Sindi Clube aprova legislação que dispensa atestado médico para atividades físicas

O presidente do Sindi Clube, Paulo Movizzo, afirmou nesta terça-feira (31) que aprova a Lei Estadual 16.724, de 22 de maio de 2018, que substitui a exigência de atestado médico para a prática de atividades físicas nos clubes e academias pela resposta ao questionário Prontidão para Atividade Física (PAR-Q, na sigla em inglês).

“A medida elimina uma barreira onerosa para a prática de atividades físicas nos clubes, introduzindo um método de avaliação reconhecido internacionalmente”, diz o presidente.

O novo texto extingue a obrigatoriedade de atestado médico por profissional credenciado e impõe o preenchimento pelo associado ou cliente de um questionário com sete perguntas para que a prática de atividades físicas seja realizada.

Se o praticante responder positivamente alguma questão, é recomendado que ele converse com o médico antes de programar a atividade.

Segundo Movizzo, “existia uma cultura prevalente, com relação à prática de exercícios físicos em clubes e academias, como processos de avaliação física e diagnóstico, que acabava representando verdadeiros obstáculos e gerando dificuldades a serem superadas”.

Para ele, “a desburocratização com a introdução do PAR-Q vai estimular a atividade física e aumentar o número de praticantes”.

O presidente do Sindi Clube ressalta, no entanto, que “ainda que a lei não coloque como obrigatória a avaliação física, é importante que ela seja feita, para que o associado ou cliente de academia, sem exigências burocráticas, possa receber os parâmetros iniciais necessários para alcançar os objetivos dos exercícios”, finaliza.

Visite o nosso portal e curta o Sindi-Clube no Facebook Instagram para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Clubes de Leitura retornam das férias, confira a programação

Com o final do mês de férias, os Clubes de Leitura estão de volta para que os associados possam continuar viajando, mas, desta vez, na literatura.

Confira a seguir a programação da primeira quinzena de agosto.

O primeiro encontro do mês será na Sociedade Esportiva Palmeiras, para discutir o livro “O Coração das Trevas”, de Joseph Conrad, às 19h.

No dia 2, três encontros estão marcados, um em cada período do dia.

Durante a manhã, às 11h, o integrantes do Clube de Leitura do Paineiras do Morumby falarão sobre “Canção de ninar”, de Leila Slimani.

No período da tarde, às 15h, também no Paineiras, será a vez de “Incidente em Antares”, de Érico Veríssimo.

À noite, às 19h30, os associados do Primeiro de Maio Futebol Clube debaterão sobre a primeira parte do clássico “Os miseráveis”, de Victor Hugo.

O Clube Atlético São Paulo (SPAC), às 16h do dia 3 de agosto, discutirão a obra “Bartleby: o escrevente”, de Herman Melville.

Ainda no dia 3, um pouco mais tarde, às 19h30 o Alphaville Tênis Clube terá como tema “O nome da rosa”, de Umberto Eco.

Os associados do São Paulo Futebol Clube se encontrarão no dia 4, às 15h, para discorrer sobre “Munique”, de Robert Harris.

No dia 6, às 20h, é a vez da obra “Não vai acontecer aqui”, de Sinclair Lewis, no Anhembi Tênis Clube.

Fechando a primeira quinzena, no Esporte Clube Sírio, dia 9, às 19h,o assunto será “O Sol é para todos” (“To kill a mockingbird”, 1960), de Harper Lee.

Marque as datas em sua agenda e não perca os encontros.

Visite o nosso portal e curta o Sindi-Clube no Facebook Instagram para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Evitar o infarto no esporte é possível? Médico responde

Nabil Ghorayeb*

Podemos evitar o infarto no esporte?

Parece uma pergunta sem resposta, mas com algumas medidas preventivas podemos sim diminuir o risco de que aconteça algum problema de saúde no esporte, seja qual for a modalidade.

Há um tempo, em uma corrida de Fórmula 1, no surfe, nas provas de hipismo e outras parecidas, não se imaginava que o piloto, o cavaleiro ou o surfista sofriam estímulos cardíacos muito parecidos com os de um atleta de modalidades tradicionais como a corrida, por exemplo.

No nosso livro editado com o fisiologista Turíbio Barros, “O Exercício”, está publicado o holter (aparelho portátil que faz a monitoração do ritmo cardíaco durante o exercício) de um famoso piloto, campeão mundial na época, onde na largada e nas ultrapassagens a frequência cardíaca atingia o limite máximo de 200 por minuto.

Ao examinarmos cavaleiros olímpicos e surfistas encontramos corações muito bem adaptados, com baixas frequências cardíacas no repouso iguais às de um maratonista.

