Novo edital para o Bolsa-Atleta

Bolsa-Atleta: ajuda para a formação (Foto: Washington Alves/Exemplus COB)
Bolsa-Atleta: ajuda para a formação (Foto: Washington Alves/Exemplus COB)

O coordenador-geral do Programa Bolsa Atleta do Ministério do Esporte, Mosiah Rodrigues, informou que um novo edital será publicado em outubro, com foco na preparação de atletas para os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2020, em Tóquio, no Japão.

O programa, criado em 2004, concede bolsas que variam entre R$ 370 a R$ 15 mil, englobando desde competidores de jogos escolares a atletas de alto rendimento.

O dinheiro é depositado direto para o competidor, não para o gestor das modalidades.

Dos 289 convocados para competir a Paraolimpíada do Rio, 262, o equivalente a 90,6%, têm o patrocínio do programa.

“Não é todo mundo na mesma categoria, mas todos, de alguma forma, são apoiados”, disse Rodrigues.

Este ano, o Brasil conseguiu seu melhor desempenho em ambas as competições.

Na Olimpíada, terminou em 13º lugar, com 19 medalhas ao todo, sendo sete de ouro.

Já na Paraolimpíada, 14 medalhas douradas e 72 no total, deixaram o Brasil na oitava colocação do quadro geral.

Visite o portal do Sindi-Clube e saiba mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Governo vai manter investimentos em atletas paraolímpicos

(Foto:Divulgação/CPB)
(Foto:Divulgação/CPB)

Após os Jogos Paraolímpicos, que se encerraram ontem (18/9), o governo federal continuará a investir no esporte adaptado e nos atletas de alto rendimento, com o Bolsa Atleta e o Bolsa Pódio.

A afirmação foi feita pela secretária especial dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Roseane Estrela.  Na avaliação da secretária, os Jogos do Rio se tornarão um paradigma da mudança de comportamento da população em relação às pessoas com deficiência.

“Este será, sem dúvida, o principal legado dos Jogos Paraolímpicos. A meta é que fiquemos, no final das competições, em quinto lugar no quadro de medalhas, mas o objetivo é continuar aumentando os investimentos para avançar degraus neste ranking. Estamos voltados para uma meta mais ousada para o futuro”, disse.

O governo federal investiu R$ 67,3 milhões, por meio de 17 convênios firmados pelo Comitê Paraolímpico. O objetivo é manter o crescimento do país no quadro de medalhas. Em Londres 2012, os atletas paraolímpicos brasileiros alcançaram a sétima posição no ranking geral da competição.

Visite o portal  e curta a página do Sindi-Clube no Facebook para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

COB pré-seleciona 20 atletas para Tóquio 2020

Alguns dos jovens selecionados para o projeto "Vivência Rio 2016"
Alguns dos jovens selecionados para o projeto “Vivência Rio 2016” (Foto: COB)

Mesmo antes da Olimpíada do Rio acabar, o COB (Comitê Olímpico Brasileiro) já pensa no futuro.

Prova disso é que 20 atletas de 15 esportes, 11 homens e nove mulheres, de 15 a 24 anos, foram selecionados pela entidade para participar do projeto “Vivência Olímpica Rio 2016”, que visa prepará-los para os Jogos de Tóquio, em 2020.

Os possíveis representantes brasileiros, que nunca participaram do torneio, foram inseridos na rotina dos competidores desta edição para adquirir experiência olímpica e entender melhor como funcionam os bastidores da maior competição esportiva mundial.

Esta é a segunda vez que o projeto é executado pelo COB.

Em Londres, 2012, 16 jovens atletas foram convidados para a ação e, destes, oito se classificaram para o Rio 2016 e quatro ganharam medalhas até o momento: Thiago Braz, ouro no atletismo, Martine Grael, ouro na vela, Felipe Wu, prata no tiro esportivo, e Isaquias Queiroz, prata e bronze na canoagem.

Os eleitos deste ano foram: Beatriz Ferreira, boxe; Emily Figueiredo, levantamento de peso; Joílson Brito, luta greco-romana; Maria Paula Heitmann, natação; Marcelo da Silva, tiro com arco; Gabriel Bastos, vela; Andrea Santos, canoagem; Anderson Ezequiel de Souza, ciclismo BMX; Gabriela Cecchini, esgrima; Ângelo Assumpção e Thaís Fidélis, ginástica artística; Nathália Brigida e Rafael Godoy, judô; Felipe Ribeiro, natação; Edival Pontes, taekwondo; Manoel Messias, triatlo; Eduarda Santos Lisboa e Ana Patrícia Silva Ramos, vôlei de praia.

Os atletas escolhidos participaram de uma seletiva com 60 competidores que possuem histórico de resultados nas categorias de base, em alguns casos na categoria adulta, e com potencial de evolução até os Jogos Olímpicos Tóquio 2020.

