do Esporte e mantém o site CardioEsporte onde podem ser lidos mais artigos com informações e dicas úteis para a saúde.

Visite o portal do Sindi-Clube e saiba mais de assuntos que interessam ao seu clube.

 

Facebook
Facebook
Google+
http://blog.sindiclubesp.com.br/dengue-e-as-precaucoes-na-atividade-fisica-cardiologista-explica-e-faz-alerta/">
Twitter
Visit Us
YouTube
YouTube
Pinterest
LinkedIn
RSS
Notícias por Email
SHARE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *