Inscrições para o Prêmio Nacional de Literatura dos Clubes começam dia 15

O Prêmio Nacional de Literatura dos Clubes está de volta. Os associados de clubes, que têm gosto pela escrita, devem ficar atentos, pois as inscrições serão abertas em 15 de março.

Essa é a 3ª edição nacional do concurso, realizado pelo Sindi Clube em parceria com a Confederação Nacional dos Clubes (FENACLUBES) e a Academia Paulista de Letras. O evento surgiu em 2011 com o nome de Prêmio Sindi Clube/APL de Literatura e tinha abrangência apenas no Estado de São Paulo.

Serão aceitas inscrições para três categorias: poesia, conto e crônica, com temas livres. A premiação será no valor de R$ 1.500, R$ 1 mil, e R$ 500, respectivamente, para primeiro, segundo e terceiro colocados de cada categoria.

As inscrições vão até o dia 30 de junho e todos os associados de clubes filiados ao Sindi Clube e à Fenaclubes, a partir dos 18 anos, podem concorrer com uma obra inédita e em apenas uma categoria.

Para mais informações sobre o Prêmio Nacional de Literatura dos Clubes, inscrições, e premiação, acesse o regulamento completo no portal do Sindi Clube.

Visite o nosso portal e curta o Sindi-Clube no Facebook Instagram para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Sindi-Clube entrega Prêmio Nacional de Literatura e anuncia concurso literário para jovens autores

Paulo Movizzo, presidente do Sindi-Clube, homenageou os vencedores e anunciou nova competição literária
Paulo Movizzo, presidente do Sindi-Clube, homenageou os vencedores e anunciou nova competição literária.

Sindi-Clube realizou ontem (13), no Club Athletico Paulistano, a entrega do Prêmio Nacional de Literatura dos Clubes aos ganhadores da segunda edição do concurso que teve a participação de associados de clubes de todo o país.

Durante do evento, o presidente do Sindi-Clube, Paulo Movizzo, homenageou os vencedores e anunciou a criação de uma competição literária destinada aos jovens escritores dos clubes (leia mais aqui).

O Blog do Sindi-Clube passa a divulgar os textos ganhadores do Prêmio Nacional de Literatura dos Clubes 2017.

Márcio Luiz Marques recebe da acadêmica Anna Maria Martins o prêmio de melhor crônica crônica
Márcio Luiz Marques recebe da acadêmica Anna Maria Martins o prêmio de melhor crônica.

Márcio Luiz de Campos Marques, associado do Círculo Militar de São Paulo, foi o vencedor na categoria crônica, com “Meu ego na primeira sessão de terapia”.

O júri que examinou os trabalhos, composto por Anna Maria Martins e Mafra Carbonieri, da Academia Paulista de Letras, e Joaquim Maria Botelho, da União Brasileira de Escritores, observou, em seu parecer, que a crônica de Marques é “um texto de elaboração cuidadosa, cuja característica de negação é, paradoxal, mas oportunamente uma afirmação de personalidade. A técnica utilizada é meio parente do método de Jacques Derrida, em que se constrói a ideia pela decomposição da mesma ideia. Um belo exemplo da boa crônica”.

O concurso é aberto à participação de escritores associados de clubes de todo o país, por meio de convênio com a Fenaclubes.

 

Meu ego na primeira sessão de terapia

Márcio Luiz de Campos Marques*

Eu não sei o que dizer de mim. Eu não sou uma mulher. Eu não tenho menos de cinquenta anos. Eu não sou alto. Não sou bonito, nem feio.  Eu não sou solteiro, nem separado e nem viúvo. Eu não sou filho único. Eu não tenho mais a companhia de meu pai, mas não sei como seria a minha vida sem ser pai.

Não tenho problemas crônicos de saúde. Como todo mundo, não deixo de apresentar, vez por outra, uma dorzinha aqui, um mal estar lá. Afinal, não estou morto.

Ainda bem que eu não estou desempregado. Não vivo para o trabalho,  mas não gosto de ficar à toa. Não frequento nenhuma instituição de ensino formalmente, porém, não deixo de aprender coisas novas sobre temas de meu interesse.

Jamais perco uma boa oportunidade para viajar, quando posso, para ler um bom livro, quando encontro e para ver um bom filme, quando aparece.

Milhões, eu não tenho. Mas também não passo fome e nem deixo de pagar minhas contas e arcar com meus compromissos. Geralmente não sobra muito no final do mês, entretanto, não deixo de guardar alguns trocados para curtir a vida. Ninguém é de ferro, nem eu.

Meu paladar não é muito variado. Eu não como muita coisa. Não que eu seja enjoado, que não goste e nem experimente muitos pratos diferentes, mas na minha mesa não pode faltar um prato de arroz com feijão e nem uma carninha.