Para evitar ou ao menos diminuir o risco de problema, seja um infarto do miocárdio ou outro evento cardiovascular, a avaliação clínica especializada é fundamental.

Se o doutor não souber dos riscos de determinada modalidade esportiva, como por exemplo, alpinismo, mergulho, aventura em cavernas, corridas no deserto e outras, procure quem conhece o tema, porque as exigências do coração são intensas e podem levar ao infarto ou complicações circulatórias.

Nas avaliações médicas corriqueiras, sempre se deve incluir o teste ergométrico, que só pode ser feito por médico estando no local do exame.

Algumas academias não têm médico, e o teste ergométrico com eletrocardiograma é feito por profissionais não médicos, o que é proibido por lei (exercício ilegal da medicina), com risco de erros diagnósticos banais.

Já não se proíbe a prática esportiva para grande parte das doenças, porém há limites obrigatórios.

Por isso procure seu médico e saiba o que se pode ou não se pode.

Sabemos que não existe o zero risco, porém não pratique esportes ou modalidades de exercícios intensos (maratona, aventura, spinning, etc.) sem uma competente avaliação cardiológica do esporte.

No crossfit ou HITT ou outras modalidades parecidas, faça também uma avaliação ortopédica detalhada pelo alto risco de lesões.

*Nabil Ghorayeb: Formado em medicina pela FM de Sorocaba PUC-SP, Doutor em Cardiologia pela FMUSP, chefe da seção CardioEsporte do Instituto Dante Pazzanese Cardiologia, especialista por concurso em Cardiologia e Medicina do Esporte, coordenador da Clínica CardioEsporte do HCor, CRM SP 15715, Prêmio Jabuti de Literatura Ciência e Saúde

Visite o nosso portal e curta o Sindi-Clube no Facebook Instagram para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Circuito Sindi Clube de Corais vai a dois clubes, em agosto

O Circuito de Corais, apresentações itinerantes em clubes paulistas organizadas pelo Sindi Clube, estará de volta em agosto, com duas apresentações.

Em 18 de agosto, sábado, às 18h, o evento será na ADC Mercedes-Benz e contará com os corais do Clube MESC Movimento de Expansão Social Católica, Vahakn Minassian de SAMA Clube Armênio e Esporte Clube Pinheiros, além do coral anfitrião.

Depois, em 26 de agosto, domingo, às 11h, é a vez do Alphaville Tênis Clube receber os corais ADC Mercedes-Benz, Nosso Coral (Nosso Clube), Clube Campineiro de Regatas e Natação e Alphaville Tênis Clube.

A entrada para assistir aos concertos musicais é franca, mas é importante entrar em contato com o clube para se informar sobre reservas.

Confira abaixo o endereço dos clubes e o telefone para contato e não perca a oportunidade de prestigiar os corais e ouvir boa música.

ADC Mercedes-Benz

Rua Brejauva, 337, Vila Santa Rita, Diadema – SP

Telefone: 11 4072-7214

Alphaville Tênis Clube

Alameda Mamoré, 82, Bairro Alphaville, Barueri – SP

Telefone: 11 2188-2670

Visite o nosso portal e curta o Sindi-Clube no Facebook Instagram para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Feira Literária do Club Athletico Paulistano começa dia 30 de julho

O Club Athletico Paulistano realiza neste mês a terceira edição da sua Feira Literária, a FliCAP, que terá inicio no dia 30, com programação até o dia 5 de agosto.

O evento, que visa proporcionar encontros dos sócios com autores premiados e de vanguarda, contará com bate-papos com autores, palestras, oficinas, tardes de autógrafos e também, com uma sessão especial da Academia Paulista de Letras, parceira literária dos clubes.

Confira a seguir os destaques da programação da FliCAP, que tem apoio do Sindi Clube e da APL.

Dia 30 – às 20h, o clube oferecerá um coquetel de abertura e fará a premiação do Concurso Literário CAP 2018.

Dia 31 – os associados poderão participar de um bate papo com a autora italiana, Igiaba Scego, que lançará os romances “Adua” e “Minha casa é onde estou”.

Dia 1º – acontecerá a abertura da exposição “Narrar histórias, construir memórias: o livro de artista e seu processo”, com a participação de dez artistas, integrantes do Grupo de Estudos Livros de Artista.

Dia 2 – sessão aberta da Academia Paulista de Letras e bate-papo  com o autor Jacques Fux, vencedor do Prêmio São Paulo de Literatura.

Dia 3 – bate-papo com o escritor de literatura policial, Raphael Montes, que teve os direitos de tradução do seu romance “Dias perfeitos” vendidos para 22 países.

Dia 4 – o público poderá acompanhar uma breve apresentação da técnica da serigrafia, método de impressão muito utilizado em artes, publicações alternativas, cartazes e postais, na oficina “Livro das árvores: serigrafia”.

Dia 5 – no último dia de evento, a contista e romancista Jeanette Rozsas autografa sua obra Esquadrão dos Xeretas, numa tarde de autógrafos.

Para saber mais detalhes sobre a FliCAP acesse a programação completa.

Visite o nosso portal e curta o Sindi-Clube no Facebook Instagram para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Unisindiclube oferece mais de 30 cursos de capacitação profissional

A Universidade Corporativa Sindi Clube (Unisindiclube) ampliou os conteúdos educacionais ofertados para capacitação dos colaboradores de clubes e profissionais que queiram atuar nessas agremiações.

A instituição mantida pelo Sindi Clube oferece mais de 30 cursos, a maioria de ensino a distância (EAD), todos disponíveis em sua plataforma.

O processo de aprendizagem foi modernizado, passando a incorporar tecnologia de ponta nos cursos EAD e expandindo e consolidando sua oferta de cursos presenciais.

Abrangendo desde nutrição esportiva e gestão de academias até manutenção de quadras de tênis, tratamento de piscinas e patrocínios em marketing esportivo, entre outras modalidades de capacitação, a grade de cursos da Unisindiclube é ampla e diversificada.

A partir de um acordo de cooperação entre o Sindi Clube e a Phorte Educacional, a Universidade Corporativa passou a contar com a plataforma de gestão integrada com ambiente virtual de aprendizagem (AVA).

“A plataforma EAD é a opção para expandir o alcance dos cursos da Unisindiclube para o interior e outros estados brasileiros, bem como facilitar o acesso dos profissionais da capital, que, muitas vezes, tem seu deslocamento inviabilizado pelo trânsito da cidade”, explica a coordenadora da universidade corporativa, Maria Regina Canever Domingues.

A Unisindiclube iniciou suas atividades em 2003, e de lá para cá já atendeu mais de 9 mil pessoas.

O presidente do Sindi Clube, Paulo Movizzo, ressalta que este ano ela começa uma nova fase. “Com a alta tecnologia da Phorte, a Unisindiclube renova seu propósito de oferecer atualização da força de trabalho dos clubes de todo o país, e se fortalece na missão de proporcionar qualificação profissional específica para o setor”, diz Movizzo.

Acesse a plataforma da Unisindiclube e confira todos os cursos, presenciais, in company e a distância, que estão com inscrições abertas.

Visite o nosso portal e curta o Sindi-Clube no Facebook Instagram para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Estudos apontam que malhar de manhã é melhor para hipertrofia

Turibio Barros*

Ganhar massa muscular ou desacelerar sua perda é extremamente importante para a manutenção da saúde e da qualidade de vida.

Mas haveria um melhor momento para realizar os exercícios para ganhar músculos?

Até o momento, vários estudos apontavam o anoitecer como o período mais favorável para o desenvolvimento muscular, ou seja, a hipertrofia.

Mas essa pode não ser uma realidade.

Um estudo publicado recentemente, realizado com mulheres acima de 60 anos apontou justamente o contrário.

Esses estudos prévios, que apontavam o anoitecer como melhor horário para se exercitar, foram realizados com indivíduos jovens e, além de se questionar a magnitude do impacto de se eleger um determinado período para a realização dos treinos sobre a hipertrofia, não se sabe se esses benefícios seriam aplicados para todas as faixas etárias.

No novo estudo, as voluntárias que treinaram pela manhã, por doze semanas de treinamento de força com dez a doze repetições, apresentaram maiores benefícios do que aquelas que treinaram à noite em todas as variáveis estudadas: força, desempenho de testes funcionais, massa muscular, glicose sanguínea e triglicérides.

As voluntárias do grupo controle, ou seja, as que não se exercitaram, obviamente não apresentaram nenhum benefício.

No entanto, cabe aqui uma importante discussão: o exercício precisa ser prazeroso para que possa ser incorporado numa rotina praticamente diária.

Portanto, precisamos lembrar que muitas vezes “o ótimo é inimigo do bom”.

Se você detesta acordar cedo, não adianta optar por treinos de manhã.

Faça exercícios no momento do dia em que você se sentir bem para realizá-los.

Assim, seu treino será mais prazeroso, renderá muito mais e certamente resultará em maiores benefícios.

*Turibio Barros: mestre e Doutor em Fisiologia do Exercício pela EPM. Membro do conselho científico da Midway Labs, professor e coordenador do Curso de Especialização em Medicina Esportiva da Unifesp e fisiologista do São Paulo FC e coordenador do Departamento de Fisiologia do E.C. Pinheiros. Membro do American College of Sports Medicine. www.drturibio.com.

Visite o nosso portal e curta o Sindi-Clube no Facebook Instagram para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Pré ou pós-treino? Entenda o melhor momento para ingerir suplementos proteicos

Cristiane Perroni*

Os suplementos proteicos como o Whey Protein, proteínas vegetais e proteína da carne, são normalmente prescritos para acelerar a recuperação muscular, reparar os tecidos, minimizar o catabolismo proteico, potencializar o ganho de massa muscular e para aumentar a quantidade de proteína da dieta.

Nas primeiras duas horas após o exercício, o fluxo sanguíneo está aumentado para os músculos, levando mais nutrientes e absorvendo mais proteína e glicose, mais sensíveis à ação da insulina que possui efeito anabólico promovendo a síntese de glicogênio.

Mas parece que a “janela anabólica” pode durar mais horas, algo em torno de quatro a seis horas ou mais, após a sessão de treinamento.

A quantidade de 20 a 30 gramas de proteínas ingeridas pré ou pós-treino parece ser suficiente para maximizar a síntese proteica após o exercício.

Nas demais refeições é preciso manter ingestão regular de proteínas ao longo do dia de 0,25 a 0,3g proteína por quilo de peso por refeição.

Há um limite de proteína que pode ser estocada. Todo excesso ingerido é transformado em gordura.

Existe o melhor momento de ingestão dos suplementos proteicos de acordo com a atividade esportiva?

Em atividades de endurance, a utilização é indicada pós-treino porque a digestão da proteína é mais lenta, tomar suplemento proteico antes de iniciar o treinamento pode causar desconforto gástrico, sensação de plenitude e atrapalhar o treino.

Em atividades de força ou treinamento contra resistência, a suplementação de proteínas pode ser realizada pré ou pós-treinamento.

Estudos têm demonstrado que mais importante do que o momento em que a proteína é ingerida (pré ou pós) é manter a ingestão proteica elevada ao longo do dia, distribuídas em várias refeições.

É preciso um intervalo de 1h30m a 2 horas entre as refeições para a síntese proteica.

Portanto, se o atleta treina na hora do almoço ou próximo ao jantar, é mais indicado a suplementação pré-treinamento para garantir a absorção da proteína do suplemento e a presente na refeição.

A prescrição de suplementos deve ser realizada de acordo com as necessidades individuais, estilo de vida, programa alimentar, tipo de treino e objetivos a serem alcançados.

Não existe “receita de bolo”.

*Cristiane Perroni: Nutricionista formada pela UFRJ e pós-graduada em obesidade e emagrecimento. Tem especialização em nutrição clínica pela UFF, especialização em nutrição esportiva pela Universidade Estácio de Sá e trabalha com consultoria e assessoria na área de nutrição. (http://www.crisperroni.com.br/).

Visite o nosso portal e curta o Sindi-Clube no Facebook Instagram para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.

Dor muscular x lesão: aprenda a diferenciar casos após treinamento

Raquel Castanharo*

Toda atividade física, principalmente em iniciantes ou quando se aumenta a quantidade de treinos, provoca uma dor muscular no dia seguinte, chamada de dor muscular de início tardio.

Ela é normal, faz parte do esporte e inclusive é benéfica para o corpo.

Mas, você sabe diferenciar essa dor natural de uma dor causada por lesão?

A dor muscular tardia acontece um ou dois após a realização de exercícios.

Antes se acreditava que o culpado por esse desconforto era o acúmulo de ácido lático, mas pesquisas recentes refutaram essa ideia.

A verdade é que os mecanismos microscópicos envolvidos nessa dor ainda não são totalmente conhecidos.

Sentir-se dolorido após um treino tem suas vantagens.

Isso significa que seu músculo passou por um estímulo e, ao final da recuperação, estará mais preparado para a atividade física.

Porém, vamos aos sinais de que essa dor não está normal e pode ser uma lesão:

  • A dor não diminui em até 72 horas;
  • O incomodo não é no ventre muscular e sim na articulação;
  • A dor parece uma pontada aguda no músculo e não uma sensação de rigidez, que é o esperado na dor muscular tardia;
  • Há hematoma, região vermelha e inchaço.

Entender o corpo e seus limites é essencial para manter uma prática de atividade física saudável.

Por isso, caso haja suspeita de que a dor não seja algo normal, é preciso manter a atenção, diminuir o ritmo, e se persistir procurar ajuda profissional.

*Raquel Castanharo: Fisioterapeuta formada e mestra em biomecânica da corrida na USP. Realizou pesquisa em biomecânica da coluna na Universidade de Waterloo, Canadá. Trabalha com fisioterapia e avaliação biomecânica em São Paulo e Jundiaí. www.raquelcastanharo.com.br

Visite o nosso portal e curta o Sindi-Clube no Facebook Instagram para saber mais de assuntos que interessam ao seu clube.