As respectivas confederações de cada modalidade selecionada fizeram a triagem que definiu o seleto grupo.

Visite o portal  e curta a página do Sindi-Clube no Facebook para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

SPAC recebeu seleção japonesa de rúgbi, antes dos Jogos

A19I0275-1024x683
Time japonês: aclimatação no SPAC (Foto: Japan Rugby Football Union)

A seleção japonesa de rúgbi seven usou as instalações do Clube Atlético São Paulo (SPAC) para aclimatação e treinamentos, antes de participar dos Jogos Olímpicos, no Rio de Janeiro.

Por uma semana, a delegação de mais de 20 pessoas, entre atletas e comissão técnica, fez a preparação no clube que possui muita tradição nesse esporte, pois foi a entidade que introduziu a prática da modalidade no país.

De origem britânica, fundado em 1888, o SPAC teve como associado Charles Miller que, além do futebol, trouxe da Inglaterra para o Brasil o rúgbi (em 1894), hóquei sobre grama, squash e badminton.

Atualmente, o SPAC cedeu cinco atletas (uma no feminino, quatro no masculino) para as seleções que representam as cores brasileiras nos Jogos.

O clube também possui um campo de jogo considerado como um dos melhores do país.

“No aspecto técnico, estreitar relações como o Japão, um país muito bem cotado no cenário mundial, é muito vantajoso para impulsionar ainda mais a prática do rúgbi no SPAC. Esse intercâmbio nos possibilitará observações importantes”, diz Ricardo Amirato, gerente de Esportes do SPAC.

Visite o portal  e curta a página do Sindi-Clube no Facebook para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube. 

 

Convocada seleção brasileira masculina de hóquei sobre grama

Foto Divulgação CBHG
Time brasileiro convocado (Foto: Divulgação/CBHG)

Foi anunciada a lista de atletas que irão representar o Brasil na Olimpíada do Rio, em agosto, na modalidade hóquei sobre a grama.

O time, classificado pela primeira vez na história, carimbou a vaga para os Jogos do Rio de Janeiro na excelente campanha no Pan-Americano de Toronto, ano passado.

Terminou a competição em quarto lugar, sendo que precisava ficar entre os seis para garantir presença.

São os escolhidos: goleiros Rodrigo Faustino e Thiago Bomfim; defensores Bruno Mendonça, Christopher Mcpherson, Ernst Rost-Onnes, Stephane Vehrle-Smith e Yuri Van Der Heijden; meias André Patrocínio, Adam Imer, Patrick Van Der Heijden e Paulo Batista Junior; e os atacantes Bruno Paes, Joaquín Lopez, Lucas Paixão, Matheus Borges e Rodrigo Steimbach.

Como aquecimento, a equipe disputará três amistosos na Argentina.

A estreia na Olimpíada está marcada para 6 de agosto, contra a Espanha, às 19h30.

Visite o portal  e curta a página do Sindi-Clube no Facebook para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Betinho carrega a tocha, em Campinas

Foto: Rio2016/Andre Mourao
Foto: Rio2016/Andre Mourao

O presidente do SINDI-CLUBE, Cezar Roberto Leão Granieri, Betinho, foi um dos condutores da tocha olímpica, na passagem do símbolo por Campinas, em 20 de julho.

O percurso na cidade foi de aproximadamente 15 quilômetros, passando pelas principais avenidas centrais e pontos turísticos, até chegar à Praça Arautos da Paz, onde foi acesa a pira olímpica em uma grande cerimônia.

Veja as fotos na página do SINDI-CLUBE no Facebook.

Visite o portal  e curta a página do Sindi-Clube no Facebook para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Brasil ganha Grand Prix de vôlei e firma-se como favorito

Seleção feminina: mais um título
Seleção feminina: mais um título

A seleção brasileira feminina de vôlei venceu, no último domingo (10/7), pela décima-primeira vez, o Grand Prix de vôlei, disputado em Bangcoc, Tailândia.

Essa é principal competição que antecede os Jogos Olímpicos.

Na decisão, a equipe bateu os Estados Unidos, líder do ranking mundial, por 3 sets a 2. Com o resultado, o time do técnico José Roberto Guimarães aumentou a diferença no número de conquistas em relação à seleção americana, segunda colocada, com seis títulos.

No total, o Brasil fez 11 partidas, sendo superado em apenas duas, ambas na fase de classificação do torneio. Na fase final, não sofreu nenhuma derrota.

Outro ponto positivo: três atletas brasileiras entraram na seleção do torneio.

A ponteira Natália foi eleita a melhor jogadora do Grand Prix. A central Thaísa e a oposta Sheilla também estiveram entre as melhores.

Bicampeã olímpica, a seleção feminina, com o título, firmou ainda mais o rótulo de favorita para vencer também os Jogos Rio 2016, que começam no dia 5 de agosto.

Visite o portal  e curta a página do SINDI-CLUBE no Facebook para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Equipe de judô para o Rio 2016 está definida

Equipe de judô que disputará a olimpíada foto%3b divulgação - CBJ (1)

 

 

 

 

 

 

 

 

A Confederação Brasileira de Judô divulgou a lista com os 14 atletas que representarão o país na Olimpíada do Rio, em agosto próximo.

Composta por sete homens e sete mulheres, a delegação terá uma mescla de judocas experientes, alguns medalhistas olímpicos, e iniciantes.

O plantel feminino será exatamente o mesmo que foi para Londres 2012, e voltou com um ouro e um bronze: Sarah Menezes (ligeiro), Érika Miranda (meio-leve), Rafaela Silva (leve), Mariana Silva (meio-médio), Maria Portelana (médio), Mayra Aguiar (meio-pesado) e Maria Suelen Altheman (pesado).

Sarah Menezes foi a responsável pela primeira medalha dourada do Brasil na última edição dos Jogos Olímpicos. A piauiense terá chance de repetir o feito, já que a modalidade será disputada logo nos primeiros dias de competição.

A equipe masculina contará com Felipe Kitadai (ligeiro), Charles Chibana (meio-leve), Alex Pombo (leve), Victor Penalber (meio-médio), Tiago Camilo (médio), Rafael Buzacarini (meio-pesado) e Rafael Silva (pesado).

O judô garantiu conquistas para o Brasil nas últimas oito Olimpíadas, sendo que, em 2012, teve a melhor campanha na história do torneio, com quatro medalhas e a sexta colocação geral.

O bom retrospecto e as conquistas recentes dos atletas nacionais fizeram o esporte ser um dos mais requisitados pelos brasileiros na compra de ingressos para os Jogos do Rio.

Visite o portal  e curta a página do SINDI-CLUBE no Facebook para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Zanetti cresce e supera grego, rumo aos Jogos

Arthur Zanetti conquista mais um ouro
Arthur Zanetti conquista mais um ouro (Foto: CBG/Divulgação)

Depois de ficar fora da final do Mundial do ano passado, em Glasgow, na Escócia, Arthur Zanetti brilhou para conquistar a medalha de ouro nas argolas no evento-teste dos Jogos Olímpicos do Rio, na sua primeira competição internacional na temporada.

O brasileiro ficou à frente do grego Eleftherios Petrounias, campeão mundial, que ficou com a prata, e do francês Samir Ait Said.

A disputa com Petrounias foi acirrada. Zanetti disse que a pressão existe para todos os competidores.

“Pode acontecer de ele ficar em primeiro em uma qualificatória, competir e jogar a pressão pra cima de mim. Quem estiver melhor de cabeça na hora é que vai tirar o melhor resultado. A torcida ajuda, a gente sentiu que a torcida está do nosso lado. Estar em casa é muito bom, uma grande vantagem, é totalmente positivo”, afirmou.

Marcos Goto, treinador de Arthur Zanetti, aprovou o planejamento de treinar mais para esta temporada.

“Não tem segredo, apenas treino. Deixamos de fazer algumas competições para treinar. Não é nenhuma tática, mas o Arthur chegou em um nível que precisa de mais treinos do que competições”, explicou.

Visite o portal  e curta a página do Sindi-Clube no Facebook para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Jornalistas têm curso de triatlo na Universidade SINDI-CLUBE

Abade falou sobre o triatlo aos jornalistas
Abade falou sobre o triatlo aos jornalistas

O triatlo deu continuidade à série de cursos para jornalistas esportivos sobre modalidades olímpicas, promovida pela Universidade Sindi-Clube em parceria com a Aceesp (Associação de Cronistas Esportivos do Estado de São Paulo).

Os palestrantes foram os diretores da Federação Paulista de Triathlon, Gustavo Abade e Frederico Wilche.

Foram ensinados aos jornalistas prática, curiosidades e aspectos técnicos, e também dadas informações sobre os principais atletas da modalidade.

Abade acredita que o triatlo será um dos pontos positivos da Olimpíada e elogiou a iniciativa do SINDI-CLUBE.

“Esses cursos são fundamentais. Há uma carência de conhecimento para os jornalistas entenderem as modalidades olímpicas. Por isso, foi aberto esse canal para que eles possam ter mais informações do esporte e, assim, divulgar o triatlo”, comentou.

Na próxima terça-feira (26/4), o golfe será a modalidade apresentada.

Inscrições abertas

As inscrições para as próximas modalidades estão abertas.

Os interessados devem enviar um e-mail para contato@sindiclubesp.com.br com nome completo, empresa, e-mail, telefone e, caso tenha interesse em receber a Revista dos Clubes, endereço completo.

Visite o portal  e curta a página do Sindi-Clube no Facebook para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.