Gordo eu não sou. Não deixo de fazer exercícios e praticar algum esporte. Porém, nada muito radical. Não gosto de ficar muito tempo sem curtir meu futebolzinho. Não sou fanático, mas não torço para outro time que não seja o meu.

Certeza,  nessa vida, não tenho nenhuma, muito menos se terei outra vida além dessa. Aliás, como não tenho certeza de nada, não gosto muito das pessoas que têm. Não que eu seja intransigente, é que eu não tenho muita paciência, não sou muito calmo, mas não creio que seja muito diferente de quem quer que seja.

Não tenho ciúmes ou inveja. Não sou dono de ninguém e não quero o que o outro tem. Não preciso de muito para viver. Não me faltando um certo conforto, não me preocupo, não posso dizer que não durma em paz. Aliás, eu não deixo de dormir de jeito nenhum, não que eu não tenha cá os meus problemas, entretanto eles não me tiram o sono.

Medos eu não nego que os tenha. Não suporto injeções e alturas muito elevadas. Mas não posso dizer que um dia não faça uma loucura qualquer, só não acredito que vá fazer uma tatuagem ou pular de bungee jump.

Eu não nego as minhas dúvidas, não tenho certeza de nada. Eu não imagino o que você está pensando de mim, afinal eu não o conheço e você não sabe muito a meu respeito.

Não sei muito bem o que estou fazendo aqui. Não quero te importunar falando de mim e tomando o seu tempo. Por isso não me alongo mais.

Eu não tenho problema nenhum.

Visite o nosso portal e curta o Sindi-Clube no Facebook Instagram para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Entrega do Prêmio Nacional de Literatura será em novembro

Os ganhadores da 2ª edição do Prêmio Nacional de Literatura dos Clubes já foram divulgados e, no dia 13 de novembro, será feita a entrega da premiação.

Na data, os vencedores receberão homenagem no Club Athletico Paulistano, às 19h30.

De todos os inscritos, foram selecionados pela comissão julgadora os três melhores colocados em cada uma das categorias: conto, crônica e poesia.

A comissão também concedeu cinco menções honrosas, um na categoria poesia e dois nas categorias conto e crônica, cada uma.

Este ano, a participação dos associados no concurso saltou de 220 inscritos em 2016 para 256, um aumento de 16%

Foram 62 clubes participantes, de 31 cidades.

Visite o nosso portal e curta o Sindi-Clube no Facebook Instagram para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Conheça os ganhadores do Prêmio Nacional de Literatura dos Clubes

Os vencedores do Prêmio Nacional de Literatura dos Clubes já foram escolhidos.

Na segunda edição nacional da premiação, o número de participantes aumentou mais de 16% em relação ao ano anterior, alcançando 256 inscritos.

Foram 114 poesias, 73 contos e 69 crônicas de 65 clubes participantes de 32 cidades.

O estado com maior participação no concurso foi São Paulo, com 154 textos, enquanto os outros estados, juntos, somaram 102 participações.

A recordista em inscrições foi a Associação Esportiva Mocoquense, da cidade de Mococa (SP), com 78 inscritos (51 poesias, 14 crônicas e 13 contos), com destaque de participação dos jovens associados do clube.

A premiação oficial será realizada em um evento em São Paulo, que está sendo organizado pelo Sindi-Clube e, em breve, traremos mais informações.

Agora, conheça os textos e seus respectivos autores ganhadores do Prêmio Nacional de Literatura dos Clubes 2017 em cada categoria.

 

Poesia

1º – “Despertar”, de Magnos A. B. Castanheira, representando o Clube Esperia (São Paulo – SP);

2º – “Nas Cores do Retrós de uma Saudade”, de Luiz Gilberto de Barros, do Club Municipal do Rio de Janeiro (Rio de Janeiro – RJ);

3º – “No último andar a cidade pertence aos urubus”, de Luiz Carlos de Moura Azevedo, que representa a Sociedade Harmonia de Tênis (São Paulo – SP);

Menção honrosa – “Ecce Homo”, de Luciano Martins Costa, do Club Athletico Paulistano (São Paulo – SP).

 

Crônica

1º – “Meu ego na primeira sessão de terapia”, Márcio Luiz C. Marques, do Círculo Militar de São Paulo (São Paulo – SP);

2º – “Street Car”, de Vicente Rággio, do Club Athletico Paulistano (São Paulo – SP);

3º – “Seu Fernando”, de Isabela Martino Menezes Resende, do Minas Tênis Clube (Belo Horizonte – MG);

Menções honrosas – “Call Center”, de autoria de Carlos Augusto de Assis, do Clube Esportivo Helvetia (São Paulo – SP), e, “Mãos”, de Eliz Luiz Tavone Serafim, do Círculo Militar de Campinas (Campinas – SP).

 

Conto

1º – “Sarabanda”, de Maria Helena Nogueira de Almeida, do Club Athlético Paulistano (São Paulo – SP);

2º – “Memórias de uma caneta”, de Ivana Maria França de Negri, do Clube de Campo de Piracicaba (Piracicaba – SP);

3º – “Helga”, de Antônio Augusto Gomes, do Minas Tênis Clube (Belo Horizonte – MG);

Menções honrosas – “Sucuris no mato? Cuidado!”, de Felipe Luiz Ribeiro Daiello, do Grêmio Náutico União (Porto Alegre – RS), e, “Um doce para o amor”, de Marinna Lautert Caron Kniphoff, do Clube Curitibano (Curitiba – PR).

Visite o nosso portal e curta o Sindi-Clube no Facebook e Instagram para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Inscreva-se no Prêmio Nacional de Literatura dos Clubes

Quem gosta de escrever não pode ficar de fora do Prêmio Nacional de Literatura de Clubes, uma iniciativa do Sindi-Clube, em parceria com a Academia Paulista de Letras e com o Fenaclubes.

As inscrições vão até o dia 18 de agosto.

Esta é a segunda edição nacional, mas o prêmio já existe há sete anos com abrangência estadual.

Em 2016, foram 45 clubes participantes, de 22 cidades do país, com 220 obras inscritas.

É possível concorrer em três categorias:

Poesia: texto curto que demonstre domínio da linguagem e uso de recursos poéticos e expressivos. Cada poema deve ter no máximo duas páginas.

Crônica: texto curto, narrativo ou dissertativo, baseado em assuntos do cotidiano ou de interesse geral, caracterizando-se pela pertinência dos temas tratados, julgado a partir do domínio que apresente da linguagem reflexiva e denotativa. Cada crônica deve ter no máximo duas páginas.

Conto: narrativa ficcional curta. Cada conto deve ter no máximo cinco páginas.

Os temas são de livre escolha, mas cada candidato pode concorrer com apenas uma obra e em apenas um gênero.

A obra deverá ser apresentada em papel tamanho A4, com formatação especificada no regulamento.

Ao se inscrever, o candidato deve fornecer três cópias digitadas e impressas da obra, assinadas por um pseudônimo.

Junto com a obra, o candidato, com o uso do pseudônimo, deverá enviar um envelope lacrado, contendo suas informações reais de candidato e da obra inscrita.

Confira todos os dados e documentos necessários para a inscrição no regulamento.

A equipe do Blog do Sindi-Clube conversou com a escritora e integrante da Academia Paulista de Letras, Anna Maria Martins, e com o escritor, jornalista e jurado do Prêmio, Joaquim Maria Botelho, que deram dicas para se sair bem nesse concurso, confira.

Visite o nosso portal e curta o Sindi-Clube no Facebook e Instagram para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Confira dicas de escritores para se sair bem no Prêmio Nacional de Literatura dos Clubes

O Prêmio Nacional de Literatura dos Clubes, organizado anualmente pelo Sindi-Clube em parceria com a FENACLUBES e a Academia Paulista de Letras, em 2017, chega ao sétimo ano (e a segunda edição com abrangência nacional).

Na última edição, foram 45 clubes participantes, de 22 cidades, com 220 obras inscritas. Com tantos concorrentes, é importante se destacar para ter chances de ser um dos premiados! Para te ajudar, conversamos com escritores que estão envolvidos na organização do concurso e conseguimos algumas dicas valiosas.

A escritora e integrante da Academia Paulista de Letras, Anna Maria Martins, destacou que a qualidade dos textos inscritos é sempre alta e tende a aumentar. “São textos muito bons, com muita diversificação e boa qualidade literária. Com a ampliação do concurso, há um aumento no número de textos e espere-se mais qualidade também.”

“Mais do que estimular a leitura, o conceito do concurso é fazer com que os concorrentes expressem seus sentimentos, sua visão de mundo”, lembrou o escritor, jornalista e jurado do Prêmio, Joaquim Maria Botelho. E, seguindo o conceito de aumentar o interesse pela literatura, os dois escritores deixam claro que ler é o melhor jeito de se preparar.

“Cada peça de um autor é resultado de todas as leituras que ele fez durante a vida, então, quanto mais temas variados ele lê e quanto mais contato com a literatura, maiores são as chances de desenvolver uma literatura própria de boa qualidade técnica”, afirmou Joaquim.

“Ler muito, ter narrativa qualificada, estrutura bem montada e conhecimento do assunto tratado”, é a dica dada por Anna Maria.

Joaquim citou, ainda, a frase de Monteiro Lobato, “Quem mal lê, mal ouve, mal fala, mal vê”, e ressaltou a importância dos Clubes de Leitura. “Notamos que os clubes com mais vencedores são os que têm atividades como oficinas de literatura e clubes de leitura, em que os associados são estimulados a ler e escrever”.

E ai, estão prontos? Então, mãos à obra!

Confira o regulamento completo.

Visite o nosso portal e curta o Sindi-Clube no Facebook e Instagram para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.