“Clubes não podem prescindir de comando com visão empresarial”

Engenheiro mecânico e de materiais, pós-graduado em administração, empresário que atua em prestação de serviços na área de tubulações, Luiz Carlos Picone de Araújo, que assumiu a vice-presidência de Projetos e Recursos Incentivados do Sindi-Clube, considera que os clubes não podem prescindir de comando com visão empresarial.

Segundo ele, a boa gestão dos recursos oriundos do esporte e para o esporte são essenciais para o sucesso.

Picone: esporte é importante para o sucesso do clube
Picone: esporte é importante para o sucesso do clube

“O trabalho que o dirigente dedica ao clube é, sobretudo, de um abnegado, que dedica seu tempo, interessado em preservar o que a agremiação já construiu e com o objetivo de mantê-la em evolução. Para isso, é preciso que tenha capacidade para empreender, desenvolver projetos, e estar atento a tudo que o cerca: a comunidade em que está inserido e o mercado em que atua, para valorizar o quadro associativo e criar um círculo virtuoso e eficaz, fidelizando o associado e sua família ao clube”, afirma.

Picone fala com a experiência de ter ocupado por três vezes a presidência da diretoria e outras três a do conselho deliberativo do Clube Esportivo da Penha (CEP), tradicional agremiação de 85 anos da zona leste da capital, com 15.000 sócios e 150.000 metros quadrados de área.

“Cresci no CEP, jogando futebol. A vivência política teve início quando o clube se abriu para a renovação de lideranças, sempre necessária. A partir dos anos 90, aproximei o CEP do Sindi-Clube, primeiro das atividades que o Sindicato oferecia por meio dos torneios do Pepac (Programa Esportivo para Associados de Clubes), depois pela utilização das consultorias oferecidas”, explica.

Por ser um esportista (atualmente mais dedicado ao tênis), Picone considera que as atividades esportivas constituem um pilar importante para o êxito do clube.

“Não somente o esporte de alto rendimento, mas também o de participação que inclui praticantes em fase de formação, até a terceira idade. Tem crescido muito a demanda por essas práticas e os clubes precisam estar atentos a isso. Daí a necessidade de usar os recursos das leis de incentivos de forma estratégica”, diz.

O dirigente assinala que as fontes de receitas para tocar projetos esportivos têm sido facilitadas pelas leis de incentivo que proporcionam recursos do governo para esse fim.

“O estímulo fiscal ao esporte é uma realidade, nas esferas municipal, estadual e federal. O Sindi-Clube, que já oferecia uma consultoria específica para orientar os clubes, constituiu agora uma vice-presidência na qual pretendo desenvolver ações de esclarecimento para o aproveitamento dessas legislações. O mais importante: oferecer informações não somente aos presidentes, mas também aos diretores e gerentes dos clubes, que, da mesma forma, precisam ser envolvidos para atuar com essa ferramenta representada pelos benefícios das leis de incentivo ao esporte”, afirma.

Visite o portal do Sindi-Clube e saiba mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Facebook
Facebook
Google+
http://blog.sindiclubesp.com.br/clubes-nao-podem-prescindir-de-comando-com-visao-empresarial/">
Twitter
Visit Us
YouTube
YouTube
Pinterest
LinkedIn
RSS
Notícias por Email
SHARE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *