Conheça as modalidades paraolímpicas: ciclismo

1611_ciclismo_Joao-Schwindt_MR001
Brasil compete no ciclismo paraolímpico desde 1992

O ciclismo paraolímpico começou na década de 80, quando somente deficientes visuais competiam.

A Paraolimpíada de Nova Iorque, em 1984, marcou por ser a primeira com atletas paralisados cerebrais, amputados e deficientes visuais.

A partir de Atlanta, em 1996, cada tipo de deficiência passou a ser avaliado de forma específica.

O Brasil estreou nos Jogos Paraolímpicos, em Barcelona (1992), com Rivaldo Gonçalves Martins.

Dois anos depois, na Bélgica, o mesmo ciclista, amputado da perna com prótese, conquistou o título de campeão mundial na prova de contra-relógio.

Competem deficientes visuais, paralisados cerebrais, amputados e lesionados medulares (cadeirantes), de ambos os sexos.

A modalidade pode ser praticada de forma individual ou em equipe.

As regras seguem as da União Internacional de Ciclismo, com pequenas alterações relativas à segurança e classificação dos atletas.

As bicicletas podem ser de modelos convencionais ou triciclos para paralisados cerebrais, segundo o grau de lesão.

O ciclista cego compete em uma bicicleta dupla, com um guia no banco da frente, para dar a direção.

Para os cadeirantes, a bicicleta é “pedalada” com as mãos.

As provas são de velódromo, estrada e contra-relógio.

Visite o portal do Sindi-Clube e saiba mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Facebook
Facebook
Google+
http://blog.sindiclubesp.com.br/conheca-as-modalidades-paraolimpicas-ciclismo/">
Twitter
Visit Us
YouTube
YouTube
Pinterest
LinkedIn
RSS
Notícias por Email
SHARE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *